Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Quando uma empresa busca crescimento sustentável e de longo prazo imagina que captar recursos via empréstimo bancário seja a única maneira de atingir esse objetivo. Essa pode ser uma forma, mas está longe de ser a única. Muitas empresas buscam o mercado de capitais como fonte de financiamento para o crescimento dos seus negócios. Com a abertura de capital, a empresa capta dinheiro para expandir seus projetos e divide o negócio com os acionistas, que passam a deter parte do capital social da companhia por meio de ações. Sim, os investidores que compram ações de uma companhia passam a ser sócios delas.

E você sabe os benefícios de uma aberta de capital? Uma empresa de capital aberto tem acesso a uma série de fontes alternativas de financiamento no mercado de capitais, como fundos de investimento de direitos de crédito, debêntures, novas emissões de ações (follow-ons), entre outras, que não estão disponíveis para empresas privadas. Além disso, o processo traz outras vantagens para a empresa, como aumento de visibilidade no mercado e redução de custos de captação.

Nos momentos em que o mercado de capitais fica aquecido e os investidores buscam alternativas mais rentáveis para seus investimentos, vemos nos jornais muitas notícias de Ofertas Públicas de Ações, muitas na forma de IPO. Uma oferta pública inicial de ações ou do inglês initial public ofering (IPO) é um procedimento utilizado para as empresas de capital aberto captarem recursos emitindo novas ações e as vendendo para o público em geral numa bolsa de valores pela primeira vez.

IPO

Um IPO pode ser tanto uma oferta primária quanto secundária. O que distingue essas duas modalidades é o destino dos recursos dos investidores. Na oferta primária, a companhia vende ações novas e os recursos captados desta operação vão direto para o caixa da empresa. Já na oferta secundária acontece um esforço para a venda de lotes de ações detidas por grandes investidores e os recursos captados vão para as suas contas pessoais. E o mais legal é que uma empresa não precisa ter um tamanho ou valor de mercado mínimos para fazer um IPO, o importante é cumprir requisitos regulatórios e ter uma governança corporativa em linha com essa nova realidade de empresa com capital pulverizado.

O processo de IPO envolve várias instituições como bancos, escritórios de advocacia, corretoras entre outros. Tudo começa com a decisão da empresa pela abertura de capital e seu respectivo registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

No bloco de instituições envolvidas para o sucesso da operação destaca-se o coordenador líder da oferta que se responsabiliza por todo o projeto e se relaciona com os demais envolvidos durante o processo de oferta pública montando, por exemplo, o livro de ofertas. O bookbuilding que define o preço que a ação sairá na oferta, a partir da demanda. Além do coordenador, as corretoras são importantes para promover a distribuição desses papeis para todos os tipos de investidores, sejam eles institucionais ou pessoas físicas.

Quando um investidor olha para uma empresa e vê boas expectativas sobre seu futuro, ele tem o interesse em se tornar sócio dela e lucrar com a valorização do seu papel e com o pagamento de dividendos. Empresas inovadoras e com planos de negócio diferenciados, por exemplo, são muito bem vistas pelos investidores. Empresas tradicionais, com boa governança e plano estruturado de expansão dos seus negócios também têm seus papeis bastantes procurados quando anunciam a oferta.

Alguns outros pontos que o investidor deve olhar com atenção no momento da sua decisão de entrar no IPO: natureza primária ou secundária da oferta, destino dos recursos captados, valor pedido pela companhia (valuation) e as expectativas sobre o setor em que a empresa atua. E o melhor é que essas informações, todas públicas, ficam disponíveis no prospecto preliminar da oferta, documento oficial que concentra todos os dados relativos à oferta. É fundamental a análise desse documento antes de entrar em contato com a sua corretora e aceitar participar da oferta e se tornar sócio de uma empresa. Agora você já sabe o que essas três letrinhas significam e a importância dos IPOs para o desenvolvimento das empresas, da economia e do Brasil.

B3 - Bolsa de Valores B3 - Bolsa de Valores

Parceiro Guide

B3 é a bolsa de valores oficial do Brasil, sediada na cidade de São Paulo. Parceira da Guide, a empresa colabora com conteúdo mensal para o quadro B3 Responde, em que tira dúvidas e explica os principais investimentos do mercado relacionados à Bolsa.

199 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami