Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Dinheiro: o que não fazer quando viajar para o exterior

tags Iniciante

Aprenda com o erro dos outros. Neste caso, aprenda com o meu erro em relação ao dinheiro e cotação numa viagem ao exterior.

Muita gente fica preocupada com a cotação do dólar quando vai viajar: quer saber se o dólar ou euro vão subir ou cair nos próximos meses e qual o momento ideal para compra. Enfim, uma aflição sem fim.

Porém, existe um erro muito básico que cometi na última semana que deixa toda essa análise para trás: esquecer-se de buscar o dinheiro na casa de câmbio.

Sim! Pois é! Reservei a moeda, paguei e, às 19h30 vi que não havia buscado o dinheiro na casa de câmbio. Meu voo era as 00h30 e a casa havia fechado às 19h. Ou seja, não tinha mais o que ser feito, a não ser contar com o temido cartão de crédito no exterior.

O fato de ter que usar o cartão de crédito por si só já é muito ruim: tem uma taxa extremamente desfavorável, um IOF mais caro e ainda por cima você corre o risco de gastar muito mais que o planejado. O dinheiro quando acaba, acaba. O cartão vai passando, passando, passando…

Mas não é só isso, há também o lado de que a operação de compra de câmbio não pode ser desfeita. Ou seja, ou você fica com os dólares ou os revende.

Pensei em revendê-los para a casa de câmbio. Comprei por R$ 3,97, já com impostos. Três dias depois, a oferta da casa de câmbio para recompra foi R$ 3,61.  Uma baita prejuízo!

Resolvi ficar com os dólares para uma próxima viagem…

Moral da história: foque naquilo que você controla!

Eu não podia controlar a cotação do câmbio e, de certo modo, nem o spread que as casas de câmbio cobram, mas eu definitivamente podia controlar o fato de buscar o dinheiro no dia certo ou, então, ter optado pela entrega em casa ou no escritório.

Muitas vezes, no mundo dos investimentos também é assim, os investidores ficam preocupados com variáveis que não controlam, como a rentabilidade ou o movimento dos mercados, e se esquecem da execução correta ou de comprar o produto que é adequado para eles naquele determinado momento e acabam tendo prejuízos enormes por conta disso.

Aprendam com meu erro, não só na hora de viajar, mas também quando forem investir: foque naquilo que você controla!

Ivens Gasparotto Filho Ivens Gasparotto Filho

Planejador Financeiro

Atua há mais de 10 anos no mercado financeiro, trabalhando diretamente com investidores pessoa física e planejamento financeiro pessoal. É CFA charterholder, profissional certificado pelo CFA Institute, possui também a certificação de gestores CGA, da Anbima. Estudou Gestão de Portfólios de Ativos na London Business School, é pós-graduado em Finanças pela FGV e formado em Administração pela Universidade de Brasília.

167 visualizações

relacionados

Bitnami