Desvendando a previdência privada: Glossário

tags Iniciante

 

Existem diversos termos que são utilizados nas documentações dos planos de previdência que não são familiares para a grande maioria dos investidores. Neste post, faço um glossário dos principais termos que você deve conhecer para saber escolher melhor seu plano de previdência privada. 

•  Taxa de carregamento de entrada – alguns planos de previdência cobram uma taxa em cada aporte que o cliente faça em sua previdência. Esta taxa é um percentual do valor de cada aplicação feita pelo cliente. Ela pode chegar a, no máximo, 10% do valor de cada aporte. Fuja do carregamento de entrada! Os fundos de previdência com os quais trabalhamos aqui na Guide não cobram esta taxa. Isto tem um impacto enorme no valor que você acumulará para o seu futuro.

•  Taxa de carregamento de saída – é um valor percentual que pode ser cobrado caso você realize um resgate ou faça a portabilidade de seu plano de previdência para outra seguradora. Normalmente, esta taxa deixa de ser cobrada após se atingir algum valor de reserva ou de acordo com o tempo que seu dinheiro está aplicado naquela seguradora. Esta informação está na proposta que você assinará quando contratar seu plano.

•  Proposta – é o formulário que você preencherá para contratação do plano de previdência escolhido. Nela, você terá também as informações do plano contratado e das regras do produto.

•  Proponente – é a pessoa para a qual é feita a previdência. O dono do dinheiro. Caso o proponente seja menor de idade, provavelmente, haverá um responsável financeiro e um responsável legal.

•  Responsável financeiro – é a pessoa que fará o pagamento das contribuições daquele plano. O responsável financeiro pode alterar o valor, a forma de pagamento e a periodicidade das contribuições. O responsável financeiro não precisa ser o responsável legal do menor.

•  Responsável legal – é a pessoa que pode movimentar as reservas do plano em nome do menor. Pode ser seu pai, mãe, tutor ou curador. O responsável legal pode solicitar resgates e portabilidades, por exemplo. Até os 16 anos de idade da criança, apenas o responsável legal assina a proposta, entre 16 e 18 anos, o menor assina em conjunto com seu responsável legal. Após os 18 anos, os recursos são do jovem que pode movimentá-lo como bem entender sem anuência do responsável legal.

•  Beneficiários – são as pessoas que receberão a reserva ou renda daquele plano de previdência em caso de falecimento do proponente. Lembrando que planos de previdência não entram em processo de inventário e os recursos são pagos diretamente aos beneficiários, conforme descrito na proposta.

•  Benefícios de risco – são seguros que podem ser atrelados a sua previdência. Eles são opcionais e, quando contratados, pagos juntos com sua contribuição mensal. O valor pago a estes seguros não é aplicado na formação de reserva financeira.

•  Idade de aposentadoria – é a idade indicada na contratação do plano para sua aposentadoria. Este ponto causa muita confusão entre os clientes. A idade que você colocará neste campo é apenas indicativa, você não é obrigado a transformar seus recursos em renda na idade indicada. Você pode adiar este prazo, adiantá-lo ou, nem mesmo exercê-lo. Você pode resgatar seus recursos por completo ou nunca resgatá-los e deixá-los para seus beneficiários.

•  FIE – Fundo de investimento especialmente constituído para receber os recursos dos planos de previdência do tipo PGBL ou VGBL. É no FIE que seu capital será aportado. É o CNPJ do FIE que você deve procurar para saber onde exatamente seu recurso será aplicado. 

Conhecendo um pouco mais sobre os conceitos básicos da previdência privada, você conseguirá tomar a melhor decisão para o seu futuro.

Ivens Gasparotto Filho Ivens Gasparotto Filho

Diretor Técnico

Atua há mais de 10 anos no mercado financeiro, trabalhando diretamente com investidores pessoa física e planejamento financeiro pessoal. É CFA charterholder, profissional certificado pelo CFA Institute, possui também a certificação de gestores CGA, da Anbima. Estudou Gestão de Portfólios de Ativos na London Business School, é pós-graduado em Finanças pela FGV e formado em Administração pela Universidade de Brasília.

2612 visualizações

relacionados

Bitnami