Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Como você espera estar quando se aposentar?

A pergunta que dá título a este artigo assusta ou afasta muita gente. Quando é tópico de alguma conversa, o assunto das finanças pessoais acaba trazendo em muitos de nós um certo receio, quando não mesmo medo ou desinteresse. Não precisava ser assim. Em tempos de rediscussão de previdência – havendo possibilidade de que algo tão esperado fique para mais adiante do que se esperava -, é importante retomar este assunto amargo para muitos.

Em termos de lidar com o dinheiro, existem três categorias nas quais você possa estar encaixado. A primeira e mais indesejável é estar em algum cadastro de negativados (realidade de quase 35% dos brasileiros). A segunda é não necessariamente estar negativado, mas não ter recursos em reserva (o que ocorre com 65% dos brasileiros). A terceira, mais confortável e desejada, é ter recursos reservados (22% estão enquadrados nessa categoria).

O caminho entre o dia de hoje, em que você lê este artigo, e o dia em que você deverá completar idade suficiente para se aposentar (seja pelo sistema previdenciário em que você se encaixa ou por ter conseguido juntar recursos pelo caminho) é composto pelo tempo que você tem para sair da primeira categoria e chegar à terceira. Fácil, realmente não é, principalmente porque envolve escolhas, mas é um meio de dizer ao seu “eu do futuro” que você se importa bastante com ele.

Considerando que você esteja entre a segunda e a terceira categoria, já conseguindo reservar recursos após ter resolvido ou controlado quaisquer dívidas que você tenha, a primeira pergunta que terá a fazer é: e agora, o que fazer com os recursos que sobraram? Basicamente neste momento que você precisa fazer a primeira grande escolha, que é a de manter sua estrutura de gastos apesar do dinheiro que sobra.

Após tomar esta primeira atitude, a pergunta sobre o que fazer com o dinheiro que sobra começa a ganhar contornos mais interessantes. Primeiramente, é recomendável que você faça uma reserva pessoal, que geralmente os especialistas indicam ser entre três e seis meses de despesas – reserva essa que deve estar em fundos de acesso imediato.

Em seguida, tendo essa reserva trabalhando pra você, é hora de procurar meios a curto, médio e longo prazo que possam permitir que o dinheiro trabalhe para você. Neste momento é importante descobrir qual seu perfil de investidor e alocar recursos no que mais se encaixam em suas reais necessidades ao longo do tempo.

Importante frisar novamente que não se trata de uma tarefa fácil. Um segredo que poucas vezes te contaram é que cuidar de dinheiro mais parece com os cuidados de um campo de grama do que com o observar de um bambu em sua crescente diária. Ou, mais diretamente: esteja mais atento a retornos acima de mercado ao longo do tempo do que a “oportunidades imperdíveis que vão te dar retornos inacreditáveis da noite pro dia”.

Felizmente, aqui na Guide você pode fazer de sua estadia na terceira categoria uma viagem bastante positiva ao redor do tempo, afinal, com os investimentos aqui oferecidos, seja você um investidor totalmente avesso aos riscos ou que os aprecie ao máximo, haverá sempre uma possibilidade de alocação. E, outro segredo que você nunca deve esquecer: Einstein dizia que uma das forças mais robustas era a dos juros compostos – se você aproveitar isso tendo o tempo como seu aliado, garanto que não irá se arrepender dos resultados (e seu eu do futuro será muito grato por isso).

Terraco Econômico Terraco Econômico

Parceiro Guide

Hoje o maior blog independente de economia do Brasil, foi criado por 4 amigos em 2014, o motivo? Fornecer análises claras e independentes sobre economia e finanças, sempre com a missão de informar o leitor.

380 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami