Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Como o Tesouro Direto pode ajudar minha aposentadoria?

O que você está fazendo hoje para garantir a sua velhice? Esse é um clichê que ouvimos muito, ainda mais em tempos onde a Reforma da Previdência é um dos assuntos mais pautados nos noticiários. Se você não tem uma resposta a essa pergunta, conhecer o Tesouro Direto pode sim ser uma boa alternativa para investir e criar uma reserva financeira para a velhice.

Temos um leque de alternativas quando pensamos em boas estratégias para um planejamento financeiro saudável a longo prazo. Mas a que vamos comentar aqui hoje, considero uma das mais acessíveis de todas, que é justamente para não existir desculpas de não começar imediatamente. Trata-se de acumular uma reserva no Tesouro Direto e, após o vencimento, ter uma boa quantia que seja suficiente para proporcionar uma renda complementar mensal.

Os títulos públicos federais do Tesouro são emitidos pelo próprio Tesouro Nacional e 100% garantidos por ele. Sendo assim, vale observar a segurança, uma vez que esse planejamento será de longo prazo.

Dentre os Títulos do Tesouro Direto, o mais indicado para aplicações mais longas, como é o caso do planejamento da aposentadoria, é o Tesouro Direto IPCA+ Principal ou também chamado de NTN-B (Notas do Tesouro Nacional, série B).

Quando você compra títulos do Tesouro, automaticamente você está emprestando dinheiro ao governo e, em contrapartida, ele te paga um percentual por isso. No IPCA+, ele vai ter uma taxa composta por: uma parte prefixada (cujo percentual é fixo até o final da aplicação) + a variação de inflação (IPCA).

Para quem tem dúvidas sobre o que é IPCA, é bem fácil, ok? Nada mais é do que o índice de referência da nossa inflação. Ou seja, se você tem uma aplicação que te paga inflação + uma taxa prefixada, significa que você não vai perder o seu poder de compra daqui a 5, 10, 20 anos. E justamente por isso ele é recomendado para prazos mais longos.

Outro ponto bastante positivo do Tesouro IPCA+ é o valor inicial que você pode começar, que varia de R$30 a R$50 reais, a depender do vencimento que escolher, além de não ter a obrigatoriedade de um aporte mensal e/ou sempre de mesmo valor. Caso você prefira poupar um pouco por mês, sem problemas também: você pode e, inclusive, pode deixar esses aportes agendados!

E se eu precisar de dinheiro?

Claro que o ideal é que você não mexa na aplicação antes do prazo combinado. Mas…. Se realmente precisar resgatar a aplicação, o Tesouro Direto garante a recompra do seu Título e te devolve o valor no dia seguinte à solicitação de resgate. Mas vale lembrar: ele vai te pagar o preço à mercado, que significa que pode haver algum tipo de prejuízo, por isso deixe sempre essa alternativa por último, ok?!

Vamos à prática! Quanto antes você começar a investir para ter um futuro mais tranquilo, melhor. Isso porque o tempo é um grande aliado dos juros compostos que nada mais é do que aquela velha frase “dinheiro faz dinheiro”. Então, não hesite em começar, mesmo que com o mínimo, porque lá na frente pode fazer uma diferença enorme.

Mayra Lima Mayra Lima

Assessora de Investimentos

Pós – graduanda em Investimentos e Banking pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUC-RS. É certificada como Especialista de Investimentos - CEA, pela ANBIMA e pelo Programa de Qualificação Profissional (PQO Operacional) pela bolsa de valores - B3.

390 visualizações

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami