Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Black November, week ou friday: cuidado!

Entramos em um mês que, de alguns anos pra cá, se tornou a época de uma oportunidade a mais de descontos no comércio. A data de Black Friday, iniciada nos anos 1990 nos EUA e popularizada nos anos 2000, chegou no Brasil no início dos anos 2010, já virou mania por aqui.

Dentre as diferenças entre a versão do Tio Sam e a que temos por aqui, a primeira é que nos EUA essa data constitui-se em um dos principais eventos do comércio, enquanto que por aqui tem aumentado em importância, mas ainda estando distante de datas como dia das mães, dia dos namorados e natal. Outra diferença é o que nos motiva a escrever esse artigo.

Nos EUA, a data é única. Trata-se de um dia em que o objetivo é de esvaziar os estoques acumulados no ano para que as lojas passem a se preparar, com produtos novos, para as compras de natal. Por aqui, também começou com um dia, em algumas lojas (físicas e eletrônicas) tornaram-se a ser uma semana e, em alguns casos, até o mês todo.

A data brasileira que se estica a cada ano mostra a tentativa, que coincide com a atual lenta recuperação econômica observada, de movimentar o comércio por aqui. Não parece ser coincidência que essa data virou semana e depois mês de 2016 até agora. O comércio faz um esforço intenso para sair do marasmo – e, às vezes, isso ocorre com incentivo do governo (como na Semana do Brasil, nas proximidades do 7 de Setembro, iniciada em 2019).

Na prática, o que ocorre com o esticar desse período especial de promoções não é difícil de entender: a chuva de comerciais que tentam te mostrar que é hora de trocar basicamente tudo que você tem é ainda mais intensa. Se a Black Friday, sendo um dia, já é um belo incentivo para que você adquira algo que não precisa, imagine o que ocorre quando um mês todo passa a ser dedicado a essa causa comercial.

Comprar ou não na Black Friday?

Primeiramente, a dica que pode ser dada é: pense sobre as necessidades (ou não) de fazer aquisições, independente da época. É possível que você realmente esteja precisando (ou mesmo desejando) adquirir algo e, na prática, essa pode ser mesmo uma boa oportunidade para fazer tal aquisição. Acompanhe os preços por plataformas de comparações ao longo do tempo para ver se as oportunidades são reais.

Em segundo lugar, não se deixe seduzir por grandes oportunidades que surgem “do nada”. Não há almoço grátis, como já se sabe da clássica frase dos economistas: uma grande oportunidade pode virar um item desnecessário a mais em sua casa (e dinheiro a menos em seu bolso).

Por último, mas não menos importante: além de realizar desembolsos, busque também oportunidades de investimentos nessa época. Explicamos: assim como muitas lojas te oferecem oportunidades para gastar, temos hoje muitas casas de investimento abaixando os valores de entrada para investir. Com a Selic nos níveis atuais, trata-se de um nobre “unir o útil ao agradável”; aproveite tais oportunidades. Na Guide, durante todo o mês de novembro, por exemplo, todos os fundos de previdência da Icatu (cerca de 60) estão com os mínimos a R$1.000,00 ou aportes mensais de R$100,00. E ainda tem mais oportunidade para aparecer.

Em suma, esteja consciente do que lhe é oferecido e não caia em oportunidades boas apenas para quem oferece. Dado que era apenas um dia, virou semana e agora mês, quanto mais consciente você estiver, menos agora e nos próximos anos você cairá em armadilhas.

Terraco Econômico Terraco Econômico

Parceiro Guide

Hoje o maior blog independente de economia do Brasil, foi criado por 4 amigos em 2014, o motivo? Fornecer análises claras e independentes sobre economia e finanças, sempre com a missão de informar o leitor.

89 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami