Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

ANBIMA: A Pesquisa Raio X do Investidor

A pesquisa Raio X do investidor, feita pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) em conjunto com o Datafolha, teve a sua segunda edição publicada recentemente.

É um extenso trabalho feito anualmente visando identificar os hábitos de poupança e de investimentos dos brasileiros. No total foram entrevistados mais de 3,4 mil pessoas de todo o país. Como essa é a segunda edição, um dos principais objetivos foi acompanhar a evolução dos indicadores criados e verificar se existe algum tipo de comportamento específico a ser observado, principalmente ligado ao momento econômico do país, à política e à educação financeira.

Interessante que a pesquisa divide os resultados em três grandes faixas de respostas:

Pessoas que tinham algum saldo aplicado em produtos financeiros em 2018

O que significa que elas podem ter investido ou não em 2018, mas já tinham aplicações de outros anos. Elas representaram 42% em 2017 e o mesmo percentual em 2018.

Pessoas que investiram em aplicações financeiras em 2018

Sendo a primeira vez ou não, ao todo foram 8%, comparadas a 9% no ano anterior.

Pessoas que não tinham qualquer investimento em 2018

Este público totaliza 56%, resultado similar a 2017.

A constatação de tais dados é sempre muito chocante, pois entender que mais da metade da amostra não tem sequer algum tipo de investimento demonstra a falta do hábito de poupar e de planejamento financeiro do brasileiro médio, obviamente tal fenômeno pode ter várias explicações, como renda limitada, gastos elevados, compra de bens, etc.

Contudo, sabendo que grande parte dos brasileiros não investe, a parcela que respondeu que investe está praticamente toda alocada na poupança. Da parcela de 8% dos investidores que fizeram/tinham uma aplicação financeira em 2018, 68% investiu na poupança.

A poupança continua sendo o produto preferido entre os investidores, quando olhamos para toda a amostra, 88% dos brasileiros guardam dinheiro na caderneta. A aplicação tem aderência, principalmente entre quem tem entre 25 e 59 anos, com ensino médio, os pertencentes à classe C e os moradores do Sudeste. Com larga distância da poupança, o segundo produto mais utilizado pela população investidora é a previdência privada, com 6%.

A conclusão que tiramos desse estudo é que, geralmente, apesar da condição financeira impedir que vários brasileiros realizem investimentos, boa parte dos que conseguem são bastante conservadores e restritos. Focando excessivamente na segurança financeira e baixo risco, buscando investimentos de alta liquidez, mas abrindo mão de retornos mais interessantes sem necessariamente correr maiores riscos, como, por exemplo, o Tesouro Direto.

Isso só reforça a importância da educação financeira na vida do investidor e também do auxílio de uma assessoria de investimentos para zelar pelo patrimônio do cliente, buscando as melhores aplicações considerando a relação de risco/retorno diante do objetivo esperado.

 

Terraco Econômico Terraco Econômico

Parceiro Guide

Hoje o maior blog independente de economia do Brasil, foi criado por 4 amigos em 2014, o motivo? Fornecer análises claras e independentes sobre economia e finanças, sempre com a missão de informar o leitor.

559 visualizações

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami