5 motivos para você fazer um seguro de vida

tags Iniciante

Uma das coisas que percebi nestes anos trabalhando com clientes pessoas físicas, é que o assunto seguro de vida é quase um tabu. As pessoas sabem que precisam ter um seguro, mas na hora de agir sentem um frio na barriga e não seguem em frente.

Os seguros de vida são o primeiro passo de um planejamento financeiro bem-sucedido. Estas apólices são um colchão necessário para proteger não só você e sua família, como também seu patrimônio de eventos inesperados, mas com consequências financeiras possivelmente devastadoras.

Não. O seguro não substituirá a ausência de ninguém. A vida humana é um bem irreparável. O seguro será um substituto financeiro para a renda futura que se perde por uma morte prematura ou algum outro evento que impeça a geração desta renda.

Os seguros dão a segurança financeira para você e sua família buscarem seus sonhos e objetivos de vida sem preocupações. Imagine suas coberturas de seguros como um pilar que apoiará tanto você quanto sua família, caso ocorra algum imprevisto que impacte na sua capacidade de geração de renda, seja de forma temporária ou permanente.

Em termos práticos, quais são os motivos específicos para se contratar um seguro?

Mostrarei aqui 5 motivos, mas não se engane. Há muitos outros que podem fazer total sentido para diversos outros casos.

1 – Substituir financeiramente a ausência da renda em caso de morte prematura do provedor da casa

Este é o caso clássico. Fazer uma apólice que suportará sua família, no caso de sua ausência, enquanto você ainda acumula seu patrimônio financeiro. Estamos falando aqui, normalmente, de pessoas entre seus 25 aos 50 anos, com filhos e gastos familiares que não irão a lugar nenhum em um futuro próximo: aluguel, escola, padrão de vida, etc.

Quem é pai/mãe, sabe do que estou falando. Você junta dinheiro todo mês, sabe que no futuro terá uma aposentadoria tranquila, mas se algo acontece no meio do caminho, sua família pode ver seu padrão cair drasticamente. Mudança de endereço, troca de escola, etc. tudo isso somado à perda de um ente querido pode ser devastador para o futuro de seus filhos.

Uma apólice de seguro de vida bem dimensionada, seja ela vitalícia ou temporária, não vai trazer ninguém de volta, mas dará o suporte financeiro necessário para que a vida siga e os sonhos sejam realizados.

2 – Substituir a renda futura perdida no caso de invalidez

Muito parecido com o caso anterior. Um evento inesperado, como um acidente, que provoque a invalidez de alguém, pode comprometer diretamente sua capacidade de geração de renda. Mais ainda, pode trazer novos custos como os de adaptação à nova realidade. Para estes casos, a apólice de invalidez por acidente é a mais indicada.

3 – Substituir temporariamente a renda perdida no caso de algum evento que te afaste do trabalho

 O afastamento do trabalho, seja por conta de uma internação hospitalar, seja por algum outro motivo médico ou por acidente, pode ser bastante prejudicial, principalmente para a vida financeira de profissionais liberais ou autônomos. Sem poder trabalhar, estes profissionais não geram receita, mas seus custos familiares param por conta disso. Contratar uma cobertura que te pague no caso de algum evento desta natureza, é de extrema importância para sua tranquilidade financeira em momentos como estes.

4 – Conforto financeiro caso receba o diagnóstico de alguma doença grave

 O diagnóstico de uma doença grave não é fácil para ninguém. Um seguro que cubra este evento é uma ferramenta adicional para você enfrentar a doença com mais recursos e poder acessar outros tratamentos ou ter maior dignidade em momento tão difícil. Entenda este seguro não como um substituto ao seu plano de saúde, mas sim como um importante complemento dele.

5 – Ferramenta de planejamento sucessório

O seguro de vida é uma importante ferramenta de planejamento sucessório para aquelas pessoas já possuem um patrimônio que garanta segurança e tranquilidade às suas famílias mesmo no caso de sua ausência.

O problema é que os custos sucessórios no país crescem a passos largos, por isso é importante ter uma alternativa de liquidez para que sua família não dilapide o patrimônio construído por conta dos altos impostos e custos advocatícios, por exemplo.

Quem passou por um processo de inventário sabe como isto pode ser demorado e caro. Como o capital de um seguro de vida não compõe herança e é pago em até 30 dias para os beneficiários designados, você pode usar o seguro como uma ferramenta que proverá liquidez para seus herdeiros pagarem os custos de sucessão e demais despesas sem precisar vender as pressas e por um preço abaixo do mercado alguns dos bens que você acumulou durante sua vida.

 

 

Ivens Gasparotto Filho Ivens Gasparotto Filho

Diretor Técnico

Atua há mais de 10 anos no mercado financeiro, trabalhando diretamente com investidores pessoa física e planejamento financeiro pessoal. É CFA charterholder, profissional certificado pelo CFA Institute, possui também a certificação de gestores CGA, da Anbima. Estudou Gestão de Portfólios de Ativos na London Business School, é pós-graduado em Finanças pela FGV e formado em Administração pela Universidade de Brasília.

720 visualizações

relacionados

Bitnami