1º passo para uma vida financeira tranquila: Reserva de Emergência

tags Iniciante

Vai me dizer que seu carro nunca quebrou justo naquele mês que você estava com o salário contado? Ou ficou desempregado com um financiamento em andamento? Ou ainda, seu filho teve despesas extras no colégio que você não estava contando? Imprevistos acontecem das mais variadas maneiras, isso é normal e acontece com todo mundo. O que vai mudar é a maneira como eles podem ou não impactar sua vida financeira.

E é justamente para ser o seu bote salva-vidas que existe o que chamamos de “Reserva de Emergência“. Pois é, a reserva de emergência vai te salvar nos momentos que algo inesperado acontecer. Não só em relação a surpresas negativas, mas também oportunidades que aparecem em nossas vidas e que, às vezes, não estamos preparados financeiramente para elas, como: uma viagem, uma promoção de algo que realmente estava querendo/precisando ou um investimento diferenciado.

Por essas e outras que é tão útil destinar uma verba para essas eventualidades. Segundo a pesquisa Raio X do Investidor realizada pelo Datafolha a pedido da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.), no Brasil, apenas 15% da População Economicamente Ativa (PEA) está preocupada em montar uma reserva de emergência. Ou seja, realmente contamos com a sorte e não nos preocupamos tanto com a prevenção.

E você? Já tem a sua reserva?

Começar do zero pode ser algo aterrorizante, mas saiba que você pode se reorganizar e garantir sua tranquilidade. E se você não precisar (que é o que esperamos) você terá um bom dinheiro guardado e investido que pode ser, no futuro, utilizado em algum outro projeto, se for o caso.

Sendo assim, sem desculpas. É hora de saber como começar:

O ideal para Reserva de Emergência é que ela fique de fácil acesso caso você precise. Opte por investir em aplicações que tenham liquidez, ou seja, que o resgate possa ser a qualquer momento.

TOP 3 de Investimentos para montar Reserva de Emergência:

  • Tesouro Selic;
  • Fundos DIs;
  • CDBs com liquidez.

Para você calcular o quanto deverá destinar para sua reserva de emergência é simples. Recomenda- se o equivalente de 3 a 6 meses de salário. E, dependendo de sua profissão, poderá ser até mais, caso sua renda seja variável e inconstante. Como é o caso de autônomos ou comissionados.

Vale lembrar que o propósito desta reserva é, a priori, para gastos inesperados. Para aqueles programados (que você já sabe que vão acontecer) é importante organizar seu orçamento para isso.

Aliás, organizar suas finanças pode ser muito mais fácil e tranquilo se você controlar as despesas e investir bem. E se você quer estar um passo à frente e se precaver, esse é o primeiro passo!

 

Mayra Lima Mayra Lima

Assessora de Investimentos

Pós – graduanda em Investimentos e Banking pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUC-RS. É certificada como Especialista de Investimentos - CEA, pela ANBIMA e pelo Programa de Qualificação Profissional (PQO Operacional) pela bolsa de valores - B3.

103 visualizações

relacionados

Bitnami