Segundo Tempo: Sem grandes pressões

tags Intermediário

Introdução: A inflação dos EUA segue próximo da meta do Fed, mas dados de curto prazo não surpreenderam para “cima”. O dólar segue misto frente às moedas dos emergentes. As bolsas sobem em NY, após ganhos na Europa. No Brasil, o Ibovespa opera na contramão, e recua. Dólar e DIs mais longos sobem, em linha com o aumento do risco país. Balanços mexem com o mercado. No front macro, o desemprego recuou mais do que o esperado. Amanhã é dia de COPOM: espere uma Selic estável em 6,50%. À noite, Marina (Rede) tem entrevista na GloboNews.


CENÁRIO EXTERNO: SEM PRESSÕES INFLACIONÁRIAS. .

O “básico” sobre os mercados… No exterior, o ambiente para ativos de risco é positivo. As bolsas dos EUA sobem, enquanto os mercados na Europa e Ásia encerram, em sua maioria, com ganhos. As commodities operam mistas (após dados fracos de atividade na China) e o dólar segue misto frente às moedas dos emergentes. Sem pressões inflacionárias claras nos EUA, os juros das Treasuries recuam (10 anos ~2,95%). O índice VIX, que mede a volatilidade do mercado, recua quase 7% por volta das 14h45, horário de Brasília.  

Inflação nos EUA… O índice PCE — o deflator do consumo; a medida de inflação mais “olhada” pelo Fed – continuou em 2,2%. O “núcleo”, medida que desconsidera preços de energia e alimentação, continuou em 1,9%. A meta do Fed é de 2,0%. Ou seja: no curto prazo, não vimos grande pressão de inflação, embora o viés seja altista para os próximos meses, em nossa opinião.


BRASIL: DESEMPREGO RECUA EM JUNHO.

PSB pode apoiar PDT… É possível que Ciro Gomes (PDT) consiga o apoio do PSB. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg (PSB), disse que Ciro “tem maioria do partido no país”. Resta convencer os dois governadores que ainda resistem à tal aliança (Márcio França, de SP; e Paulo Câmara, de PE). A aliança entre PSB e PDT “evita o radicalismo da polarização de PT vs. PSDB, ou Lula vs. Jair Bolsonaro”, afirmou Rollemberg.

Sobre Bolsonaro na Roda Viva… Segundo a newsletter Drive, do Poder360, a participação de Bolsonaro (PSL) no programa da TV Cultura foi “satisfatório”. Solidifica os votos daqueles que já o apoiam, e não deve perder votos. Se ganhará forças é mais difícil dizer, mas há uma sensação de que Bolsonaro poderia ter sido mais hábil em sua comunicação.

Sobre os mercados locais… O Ibovespa, na contramão das bolsas globais, opera com perdas no início desta tarde. Perto das 15h30, horário de Brasília, o índice oscilava pouco acima dos 79,2 mil pontos. Por aqui, balanços mexem com as ações (falamos mais a seguir); e viés mais negativo para o petróleo (brent) contribui para a queda de Petrobras, por exemplo. O dólar perdeu força no início da tarde, mas ainda avança frente ao real. A curva de juros apresenta um viés ligeiramente mais altista nos vértices mais longos; em linha com a alta da percepção de risco país, medida pelo CDS de 5 anos (que sobe próximo de 1%, aos 213 pontos base).

Sobre o Ibovespa – Parte I… As ações das distribuidoras de combustíveis são destaques de baixa. Ultrapar recuava 7%; Cosan tinha queda de 5%; e BR Distribuidora recuava 5% (por volta das 15h30, horário de Brasília). O movimento é reflexo da cautela dos investidores em meio à operação da PF do Paraná (batizada de “Margem Controlada”) que investiga uma quadrilha formada para controlar os preços finais dos combustíveis nas bombas dos postos em Curitiba. A operação prendeu gerentes e assessores comerciais das distribuidoras de combustíveis BR, Raízen e Ipiranga.

Sobre o Ibovespa – Parte II… Os balanços corporativos também “mexem” com os ativos locais. Cielo tinha queda de 6%, com números mais fracos que o esperado, pressionados por uma concorrência acirrada no setor e menor receita financeira (visto as menores taxas de juros no período). Itaú também recuava (próximo de 4%), após reportar números em linha com a expectativa do mercado. Na outra ponta, as ações da Embraer oscilam entre altas e baixas com o resultado do 2º tri sendo impactado por eventos “não recorrentes”. Por ora, investidores ficam atentos à conclusão do acordo com a Boeing. Confira mais sobre os resultados dos balanços em nosso Guide Empresas.

Desemprego… A taxa de desemprego do trimestre encerrado em junho, segundo a pesquisa PNAD Contínua do IBGE, passou de 12,7% para 12,4%, abaixo dos 12,6% esperados pelo mercado, segundo dados da Bloomberg. Na série com ajuste sazonal, a taxa passou de 12,4% para 12,3%. Houve ligeiro aumento da população ocupada (0,1% m/m), acompanhado por estabilidade da força de trabalho. A taxa de participação com ajuste sazonal recuou de 61,4% para 61,3%.

Ainda hoje… À noite, vai ao ar no programa “Central das Eleições”, da GloboNews, a entrevista com a pré-candidata Marina (Rede), às 22h30. Continuaremos atentos às possíveis definições dos vice dos candidatos à Presidência. Lembramos: o período de convenções partidárias vai até o próximo domingo, dia 5 de agosto.


    Sobre as oscilações do pregão:

    Ibovespa: : -1,19%, aos 79.316 pontos;
    Real/Dólar: +0,60%, cotado a R$3,7526;
    Dólar Index: +0,12%, 94,472;
    DI Jan/21: +02 pontos base; 8,93%;
    S&P 500: +0,65%, aos 2.820 pontos.

    *Por volta das 15h14, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

    Contatos

    Renda Variável*


    Luis Gustavo Pereira – CNPI
    [email protected]

    Equipe Econômica

    Ignácio Crespo
    [email protected]

    Lucas Stefanini
    [email protected]

    Rafael Gad
    [email protected]

    Julia Carrera Bludeni
    [email protected]

    *A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
    “Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
    Ignacio Crespo Ignacio Crespo

    Economista

    Mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE), e graduado em Ciências Econômicas pelo INSPER. Foi professor assistente do Mestrado Profissional em Economia do INSPER, ministrando aulas sobre Macroeconomia e Política Monetária. De 2013 até agosto de 2018 atuou como economista da Guide Investimentos. Desde então, atua como consultor externo da Guide.

    220 visualizações

    relacionados

    Bitnami