Segundo Tempo: Olha a pesquisa, fresquinha, pesquisa quentinha!

tags Intermediário

Introdução: As bolsas europeias avançam em conjunto com as bolsas americanas. O dólar, medido pelo DXY, perde força. Emergentes voltam a sofrer um pouco, em conjunto, Turquia, Argentina, África do Sul e Brasil, todos sofrem e veem suas moedas depreciando e seus riscos subindo. A bolsa brasileira sobe 0,06% aos 76.467 pontos. Dólar opera em alta 0,81% a R$4,102 nos mercados futuros. A curva de juros muda de formato com a parte curta fechando e os vértices mais longos abrindo, o famoso empinamento. De resto as pesquisas de intenção de voto dominam a cena doméstica. Hoje a noite sai uma pesquisa Datafolha, quinta uma Ibope e na sexta, novamente, mais uma Datafolha. Hoje o mercado digere a primeira pesquisa pós atentado a Bolsonaro.


CENÁRIO EXTERNO: BOLSAS OPERAM COM VIÉS MAIS POSITIVO E DÓLAR SE MANTÉM MAIS FRACO.

Mercados… O cenário no exterior se mantém mais positivo. As bolsas da Europa avançam. O movimento de alta é acompanhado pelas bolsas dos EUA. O dólar segue mais fraco no exterior. Contudo, a Lira Turca, o Real e o Peso Argentino revertem o movimento do início do dia e passam a se depreciar. Destaque para o desempenho dos dois últimos, que registram a pior performance dentro da cesta de moeda de emergentes. Os juros das Treasuries recuam (10 anos ~2,93%). As commodities operam em tom mais positivo, apesar de não ter direções claras. O petróleo (brent) opera próximo da estabilidade, cotado ao redor de US$77/barril. O índice VIX, que mede a volatilidade do mercado, recua aproximadamente 4,10% por volta das 14h, reforçando esse início de semana mais benigno para ativos de risco.

Brexit… Um dia depois de o ex-ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, rotular os planos de May para a saída do Reino Unido da UE como “um colete suicida”, outro ministro, do próprio Partido Conservador, o mesmo de May, afirmou que 80 ou mais parlamentares da própria legenda estão prontos para rejeitar as atuais propostas para o Brexit. Se 80 dos 315 parlamentares de May votarem contra um acordo para o Brexit baseado em suas propostas, o destino do governo dependerá do opositor Partido Trabalhista, uma vez que a premiê não terá os 320 votos necessários de 650. O Reino Unido deve deixar o bloco em 29 de março, mas até agora não existe um acordo de saída completo e tampouco está claro se May é capaz de obter a aprovação de um acordo no Parlamento.


BRASIL: PESQUISA, OLHA A PESQUISA, PESQUISA QUENTINHA!

Vamos com o que temos… Enquanto ainda não sai a primeira pesquisa Datafolha, pós atentado a Jair Bolsonaro (PSL), o mercado digere os números da pesquisa BTG/FSB, onde o capitão lidera absoluto com 30% e com a rejeição estancada em 51%. Era exatamente a rejeição, que vinha em uma grande crescente, que preocupava a coordenação da campanha de Bolsonaro. O trágico episódio pode ter enorme efeito positivo sobre a rejeição. Em segundo lugar segue Ciro Gomes (12%), que ampliou sua distância de Marina, não porque cresceu, mas porque ela perdeu 3% das intenções, caindo de 11% para 8%, além de dividir o terceiro lugar com o tucano Geraldo Alckmin (8%). Quem chega nesse empate triplo é Haddad, que subiu de 6% para 8%.

O segundo turno que assusta… A facada foi em Bolsonaro, mas quem sangrou foi Marina Silva. O cenário que a pesquisa do BTG desenha é um segundo turno entre Ciro e Bolsonaro. Em todas as pesquisas Ibope e Datafolha o capitão perdia para Ciro. O mercado teme Ciro, suas medidas fortes e o discurso contra o sistema financeiro. Além do fato do empate técnico, entre Marina, Alckmin e Haddad, ou seja, existe praticamente uma chance igual de nomes de esquerda ou nomes de direita passarem para o segundo turno com o capitão, ou seja, neblina total, nenhuma visibilidade. De olho nas próximas pesquisas…

A gravidade puxa… No relatório Focus de hoje, as medianas das projeções de crescimento para a economia em 2018 voltaram a recuar, agora em 1,40% (contra 1,44% na semana anterior). É a terceira semana consecutiva com queda nas expectativas de crescimento. Para 2019, o número continua estável em 2,50%. No campo da inflação, mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial, em 2018 caiu de 4,16% para 4,05%. No caso de 2019, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ter alta de 4,11%, sem mudança. Para os próximos 12 meses, a previsão para o aumento do IPCA saiu de 3,75% para 3,89%. Para a taxa Selic, a expectativa continua estável e 6,50% para o fim de 2018 e de 8% para 2019. Apesar da inflação estar sob controle, as projeções de crescimento continuam a decepcionar: quando nada é feito em termos de política econômica, em nível mais estrutural, a gravidade puxa.

Nada acontece, pelo menos hoje… Agenda nacional segue sem nenhum grande evento. O que domina é apreensão eleitoral. A noite, um pouco antes do Jornal Nacional, deve sair uma pesquisa Datafolha. Outra sai na sexta e na quinta-feira temos uma pesquisa Ibope. Todos de olho no capitão, no chuchu e nos cenários de segundo turno.

 

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +0,15%, aos 76.506 pontos;
Real/Dólar: +0,68%, cotado a R$ 4,0834;
Dólar Index: -0,23%, 95,144;
DI Jan/21: -14 pontos base; 9,780%;
S&P 500: +0,33%, aos 2.881 pontos.

*Por volta das 15h55, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Cândido Victor Cândido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

190 visualizações

relacionados

Bitnami