Segundo Tempo: ele disse que ficará

tags Intermediário

Introdução: O cenário externo segue desfavorável para os ativos de risco. As bolsas recuam, o dólar segue forte, e os juros dos títulos dos EUA seguem em baixa, reagindo à maior busca por proteção dos investidores. Nos EUA, os dados econômicos seguem fortes. No Brasil, as atenções seguem voltadas às paralizações. O dólar segue com viés de alta (embora tenha passado parte do dia em baixa), e os DIs sobem. O Ibovespa opera em alta, após queda forte de ontem. Em conferência da Petrobras, Parente afirma que continuará no posto; não haverá interferência na política de preços da empresa; continua o plano de desinventimentos (venda de refinarias e da Braskem, em especial) e; por último, espera uma solução para a cessão onerosa.


CENÁRIO EXTERNO: PREVALECE A MAIOR AVERSÃO A RISCO.

O “básico” sobre os mercados… As bolsas da Europa continuaram no vermelho, após sessão negativa na Ásia. Nos EUA, as bolsas também operam em baixa. Ao redor das 14h, horário de Brasília, o índice S&P 500 recuava 1%. O dólar segue forte no exterior, e os juros das Treasuries recuam, diante da busca por proteção. Os papéis de 10 anos oscilam por volta de 2,81%. As commodities operam em baixa. O petróleo (brent) opera na casa dos US$74/barril. O índice VIX sobe ao redor de 25%, e oscila em 16,5 pontos. Na máxima do dia, chegou aos 17,7.

Sobre a situação italiana… Os juros dos títulos de 10 anos seguem em alta. Neste início de tarde, oscilavam ao redor de 3,16%. No início do ano, estavam ao redor de 2,02%. No final de abril, 1,78%. Isto mostra o grau de preocupação por lá. O veto do presidente Sergio Mattarella ao novo ministro das Finanças indicado pelos partidos radicais Movimento 5 Estrelas e La Liga – e que seria contrário ao Euro – aumentou o receio dos investidores. A intenção era evitar uma reação forte no mercado de juros como a de 2011-12. Isto não aconteceu. Aliás, enquanto o ex-FMI Carlo Cottarelli faz a função de primeiro ministro, a pedido de Mattarella, a perspectiva de novas eleições eleva o prêmio de risco. Afinal, estas podem culminar com maior tração dos partidos radicais e contrário ao Euro, em comparação com as eleições de março.

Nos EUA, dados fortes… O índice de confiança do consumidor foi para 128,0 pontos em maio, de 125,6 em abril. O número do mês anterior foi revisado para baixo (era 128,7). Independente disso, segue em patamar elevado. Além disso, o índice de atividade industrial do Fed de Dallas melhorou acima do esperado pelo mercado: passou de 21,8 em abril para 26,8 em maio. O mercado esperava 23,8.


BRASIL: ATENÇÕES AINDA VOLTADAS ÀS PARALIZAÇÕES (E À PETROBRAS).

Reação negativa dos mercados… Voltamos a enfatizar aquilo que dissemos pela manhã: “por enquanto, continuamos acreditando que é preciso cautela” . O dólar segue com viés altista, enquanto DIs são pressionados para cima. A percepção de risco, medida pelo CDS de 5 anos, segue em alta (~7%, ao redor das 14h25), por volta dos 206 pontos base. O Ibovespa se recupera, após queda forte de ontem, na contramão das bolsas internacionais. De qualquer forma, mantemos a perspectiva mais cautelosa no curtíssimo prazo. Nem o exterior, nem o cenário doméstico, parecem contribuir para uma melhora significativa, por enquanto.

Maia, Guardia, e o Planalto… O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), criticou a fala do ministro da Fazenda Eduardo Guardia. “O que ele fez ontem foi muito irresponsável num momento de crise. O movimento todo é de ter diminuição de imposto e ele fala o contrário. Ele sabe muito bem que no Congresso não aprovará aumento de impostos”, afirmou Maia. Hoje, Guardia negou que o governo subirá impostos para compensar a redução prometida no diesel.

Planos de Maia… Maia deve lançar no dia 9 de junho o seu plano de governo “Vamos recomeçar o Brasil”, em evento no RJ, para cerca de 2 mil pessoas. Aliás, o DEM também estuda lançar Eduardo Paes ao governo do RJ no mesmo evento. Vale registrar: na linha sucessória, Maia é que assumiria o país, caso Temer não termine o seu mandato, por qualquer razão (possibilidade que, embora extrema, começou a ser ventilada na mídia; hoje, na Folha, por exemplo). Parece-nos difícil que esta situação extrema se materialize. O mais provável, em nossa opinião, é que outras categorias se aproveitem da fragilidade atual do governo.

Sobre conferência da Petrobras… Marcada para as 14hrs, o presidente da empresa Pedro Parente afirma que continuará no posto; não haverá interferência na política de preços da empresa; continua o plano de desinventimentos (venda de refinarias e da Braskem, em especial) e; por último, espera uma solução para a cessão onerosa. Diante da preocupação dos estrangeiros, fizeram um resumo dos eventos recentes no país, tentando tranquilizar os investidores.


    Sobre as oscilações do pregão:

    Ibovespa: : +1,76%, aos 76.678 pontos;
    Real/Dólar: -0,33%, cotado a R$3,725;
    Dólar Index: +0,46%, 94,850;
    DI Jan/21: -02 pontos base; 8,810%;
    S&P 500: -1,42%, aos 2.683 pontos.

    *Por volta das 15h01, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

    Contatos

    Renda Variável*


    Luis Gustavo Pereira – CNPI
    [email protected]

    Equipe Econômica

    Ignácio Crespo
    [email protected]

    Lucas Stefanini
    [email protected]

    Rafael Gad
    [email protected]

    *A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
    “Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/10, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
    Ignacio Crespo Ignacio Crespo

    Economista

    Mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE), e graduado em Ciências Econômicas pelo INSPER. Foi professor assistente do Mestrado Profissional em Economia do INSPER, ministrando aulas sobre Macroeconomia e Política Monetária. De 2013 até agosto de 2018 atuou como economista-chefe da Guide Investimentos. Desde então, atua como consultor externo da Guide.

    342 visualizações

    relacionados

    Bitnami