Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Introdução: Hoje, não só as bolsas da Europa, mas também as de NY, seguem tendência positiva. Lá fora, o dia é favorável para ativos de risco, com os investidores repercutindo as vitórias de Trump. Ainda no radar do mercado, seguem o caso envolvendo a Catalunha. Para as commodities, o petróleo tem dia de alta. Por aqui, o Ibovespa avança, e se sustenta nos 76 mil pontos. No front político, os agentes de mercado acompanham os atritos no PSDB. Do lado macro, analistas digerem dados do IPCA-15.


CENÁRIO EXTERNO: MERCADOS MAIS FAVORÁVEIS.

Tudo no Azul. Os mercados europeus encerraram, majoritariamente, a sessão no campo positivo, enquanto as bolsas de NY ampliam seus ganhos. Hoje, por sinal, é mais um dia de máximas para os índices americanos. O índice S&P 500 e Dow Jones apresentam a 6ª alta consecutiva. Em suma, a tendência segue favorável para ativos de riscos lá fora. Alias, isto é algo que temos comentado com certa frequência nos últimos meses.

As maiores já vistas. A aprovação do orçamento fiscal americano pelo Senado, na noite de ontem, deu fôlego para os mercados externos. A proposta abre caminho para uma reforma tributária, uma das promessas de Trump. Hoje, o presidente americano voltou a demonstrar esperança com relação a uma aprovação da reforma tributária. Em seu twitter escreveu “Isto agora permite a aprovação de cortes de impostos de larga escala (e reformas) que serão as maiores do nosso país!“.

Uma agenda positiva… A agenda econômica dos EUA, embora em dia mais fraco de indicadores, trouxe números positivos. Registre-se: as vendas de moradias usadas avançaram 0,7% em setembro, quando comparado a agosto. O consenso esperava uma queda de 0,4% frente ao último mês. Seja como for, o dado contribuiu para os ganhos dos mercados.

Na Europa, a Catalunha. Hoje, Mariano Rajoy, primeiro ministro espanhol, ressaltou que anunciará, neste sábado, as medidas para impor um regime direto sobre a região da Catalunha. Aliás, especula-se que o governo de Rajoy e o principal partido da oposição, o PSOE, já entraram em acordo para realizar eleições em janeiro na região.

E o barril, segue firme e forte. A commodity segue avançando no campo positivo, com os investidores acompanhando os conflitos envolvendo Iraque e Curdistão. Por sinal, a semana é favorável para o petróleo, que acumula alta de 0,2%.


BRASIL: IBOVESPA, DÓLAR E DIS EM ALTA.

O Ibovespa segue em forte alta e permanece acima dos 76 mil pontos. O cenário externo, com viés ainda favorável para emergentes, além de um IPCA-15 de outubro em linha com o esperado pelo mercado, são fatores que impulsionam o índice doméstico.

Sobre Altas & Baixas… Os papéis das siderúrgicas são o destaque positivo do índice, após recuperação dos preços do minério de ferro. Usiminas, novamente, é a maior alta entre seus pares. As varejistas de comercio eletrônico seguem o mesmo movimento, se recuperando do “efeito Amazon” da última sexta. Na outra ponta, Localiza e JBS seguem pressionadas.

A briga continua. No PSDB, o senador Aécio Neves teria aceitado renunciar ao cargo de presidente do partido, porém, com uma condição: que junto também fosse afastado o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE). Aliás, parte dos representantes do PSDB não apoiou Tasso nessa briga. José Serra, Aloysio Nunes e João Doria já declararam que Tasso se precipitou ao pedir publicamente a renúncia de Aécio. Seja como for, o partido um novo nome para assumir o cargo.

Previdência no radar. Hoje, Michel Temer voltou a comentar sobre a reforma da previdência. “Se fizer reforma da Previdência com idade mínima e regra de transição já está bom“, disse o presidente. Para Temer, o ideal é que a previdência seja aprovada neste ano. Em entrevista, Temer deixou claro que irá consultar a bancada, novamente, e avaliar se é possível ou não aprova-la.

Inflação. Do lado “macro”, o mercado digere os dados do IPCA-15. Vale lembrar que o resultado avançou 0,34% no mês, praticamente em linha com o esperado. No ano, acumula alta de 2,25%. É a menor taxa acumulada até outubro desde 2006. Enfim, os dados não alteram as apostas do mercado de que o Copom corte a Selic em 0,75 p.p. na reunião da próxima semana (25).

Dólar & DIs… O dólar avança frente ao real nesta 6ª, em linha com o comportamento da moeda americana em relação aos emergentes e G-10. Os DIs também seguem a mesma tendência, em meio a cautela com o quadro político doméstico. Enfim, o cenário permanece com o observado mais cedo: “a bolsa se sustenta em meio a um ambiente positivo para ativos de risco lá fora“.

Rafael Gad Passos – Equipe Econômica


Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +0,57%, aos 76.717 pontos;
Real/Dólar: +0,52%, cotado a R$3,187;
Dólar Index: +0,44%, 93,679;
DI Jan/21: +04 pontos base; 8,870%;
S&P 500: +0,44%, aos 2.573 pontos.


*Por volta das 15h19, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Ignácio Crespo Rey
[email protected]

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/10, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Rafael Gad Passos Rafael Gad Passos

Equipe Econômica

Graduado em Administração de Empresas na ESPM. Possui certificação de Mercado de Ações (BMF&Bovespa). Possui experiência na área de análise do Banco Bradesco Investimentos e atualmente faz parte da equipe de Research da Guide Investimentos, com foco nas empresas do Ibovespa.

514 visualizações

relacionados

Bitnami