O ano de 2018 ficará lembrado como um ano onde a inércia predominou na política brasileira. Temer deixará o governo de forma bem mais discreta do que quando entrou. Após o fatídico episódio da delação da JBS em 2017, Temer perdeu de forma significativa o seu capital político e, por consequência, a sua capacidade de continuar a agenda do ajuste fiscal que tanto dependia de apoio parlamentar. A principal vítima foi a reforma da previdência que não avançou, e que poderia colocar fim a perversa dinâmica de aumento real dos gastos primários do governo federal nos próximos anos. Conforme o ano avançava, o governo atual ia aos poucos arrumando a mala e se preparando para passar o navio para a nova tripulação.

Leia o relatório!

1217 visualizações

relacionados

Bitnami