Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Introdução: O cenário é de menor aversão a risco no exterior, diante de uma “pausa” na guerra comercial entre EUA e China. O mercado está à espera de discursos do Fed. A maioria das bolsas sobe na Europa, após boa sessão na Ásia. O S&P futuro opera no azul, em meio à valorização do dólar, que continua. No Brasil, o BC anunciou nova atuação no mercado cambial, que tende a dar algum fôlego ao real, ao menos num primeiro momento. O mercado revisou o câmbio e o IPCA para cima para 2018 e 2019, segundo o Focus. Na política, MDB deve apresentar seu programa de governo para as eleições (3ª); Bolsonaro está hoje no RJ; e Ciro Gomes fala em sabatina às 10h. É dia de vencimento de opções sobre ações na B3.


CENÁRIO EXTERNO: GUERRA COMERCIAL EM “MODO DE ESPERA”.

O “básico” sobre os mercados… As bolsas têm alívio no exterior, e a maioria dos índices sobe na Europa. Na Ásia, a última sessão foi positiva: o Nikkei, no Japão, subiu 0,31%; enquanto o índice Hang Seng, da Coreia do Sul, subiu 0,60%. O dólar segue em tendência de valorização, frente a desenvolvidos e emergentes. Os juros de 10 anos nos EUA seguem altos, ao redor de 3,07%. Quanto às commodities: o petróleo se mantém em níveis altos (~US$78/barril); mas o minério de ferro, na China, recuou 2,42%, cotado a US$65,30/tonelada.

Uma trégua na guerra comercial… Repercute nos mercados a declaração feita pelo Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, americano neste domingo. Segundo ele, enquanto as negociações entre China e EUA prosseguem, haverá uma trégua na guerra comercial. Não está claro, no entanto, o quanto que esta situação – “em modo de espera”, segundo Mnuchin – pode durar. A China deverá concordar com Trump, que pretende reduzir de forma substancial o déficit comercial com os chineses. O secretário de Comércio, Wilbur Ross, visitará Pequim em breve.

Na agenda de hoje… Nos EUA, as atenções estarão voltadas aos discursos do Fed: Raphael Bostic (13h15); Patrick Harker (15h05) e Neel Kashkari (18h30). Pela manha (9h30), sai o índice de atividade do Fed de Chicago. Na semana, atenção à ata do FOMC (4ª, dia 23) e ao discurso do presidente do Fed, Jay Powell (6ª, dia 25).


BRASIL: BC TENTA CONTAR VOLATILIDADE DO CÂMBIO.

Em Brasília… Diversos prefeitos estarão na capital federal neste início de semana – uma oportunidade para que pré-candidatos ao Planalto exponham as suas ideias (2ª e 3ª). O MDB deve apresentar o seu programa de governo para as eleições (3ª), o chamado “Encontro com o Futuro”; Temer deve desistir oficialmente de sua candidatura e, assim, apoiar Meirelles na corrida. Enquanto isso, o governo tenta aprovar algumas medidas provisórias (MPs). É possível que deputados avancem com a MP 814, que reestrutura o setor elétrico, mas devem concentrar os esforços na votação do cadastro positivo, que teve o texto-base aprovado na última semana.

Uma pequena análise… Diante de um desempenho menos brilhante do que o esperado para a economia (oficialmente, o governo deve revisar para baixo, muito em breve, a projeção de crescimento do PIB deste ano, ainda em 3,00%), acreditamos que as perspectivas para o chamado “establishment” político não são das melhores. Meirelles, por exemplo, esperava que a melhora econômica fosse lhe dar um ânimo nas pesquisas. A sua estratégia agora é dizer que serve a “causas”, e não “partidos”.

Sobre a “esquerda”… Segundo matéria do O Globo deste domingo, o PDT, de Ciro Gomes, buscará primeiro alianças na “esquerda” para depois buscar o “centrão”. Alguns líderes do partido usam a frase de Leonel Brizola para falar da estratégia da sigla: “Na carroceria do caminhão cabe todo mundo, mas na boleia só quem se confia”. Assim, o PDT busca falar com PSB e PC do B. Isto, aos poucos, tende a deixar o PT mais isolado, que pretende insistir na candidatura de Lula.

BC reage à elevação de dólar… Na última 6ª (18), o BC soltou um comunicado, reagindo à depreciação cambial e anunciando maior intervenção no mercado. Basicamente triplica a oferta de swaps cambiais (o BC disponibilizará, ao invés de 5 mil, 15 mil novos contratos de swap cambial). Mais: pode fazer mais (“intervenções discricionárias”) e/ou revisar estas atuações, caso julgue necessário. Vale também dizer que o BC não deve reagir à elevação do dólar com juros mais altos (“não há relação ‘mecânica’ com o cenário externo”) – algo que começou a ser precificado no mercado.

Dados do CAGED… Em abril, foram criados 115,9 mil novos empregos formais, segundo dados do CAGED. Considerando a série com ajuste sazonal, o saldo foi de 9,2 mil vagas. Os números indicam uma melhora gradual do mercado de trabalho. Com viés mais positivo, podemos citar a elevação dos salários de admissão: nas comparações interanuais, subiram 2,3%.

Agenda de hoje… É dia de vencimento de opções sobre ações na B3. No front macro, destaque para o Boletim Focus, além da balança comercial semanal (15h). No front micro, (i) Petrobras estrutura nova captação de bônus no exterior; (ii) JBS tem rating elevado de B3 para B1 pela Moody’s e (iii) a Cesp, após TRF da 3ª Região derrubar liminar que suspendia o processo de renovação do contrato de concessão da Usina Hidrelétrica de Porto Primavera, pode retomar a sua privatização. Na política, Jair Bolsonaro (PSL) fala na Associação Comercial do RJ (11h30); e Ciro Gomes (PDT) fala em sabatina Folha-UOL-SBT a partir das 10h às 11h.

Boletim Focus… O mercado revisou o câmbio para o final de 2018 e 2019, agora em R$3,43 e R$3,45, respectivamente. Há 4 semanas, estavam em R$3,33 e R$3,40. O IPCA deste e do próximo ano também foi elevado, agora em 3,50% e 4,01%. A Selic para o final de 2019 manteve-se em 8,00%. O PIB deste ano deve crescer 2,50%, e 3,00% em 2019.

Recomendações de leitura… Em nosso blog, temos escrito textos sobre o cenário atual, que reforçam as nossas recomendações de alocação de recursos, além de outros comentários sobre economia, mercados e empresas. Num contexto de dólar mais alto e interrupção de cortes de juros, vale a leitura de 2 recentes textos: “Surpresa: uma Selic em 6,50%. E agora?” e “O que acontece com o dólar?”. Vale notar: embora esperemos um dólar mais comportado após anúncios do BC, ainda vemos o exterior, neste momento, como o principal motivo para a depreciação do real.

E os mercados hoje? Temos um viés mais positivo para os mercados locais. A bolsa tende a ter melhor desempenho, com viés de baixa em DIs e dólar. Aqui, a atuação do BC tende a contribuir para que o real se recupere um pouco, a despeito da tendência do dólar ainda ser de alta no exterior. O quadro externo é de menor aversão a risco neste momento. De qualquer forma, vale notar: o CDS de 5 anos operava em leve alta nesta manhã, por volta de 204 pontos base. Vale seguir mais cauteloso, em nossa opinião.

Ignacio Crespo – Economista

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,65%, aos 83.081 pontos;
Real/Dólar: +1,09%, cotado a R$3,737;
Dólar Index: +0,18%, 93,637;
DI Jan/21: +25 pontos base, 8,920%;
S&P 500: -0,25% aos 2.713 pontos.

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg


EMPRESAS:

Cesp: Privatização da Cesp avança
Impacto: Marginalmente Positivo.

Luis Gustavo Pereira – Estrategista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Maduro obtém reeleição contestada na Venezuela
– Apenas 8% dos PMs atacados saem ilesos em São Paulo
– Possível calote da Odebrecht ameaça R$ 47 bi de bancos
– Seleção vive a mesma realidade de uma empresa

O Estado de São Paulo
– Prisão temporária cresce depois de veto à coercitiva
– Maduro vence; opositor acusa governo de fraude eleitoral
– Movimentos de renovação esbarram na política “real”
– Barco com 25 africanos é salvo no Maranhão

O Globo
– Gastos com pessoal ameaçam ajuste fiscal do Rio
– Maduro rumo à reeleição: Voto constrangido
– Intervenção foca em milícia e desvio da PM
– MDB, PT e PSDB ficam com 30% dos fundos públicos para eleição

Valor Econômico
– Companhias estão menos vulneráveis à alta do dólar
– Trégua na disputa entre China e EUA
– Neoenergia critica Enel e governo
– Retomada abre espaço para greve

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Ignácio Crespo Rey
[email protected]

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/10, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Ignacio Crespo Ignacio Crespo

Economista

Mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE) e em Finanças pela Barcelona Graduate School of Economics (BGSE). Graduado em Ciências Econômicas pelo INSPER. Entre 2013 e 2018, atuou como economista da Guide Investimentos, cobrindo o mercado doméstico e os internacionais, e sendo um dos responsáveis do asset allocation dos clientes. Desde 2018, atua como consultor Guide Investimentos, cobrindo principais eventos do cenário internacional e escrevendo artigos semanais para o blog.

832 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami