Mercados Hoje: Todos contra o mito

tags Intermediário

Introdução: Baixa aversão ao risco prevalece no exterior. Investidores estão atentos aos balanços corporativos e ao aumento das reservas chinesas, mesmo com a desvalorização do yuan. A tensão comercial faz menos preço no mercado, enquanto os balanços nos EUA continuam a surpreender positivamente. Mercado chinês apresenta forte recuperação e anima investidores. No Brasil, saíram números fortes da Magazine Luiza e Marcopolo. No setor de energia, Taesa e AES Tietê divulgaram resultado do segundo trimestre. No front político, PT tenta fazer Haddad participar de debate. Jair Bolsonaro vira alvo dos adversários. Pauta no Congresso parece desenhada.


CENÁRIO EXTERNO: RESERVAS SOBEM NA CHINA; RESULTADOS SEGUEM FORTES;

O “básico” sobre os mercados… As bolsas na China tiveram forte alta de 3,2%, após 4 dias de fortes perdas. No exterior, as ações de mineradoras e fabricantes de veículos sobem forte, recuperando as perdas recentes, acumuladas com os receios de uma guerra comercial. Na Europa tudo azul, refletindo o melhor momento do mercado Asiático. Nos EUA, o S&P futuro sinaliza abertura positiva dos mercados. O dólar se enfraquece no mundo, após uma rodada de valorização. Commodities sobem na esteira da desvalorização do dólar. O minério de ferro subiu 0,45% na China, cotado a US$69,42/tonelada. O petróleo (brent) sobe, cotado na casa dos US$74/barril. Os juros das Treasuries estão próximos da estabilidade (10 anos ~2,94%).

Reservas sobem na China… As reservas chinesas em moeda estrangeira subiram no mês passado, mesmo com a desvalorização do yuan de mais de 8% desde a metade de abril. As reservas subiram US$ 5,52 bilhões para US$ 3,118 trilhões. A marcação à mercado dos títulos públicos americanos ajudaram no movimento. O aumento mostra que o Banco Central chinês não está usando as reservas para desvalorizar o yuan como fez em 2015. Adicionalmente, traz mais espaço de manobra (desvalorização da moeda chinesa) em retaliações contra restrições norte americanas.

Balanços fortes nos EUA… A surpresa positiva com os números das empresas norte americanas estão chamando a atenção com mais de 80% das empresas superando as projeções dos analistas. É a maior surpresa trimestral desde o quarto trimestre de 2009.

Companhias do S&P que apresentaram resultado acima do esperado

Na agenda de hoje… No front macro, agenda fraca. Às 11h sai a oferta de empregos, medido pela JOLTS e às 16h será divulgado o crédito ao consumidor. No front micro, mais balanços de empresas. Walt Disney divulga após o fechamento do mercado.


BRASIL: LULA NÃO PARTICIPARÁ DE DEBATE; ATA DO COPOM SEM NOVIDADES.

Revés de Lula… A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou ontem no final da tarde pedido de desistência de 1 dos recursos apresentados no STF e dessa forma evitou a discussão de inelegibilidade. A petição trata da suspensão da execução provisória da pena do petista. Se a tramitação do recurso prosseguisse poderia ser julgado ainda nesta semana. No julgamento o petista poderia já ter a inelegibilidade declarada. Sem isso, a candidatura só deve ser julgada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) após 15 de agosto.

Revés de Lula II… O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou o pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para participar do debate da TV Bandeirantes, marcado para quinta-feira. A juíza federal Bianca Georgia Cruz Arenhar, convocada para atuar na Corte, alegou que o pedido deveria ter sido feito para a primeira instância, responsável pela execução penal do líder petista. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi indicado vice. Uma ideia em discussão no PT é ir à Justiça Eleitoral com o pedido para que Haddad represente Lula no debate. O “plano B” do PT já está dando dores de cabeça.

Todos contra o Mito… De acordo com a Coluna do Estadão, os presidenciáveis vão fechar o cerco ao candidato Jair Bolsonaro (PSL). A expectativa de que Bolsonaro iria se desidratar com o avanço da campanha ainda não se confirmou e tem forçado seus adversários a arregaçar as mangas. Aliados de Henrique Meirelles (MDB) compartilham vídeos nos quais destacam falas polêmicas de Bolsonaro, como “mulheres devem ganhar menos do que os homens porque engravidam”, e situações de descontrole, como quando o deputado ofende a petista Maria do Rosário, cena reproduzida no vídeo. O adversário Geraldo Alckmin (PSDB) também vai mirar Bolsonaro. As campanhas avaliam que uma vaga no segundo turno é do candidato do PT, que tem eleitorado cativo. Por isso, deflagram a briga pela outra. Nos vídeos, Bolsonaro será vendido como “aventura”. Ataques ao vice Mourão também já começaram. Vamos ver se terá impacto nas próximas pesquisas.

E os Caminhoneiros? De acordo com a coluna do Drive, do jornalista Fernando Rodrigues, o plenário da Câmara pode iniciar nesta 3ª feira a análise de 4 medidas provisórias, duas negociadas pelo governo com os caminhoneiros em maio: (MP 831) que acaba com a exigência de licitação para contratos de transporte rodoviário de cargas para até 30% da demanda anual de frete da Conab. A MP perde a validade em 7 de outubro; (MP 833), que isenta de pedágio os eixos suspensos. A medida também vence em 7 de outubro; (MP 837), que institui indenização temporária para integrantes da Carreira de Policial Rodoviário Federal. A MP perde a validade em 11 de outubro; (MP 840), que cria cargos em comissão para a área de segurança pública. A medida expira em 18 de agosto, mas pode ter seu prazo renovado.

Tem que combinar com os russos… Além das discussões sobre as MP dos Caminhoneiros, a meta do Governo é o Senado aprovar: a Cessão Onerosa (permite à Petrobras negociar com outras empresas a exploração de petróleo no pré sal) e a venda de outras 6 distribuidoras da Eletrobrás. Na Câmara, a expectativa é aprovar o cadastro positivo e a lei geral do turismo. Vamos acompanhar se a oposição deixará a meta ser batida.

Anfavea: ritmo deve se manter… A produção nacional de autoveículos avançou 9,7% na comparação a julho de 2017, após subir 20,7% na comparação anual em junho. Com o ajuste sazonal, os dados apresentaram uma retração de 6,2% M/M em julho, com a média móvel trimestral recuando 3% ante ao avanço de 2,4% no mês passado. O resultado foi puxado por veículos leves, que totalizam 93% da produção, cuja recuou 6,8% na comparação mensal. A fabricação de veículos pesados teve um incremento de 3,9% M/M. Desconsiderando os resultados atípicos verificados entre abril e junho, observa-se um desempenho bastante semelhante ao primeiro trimestre, apresentando uma certa acomodação da produção automobilística nestes patamares. Os dados devem ficar em linha nos próximos meses, dado o ambiente de deterioração generalizada dos indicadores de confiança, agravado após a greve dos caminhoneiros.

E os mercados hoje? A baixa aversão ao risco pode beneficiar os ativos locais, mesmo com o movimento de leve alta da percepção de risco. O movimento de alta das Commodities e valorização das moedas de países emergentes contra o dólar devem favorecer o real. Nessa dinâmica, a curva de juros pode fechar (queda dos contratos DI). Na bolsa esperamos uma reação positiva, com algumas empresas apresentado números fortes.

 

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,47%, aos 81.051 pontos;
Real/Dólar: +0,78%, cotado a R$3,736;
Dólar Index: +0,21%, 95,358;
DI Jan/21: +00 pontos base, 8,850%;
S&P 500: +0,35% aos 2.850 pontos.

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg. *valores referentes à sessão do dia 31/05.


EMPRESAS:

Magazine Luiza: Surpreendendo mais uma vez
Impacto: Positivo.

Marcopolo: Números do 2º tri acima da expectativa do mercado
Impacto: Positivo.

Luis Gustavo Pereira – Estrategista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Lula desiste de soltura para evitar debate sobre eleição
– No Congresso, PSDB e centrão votam juntos e com Temer
– Demanda por robô cresce na indústria, mas adoção é baixa
– Rosa Weber decide que venezuelano pode entrar em RR

O Estado de São Paulo
– Recessão tira dos Estados R$ 278 bilhões em receitas
– ‘Haddad está em estágio probatório’, diz Gleisi
– Caixa tem a receber R$ 21 bi em empréstimos de alto risco
– Sanção dos EUA força empresas a deixar o Irã

O Globo
– Lula recua de recurso ao STF que pedia liberdade
– Vice de Bolsonaro ataca herança de índios e africanos
– Rio tem quase um assalto por hora no transporte público
– Nova regra para financiar imóveis pode ser antecipada

Valor Econômico
– Empresas já relatam ganhos com decisão sobre PIS/Cofins
– Receita da ECT cresce onde há concorrência
– Paz aumenta o desmatamento na Colômbia
– Investimento vai crescer no máximo 4%

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Luis Gustavo Pereira Luis Gustavo Pereira

Estrategista

Graduado em Administração de Empresas pela ESPM, com pós-graduação em Economia e Setor Financeiro pela USP e MBA em Finanças pelo INSPER. Tem mais de 8 anos de experiência no mercado financeiro. Atualmente, é o estrategista da Guide Investimentos.

149 visualizações

relacionados

Bitnami