Mercados Hoje: Semana da trégua?

tags Intermediário

Introdução: Repercutindo a divulgação da primeira alta do PMI Chinês em 4 meses, os mercados asiáticos fecharam sessões com ganhos nesta 2ª feira. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado abriram as negociações em alta, seguindo tendência de alta da Ásia – apesar dos novos dados do PMI alemão seguirem acusando contração do setor industrial. Em NY, o futuro do S&P também opera no verde, com investidores otimistas frente à nova rodada de conversas no front do trade war, com início nesta 4ª feira. O dólar, medido pelo DXY, se desvaloriza contra seus principais pares. No plano das commodities, ativos se movimentam com viés de alta, e o petróleo (brent) opera acima dos US$ 68,50. Para emergentes, o dia tem início positivo, com as divisas de México, Turquia e África do Sul se valorizando frente ao dólar. Aqui, a expectativa do encaminhamento da votação da reforma na CCJ para a semana que vem deve seguir impulsionando os ânimos do mercado.


CENÁRIO EXTERNO: ATIVIDADE NA GANGORRA

Mercados… Os mercados asiáticos fecharam sessões com ganhos nesta 2ª feira. As bolsas de Tóquio e Shanghai avançaram 1,4% e 2,6%, respectivamente. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado abrem as negociações em alta, seguindo tendência de alta da Ásia. O STOXX 600 avança 0,9% e o DAX, em Frankfurt, sobe 1,1% pela manhã. Em NY, o futuro do S&P opera no verde e o dólar, medido pelo DXY, se desvaloriza contra seus principais pares.

Sobe aqui… A atividade industrial da China deixou o terreno da contração nos índices PMI/Markit (com um registro de 50,8 em março contra 49,9 em fevereiro) e no dado oficial (50,5 em março ante 49,2 em fevereiro). Estas leituras indicam o primeiro crescimento da economia chinesa em 4 meses e já repercutiram de forma positiva nos mercados asiáticos e nos futuros de NY.

Desce ali… Na contramão da reação da atividade industrial na China, o PMI da Alemanha seguiu acusando contração no setor de manufatura. A leitura de março foi de 44,1 pontos, ficando abaixo da mediana das expectativas de mercado, de 44,7, e configurando o pior desempenho da indústria alemã em quase 7 anos.

Boa fé… Ontem, autoridades chinesas confirmaram que continuarão suspensas as tarifas adicionais sobre as importações de veículos e autopeças dos Estados Unidos, sinalizando boa vontade da sua parte após Trump já ter adiado as sobretaxas sobre importações chinesas. Nesta 4ª feira, a delegação chinesa chega a Washington para dar início a uma nova rodada de conversas sobre a relação comercial entre as duas maiores economias mundiais.

Na agenda… A primeira semana de Abril será repleta de indicadores de atividade que poderão ser usados como termômetros para a atividade econômica mundial. Na 4ª feira, o FMI divulga seu relatório sobre as perspectivas para a economia mundial e, na 5ª feira, o BCE publicará a ata da reunião de março, que deve confirmar a projeção de juro estável até o fim do ano. Por fim, na 6ª feira saem os dados de emprego dos EUA (payroll) de março, que devem registrar uma importante recuperação (+170 mil vagas) após uma leitura mais fraca em fevereiro (+20 mil vagas).


BRASIL: A SEMANA DA TRÉGUA?

Nada como um dia após o outro… Após o intenso tiroteio entre governo e legislativo na semana passada, tudo indica (pelo menos o noticiário) que o clima está mais tranquilo entre os figurões de Brasília.

Passou pano… Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da câmara já minimizou o contingenciamento que o governo federal fez no orçamento, e por consequência nas emendas parlamentares na semana passada.

Olhando os números… Em fevereiro, o setor público consolidado apresentou déficit de R$ 14,9 bilhões. Em 12 meses até fevereiro/19, o resultado primário do setor público consolidado é deficitário R$ 105,8 bilhões (1,5% do PIB). Para o ano, a meta do setor público consolidado é de -R$ 132 bilhões, composto por -R$ 139 bilhões do governo central, -R$ 3,5 bilhões de estatais federais e +R$ 10,5 bilhões de Estados e Municípios. O contingenciamento apresentado na semana passada, de R$ 36 bilhões, foi tomado de forma prudencial pelo Ministério da Economia, para garantir que a meta seja atingida.

Dá pra ganhar uns trocados a mais… Em termos de receitas extraordinárias, os três primeiros leilões realizados (portos, aeroportos e ferrovias) indicaram um apetite de investimentos pelo mercado e apesar de nem todos os contratos contarem com vultosos bônus de outorga pagos à vista, sinalizam um viés positivo para a conta de concessões.

Maia o realista… Fato é que o governo tem se frustrado com a arrecadação federal e precisa apertar os cintos para cumprir a meta fiscal de 2019. Interesses políticos envolvidos ou não, Maia tem sido uma ilha de realismo, pelo menos no tocante a questões fiscais.

Engata a primeira e bora… Quarenta dias após a entrega da reforma da Previdência ao Congresso Nacional, a tramitação da proposta de emenda constitucional (PEC) dará seus primeiros passos nesta semana, com a perspectiva de que a admissibilidade do texto seja aprovada pelos integrantes da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na terceira semana de abril.

Paulo Guedes vai à CCJ (finalmente)… O ministro irá amanhã (3ªF) na comissão, responderá os questionamentos e explicará a necessidade e a centralidade da reforma para a volta do crescimento econômico.

Sentiu… O mercado sentiu a primeira fisgada da previdência, enquanto o debate estava no campo técnico tudo ia bem e a bolsa incorporou o otimismo, batendo os 100 mil pontos. Bastou o primeiro desarranjo político para o índice perder quase 9.000 pontos em apenas uma semana.

Recuperou, porém… O Ibovespa que chegou a operar abaixo dos 92.000 nos piores dias da troca de tiro entre governo e congresso, liberou um pouco o risco e retornou para próximo dos 95.000 pontos.

Expectativas… No relatório focus divulgado hoje (vide tabela ao final), o IPCA para 2019 continua estável na mediana das expectativas do mercado, em 3,89%. O destaque negativo continua sendo o crescimento do PIB em 2019, que agora já está ao redor de 1,98%. A única mudança para 2020.

Agenda… O grande destaque da semana é a divulgação da PIM amanhã (4ªF), prevemos leve avanço na margem.

E os mercados hoje? Com a melhora no sentimento global, vemos um dia muito positivo para os ativos de risco aqui no Brasil. O prêmio de risco local, medido pelo CDS de 5 anos, recua -3,40% aos 172 pontos.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +1,09%, aos 95.414 pontos;
Real/Dólar: +0,49%, cotado a R$ 3,921;
Dólar Index: +0,08%, 97.284;
DI Jan/21: +0,03 pontos base, 7,140%;
S&P 500: +0,67% aos 2.834 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Escritório do Brasil em Jerusalém irrita palestinos
– Reforma garante privilégio para policiais e carcereiros
– Contra abuso, farda da PM de São Paulo terá câmera
– Suicídio de sobreviventes de massacre assusta EUA

O Estado de São Paulo
– Governo ainda não aprovou projeto próprio na Câmara
– Saneamento só deve chegar a todo o país após 2060
– Bolsonaro vai definir dois novos ministros para o TSE
– Planalto distribui vídeo em defesa do golpe

Valor Econômico
– Lucro das empresas dobra com cortes e novo cenário
– Cresce 15% a aprovação da reforma na Câmara
– Reforma deve incluir Estados, defende Zema
– Números já anunciam o “Século Asiático”

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

121 visualizações

relacionados

Bitnami