Mercados Hoje: Se já era difícil imagina com ele…

tags Intermediário

Introdução: Os mercados asiáticos tiveram mais um dia de sessões negativas. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado avançam e esboçam uma recuperação, após registrar perdas mais acentuadas no fechamento de ontem. Em NY, o futuro do S&P opera no verde, e o dólar (DXY) se mantém operando próximo à estabilidade. Na frente das commodities, ativos se movimentam em terreno positivo, também se recuperando das quedas desta 2ªF. Para emergentes, o dia é mais favorável, com as divisas de México, Turquia e África do Sul se valorizando contra o dólar. Aqui, o mercado deve se beneficiar com a melhora do cenário externo, mas a situação do governo, que segue se complicando, seguirá pesando sobre o ânimo dos investidores. com o esperado. Dólar e DIs mantém viés altista, reflexo do exterior.


CENÁRIO EXTERNO: UM “TOMA LÁ, DÁ CA” DE GENTE GRANDE

Mercados… Os mercados asiáticos tiveram mais um dia de sessões negativas. As bolsas de Tóquio e de Shanghai recuaram 0,6% e 0,7%, respectivamente. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado avançam e esboçam uma recuperação, após registrar perdas mais acentuadas no fechamento de ontem. Em NY, o futuro do S&P opera no verde, e o dólar (DXY) se mantém operando próximo à estabilidade. Na frente das commodities, ativos se movimentam em terreno positivo, também se recuperando das quedas desta 2ªF. Para emergentes, o dia é mais favorável, com as divisas de México, Turquia e África do Sul se valorizando contra o dólar.

Disputa acirrada… O início da semana ficou marcado pelo acirramento da disputa comercial entre China e Estados Unidos. Como resposta ao aumento de tarifas sobre produtos chineses pelos EUA, na última 6ªF, e às diversas ameaças feitas por Donald Trump ao longo do fim de semana, a China anunciou a elevação de tarifas sobre produtos americanos. As tarifas retaliatórias irão passar a vigorar a partir do 1º dia de junho, e deverão atingir cerca de US$ 60 bilhões em bens americanos.

Um “toma lá, dá ca” de gente grande… O mercado espera que governo americano divulgue maiores informações sobre o plano de impor uma tarifa adicional de 25% sobre o restante de produtos advindo da China – que representam aproximadamente US$ 300 bilhões. A despeito deste detalhamento, os mercados repercutiram de forma negativa o aumento das tensões entre as duas maiores economias do mundo, e as principais bolsas globais acumularam perdas relevantes na 2ªF.

Na agenda… Os principais destaques da agenda internacional foram as divulgações do índice de preços ao consumidor na Alemanha e dos dados de atividade industrial da Zona do Euro, ambos em linha com as expectativas do mercado – fato que reforça a visão de que a economia do Bloco vem se aproximando da estabilidade.


BRASIL: SE JÁ ERA DIFÍCIL COM ELE…

Se já era difícil com ele… O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, abandonou mais uma vez a articulação política conjunta com o governo, deixando o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, como responsável solitário de convencer parlamentear a votarem a favor das pautas do governo. O movimento de Maia ameaça a interlocução do governo dentro da Casa, e pode provocar o “tsunami” previsto por Jair Bolsonaro na última 6ªF, principalmente com a possibilidade da MP 870 caducar se não for aprovada até o dia 3 de junho.

Em prol dos relacionamentos… Esta decisão de Maia seguiu ataques dos filhos de Bolsonaro e apoiadores contra o Centrão, sem que o governo se mobilizasse para amenizar o conflito. Com isso, o movimento de Maia buscou evitar desgastes com os partidos do Centrão – o que de certo ainda virá a ser importante com tantas pautas importantes no Congresso.

Personalidade do Ano… O presidente Jair Bolsonaro viaja hoje aos EUA, onde receberá o prêmio de Personalidade do Ano (5ªF). O primeiro compromisso oficial de Bolsonaro será um encontro com Bush, já nesta 4ªF.

Ata do Copom… O BC divulgou a ata da reunião do COPOM dos dias 7 e 8 de maio e reiterou que os próximos passos da política monetária “continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e expectativas de inflação”. Mais: o BC ressaltou que o processo de recuperação gradual da economia sofreu interrupção e que o balanço de riscos para a inflação mostra-se simétrico.

Na agenda… O destaque da agenda econômica doméstica foi a divulgação da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), pelo IBGE. O volume de serviços registrou uma retração de -2,3% em relação a março de 2018, ficando bem abaixo da mediana das expectativas de mercado e reforçando a fraqueza da atividade econômica brasileira.

E os mercados hoje? A melhora do cenário externo deve dar fôlego ao mercado doméstico, mas as complicações enfrentadas pelo governo podem impedir uma recuperação. Com isso, esperamos um dia com viés neutro/negativo para os ativos de risco brasileiros.

E os mercados hoje? O ambiente externo desfavorável, combinado à incerteza em torno da MP 870, devem prejudicar o desempenho do mercado doméstico. Por isso, vemos o dia com viés negativo para ativos de risco brasileiros. O prêmio de risco-país brasileiro, medido pelo CDS de 5 anos, avança 1,0%, e já beira os 175 pontos base.


POLÍTICA: JUSTIÇA AUTORIZA QUEBRA DE SIGILO DE FLÁVIO BOLSONARO

O Ministério Público do estado do Rio de Janeiro autorizou a quebra de sigilo bancário do Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), seu antigo motorista Fabricio Queiroz e outros 88 assessores e familiares. A investigação é consequência do monitoramento de transações suspeitas registradas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), que encobriu transações atípicas no valor de R$ 1,2 milhão na conta bancária de Queiroz. A quebra de sigilo bancário abrange o período de 2007 a 2018, o período durante qual Queiroz ocupava cargo no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -2,69%, aos 91.726 pontos;
Real/Dólar: +0,97%, cotado a R$ 3,9938;
Dólar Index: -0,01%, 97.319;
DI Jan/21: +4 pontos base, 6,920%;
S&P 500: -2,41% aos 2.881 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Governo reduz projeção do PIB e pode cortar R$ 10 bi
– Justiça quebra sigilo de Flávio Bolsonaro e ex-assessor
– Testemunha cita irmão de ministro em caso de laranjas
– Doria diz que provará na Justiça não ter excedido em publicidade

O Estado de São Paulo
– China e EUA acirram guerra comercial e derrubam bolsas
– Em delação, dono da Gol cita ‘benefícios’ a Rodrigo Maia
– Justiça quebra sigilo de Flávio e Queiroz, afirma jornal
– Concessões de rodovias terão pedágio flexível

Valor Econômico
– China taxa produtos dos EUA e agrava o conflito comercial
– Klein e XP se aliam por Via Varejo
– SulAmérica compra 25% da Órama
– Nova autarquia regulará mercado de R$ 1,9 tri

O Globo
– Justiça quebra sigilo de Flávio, Queiroz e mais 93
– Dono da Gol relata propina a Temer e outros emedebistas
– Moro nega acordo por vaga no STF
– Bancada da bala quer armas na Alerj e na Câmara

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]guideinvestimentos.com.br

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

208 visualizações

relacionados

Bitnami