Mercados Hoje: Rufando os tambores (pela previdência)

tags Intermediário

Introdução: Mercados mundiais esboçam dia de baixa aversão ao risco, seguindo sessões positivas na Ásia. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado abriram em terreno positivo. Em NY, o futuro do S&P também opera no verde, e o dólar (DXY) se mantém próximo da estabilidade. No front das commodities, preços se movimentam sem direção única. Para emergentes, a semana começa em tom mais positivo, com as divisas de Argentina, México e África do Sul se valorizando contra o dólar.


CENÁRIO EXTERNO: ATIVIDADE EM FOCO

Mercados… Mercados mundiais esboçam dia de baixa aversão ao risco, seguindo sessões positivas na Ásia. As bolsas de Tóquio e de Shanghai registraram altas de 0,5% e 1,9%, respectivamente. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado abriram em terreno positivo. O STOXX 600 avança 0,3% e o DAX, em Frankfurt, sobe 0,4%. Em NY, o futuro do S&P também opera no verde (+0,2%), e o dólar (DXY) se mantém próximo da estabilidade.

Payroll conflitante… Divulgados na última 6ª feira, os dados de emprego americanos acusaram uma criação de 20 mil vagas no mercado de trabalho em fevereiro – numero que veio bem abaixo da mediana das expectativas de mercado, de 180 mil vagas (Bloomberg). Esse resultado é o mais baixo desde setembro de 2017 e pôs um fim a uma sequencia de fevereiros de fortes contratações nos Estados Unidos. Em contraste, o registro de um crescimento interanual de 3,4% dos salários veio acima do esperado (3,3%, segundo a Bloomberg), e a taxa de desemprego recuou para 3,8%. Comentamos o dado no nosso Flash Macro divulgado na sexta-feira.

Semana cheia… A atenção dos investidores segue voltada para os focos de desaceleração global, em semana cheia de indicadores de atividade nas maiores economias mundiais. Nos EUA, teremos a divulgação das vendas no varejo hoje – dado que o presidente do Fed disse estar acompanhando de perto, à espera de um resultado forte frente uma queda de 1,2% em dezembro. Em seguida, ainda nos Estados Unidos, saem os números de inflação ao consumidor (CPI) já nesta 3ª feira, a produção industrial de fevereiro (Fed) e os dados de confiança do consumidor (Michingan) na 6ª feira. Na Zona do Euro, os destaques desta semana serão a divulgações do CPI a Alemanha (5ª feira) e do Bloco consolidado (6ª feira).


BRASIL: PREVIDÊNCIA RUFANDO OS TAMBORES

Foi para cima… O Palácio do Planalto começa atrasado na guerra pela Previdência. A dois dias da instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o presidente Jair Bolsonaro ainda busca consolidar o apoio da base aliada na Câmara dos Deputados. Para conseguir aprovar a reforma da Previdência, o Palácio do Planalto luta para intensificar as articulações e as negociações que, para lideranças, seguem desajustadas.

Rufam os tambores pelo futuro do país… A reforma é ponto necessário para que o país volte a crescer e as contas públicas voltem a ter o mínimo de equilíbrio ao longo do tempo. O país, mercados e políticos seguiram apreensivos agora que o grande número do governo Bolsonaro se inicia de forma mais intensa.

Óleo nas engrenagens políticas… Com a retomada das atividades no Congresso , após o fim do carnaval, os partidos começam a apresentar nesta segunda-feira suas indicações para ocupar as comissões da Câmara dos Deputados . As nomeações serão um teste para a capacidade de articulação do governo, que espera que as legendas da base indiquem parlamentares alinhados com as propostas do Planalto, principalmente no tocante a reforma da previdência.

Cargos são o óleo que mantém a máquina política do governo… Jair Bolsonaro deverá remodelar a esplanada dos ministérios, fazendo uma espécie de mini-reforma ministerial para acomodar os interesses de partidos aliados, que usam os ministérios como moeda de troca pelo apoio na previdência. O mesmo já está acontecendo em cargos do segundo e terceiro escalão.

Boa notícia… Apesar de ser um toma lá dá cá, o governo demonstra que tem alguma capacidade de acomodação em relação à ‘velha’ política. Boa notícia para a tramitação da previdência.

O risco CCJ… Um dos principais fatores de riscos no timing da votação da previdência é a instalação da CCJ, caso a mesma não seja instalada até o fim desta semana, um atraso grande poderia ser imposto a reforma, que poderia ser votada apenas no segundo semestre.

Porém, deve ser instalada essa semana… Na sexta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que as principais comissões devem ser instaladas na quarta-feira, como Constituição e Justiça (CCJ), Finanças e Tributação, Educação e Segurança Pública.

Sobre o real… Na curta semana passada, a moeda nacional sofreu com a pressão externa e em menor medida com as declarações do Presidente. Porém é o doméstico que ainda mantém o real abaixo dos R$4,00, no curto prazo. Excluindo os fatores domésticos, a nossa moeda deveria valer algo em torno dos R$4,01. Acreditamos em alguma acomodação no processo de aversão ao risco global, que deverá trazer algum fôlego extra para os emergentes, portanto, ajudando o real a se valorizar. O pequeno movimento de estresse foi temporário.

Expectativas… No relatório Focus divulgado a pouco, a mediana das expectativas mudou um pouco para pior, o IPCA subiu de 3,85%, no acumulado em 12m para o final do ano, para 3,87%. O crescimento do PIB foi revisto de 2,30% para 2,28%, confirmando a nossa visão de que está em curso um processo de revisão das expectativas para o crescimento da economia em 2019. Para 2020 a única mudança foi a revisão para cima do PIB, de 2,70 para 2,80%, é a quarta semana seguida que o número é revisto para cima, o que indica que o mercado está transferindo o crescimento de 2019 para o próximo ano, mostrando que a economia só deverá ganhar tração a partir do 3T2019.

Na agenda… A agenda doméstica também tem semana repleta de indicadores. Amanhã, sai o IPCA de fevereiro, seguido pela PIM (IBGE) na 4ª feira, a PMC (IBGE) na 5ª feira e a PMS (IBGE) na 6ªfeira.

E os mercados hoje? Com a melhora na aversão ao risco nos mercados globais, vemos um dia positivo para os ativos de risco locais. Bolsa e câmbio devem se valorizar e juros devem fechar um pouco do prêmio que se acumulou ao longo da semana passada.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +1,09%, aos 95.364 pontos;
Real/Dólar: -0,28%, cotado a R$ 3,865;
Dólar Index: +0,01%, 97.315;
DI Jan/21: -0,05 pontos base, 7,140%;
S&P 500: -0,21% aos 2.743 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
–  Em SP, merenda volta a priorizar industrializados
– Avião cai com 157 pessoas a bordo; não há sobreviventes
– Vídeo contradiz versão de que Maduro teria incendiado ajuda
– Nos EUA, Bolsonaro terá jantar com os expoentes da direita

O Estado de São Paulo
– Servidores pressionam Congresso para barrar reforma da Previdência
– Justiça apura candidaturas ‘laranjas’ em cota feminina
– Brasil e EUA fecham acordo sobre base de Alcântara
– Produtividade da economia fica estagnada

Valor Econômico
– Empresas elevam pedágios e não duplicam rodovias
– Sonegadores têm vantagem competitiva
– Estados terão ajuda durante as reformas
– Petrobras e concorrentes fazem planos divergentes

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

177 visualizações

relacionados

Bitnami