Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Quando a realidade supera a ficção

Introdução:

Internacional
• Mercados globais iniciam o dia com altas moderadas;
• Sinais de que uma nova leva de políticas estimulativas à atividade econômica está por vir beneficia bolsas europeias;
• Dados de atividade na China e na Europa reforçam quadro preocupante da economia global;
• Investidores avaliam divulgação do índice cheio do PCE de agosto nos Estados Unidos.

Brasil
• O mercado doméstico reage à votação polêmica no STF;
• STF abre caminho para anulações de sentenças da Lava Jato;
• Impacto sobre Lula ainda não foi definido;
• Rodrigo Janot faz revelação surpreendente;
• PNAD-Contínua deve continuar apontando para queda no desemprego.


CENÁRIO EXTERNO: MAIS DINHEIRO ESTÁ POR VIR

Mercados… Bolsas asiáticas encerraram mistas, com investidores avaliando a divulgação de dados de atividade fracos na China. Na contramão, índices de mercado europeus já iniciam o dia com viés positivo, e o índice pan-europeu, STOXX 600, avança 0,6% até o momento. Em NY, índices futuros também operam no verde, e o dólar (DXY) anda de lado, mantendo um patamar elevado contra seus principais pares. No tocante às commodities, ativos revertem movimento positivo verificado na última sessão. O petróleo (Brent crude) registra queda de 1,5%, negociado próximo dos US$ 61,80/barril.

Mais dinheiro nos mercados… Bolsas globais iniciaram mais um dia em terreno positivo, refletindo sinais de que uma nova leva de políticas estimulativas à atividade econômica está por vir. Ontem, os mercados europeus intensificaram ganhos após a França revelar novos cortes de imposto com objetivo de impulsionar a economia. Junto a isso, a declaração de um oficial do banco central do Reino Unido de que cortes na taxa de juros serão necessárias após o Brexit, mesmo que um acordo seja firmado com a União Europeia, contribuiu para o bom humor das bolsas na manhã desta 6ªF.

Mas o quadro é o mesmo… Os mercados avançam na expectativa de mais suporte dos governos e dos bancos centrais, mas o quadro da economia global segue bastante debilitado. Na noite de ontem, o Escritório Nacional de Estatísticas da China (NBS, na sigla em inglês) mostrou que os lucros da indústria chinesa recuaram cerca de 2% em agosto, devolvendo grande parte do avanço de 2,6% registrado em julho. A piora no mês reflete uma queda nos preços no último mês, fato que pressionou ainda mais o setor que mais vem sentindo os efeitos negativos da disputa comercial com os EUA. Hoje, na Zona do Euro, a divulgação do indicador de confiança na economia divulgado pela Comissão Europeia mostrou que a expectativa para o desempenho da indústria está nos níveis mais baixos em quase 6 anos, corroborando com a situação delicada que o bloco vive. Os destaques negativos da leitura foram a Alemanha e a Itália, que perdem mais com a situação de incerteza no plano do comércio internacional, uma vez que suas economias são muito dependentes de exportação.

Impeachment ofusca guerra comercial… No pano de fundo, investidores acompanham os novos desenvolvimentos em torno do inquérito de impeachment contra Donald Trump nos EUA. A divulgação de um documento que ilustra a preocupação de oficiais da Casa Branca sobre a conversa que o presidente americano teve com o líder da Ucrânia parece ter aberto novas portas para que o processo siga no Congresso. Apesar de não sugerir nada concreto, a abertura desta nova “etapa” do mais novo conflito político dos EUA foi o suficiente para ofuscar a notícia de que a próxima rodada de negociações de alto escalão com a China está prevista para a semana que tem início no dia 7/10, levando as bolsas americanas a encerrarem em baixa na sessão de ontem. Hoje, o mercado deve seguir acompanhando o noticiário em torno do tema, que vem gerando preocupação adicional desde o início da semana.

Na agenda… Nos EUA, o principal destaque da agenda será a divulgação do PCE (9h30), a medida de inflação preferida pelo Fed. A previsão para o núcleo do indicador (medida que exclui os componentes mais voláteis do índice) é de 1,8%, avanço de 0,2% em relação a julho mas ainda abaixo da meta do banco central americano, de 2%.


BRASIL: QUANDO A REALIDADE SUPERA A FICÇÃO

(Quase) Todos contra a Lava Jato… Ontem, os ministros do STF determinaram que réu delatado tem direito a última palavra, abrindo caminho para anulações de uma serie sentenças resultantes da operação Lava-Jato. Somente 3 dos ministros (Fachin, Barroso e Fux) votaram contra. Ainda restam os votos de dois ministros, Melllo e Toffoli. O presidente do STF ainda não proferiu a sua decisão oficialmente, mas já adiantou que votará a favor da impunidade. De qualquer forma, o placar já está definido.

Mais na quarta-feira… A sessão foi suspensa por Toffoli e será retomada no dia 02/10. A determinação já foi estabelecida, mas o escopo e o seu impacto ainda serão discutidos quando a questão for retomada na semana que vem.

Lula Livre? Ainda não se sabe qual será o impacto da decisão do STF sobre as duas condenações do ex-presidente. O mais provável é que Lula possa recorrer da decisão do tríplex de Guarujá, por que nesta sua equipe solicitou mais tempo para alegações finais em primeira instância. O mesmo não foi feito durante o decorrer do caso do sítio de Atibaia. Mas isso é tudo conjetura. O impacto definitivo sobre as condenações só será definido na semana que vem.

O silêncio de Bolsonaro… O presidente, que foi eleito sobre o pretexto do combate à corrupção e surfou a onda do antipetismo até o Palácio da Alvorada, não se manifestou sobre a decisão nas mídias sócias. O seu filho, Eduardo Bolsonaro (PSL- SP), que à menos de um ano brincava sobre “fechar o STF…com um cabo e um soldado” também não comentou a decisão.

Rodrigo Janot admite que pretendia assassinar Gilmar Mendes… O ex-procurador geral da República admitiu, ontem (25), em entrevista concedida ao jornal Estado de SP, que entrou armado no plenário do STF com a intenção de assassinar o ministro Gilmar Mendes e se suicidar em seguida. Durante a conversa, onde Janot promoveu o seu livro, Nada Menos Que Tudo, o procurador esclareceu “Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele (Gilmar) e depois me suicidar”, afirmou o antigo PGR. O episódio aconteceu após a apresentação de uma exceção de suspeição contra Gilmar, relacionado a um habeas corpus de Eike Batista. O ministro do STF rebateu a suspeição do PGR com críticas à atuação da filha do procurador, Letícia Ladeira Monteiro de Barros, levando Janot a tramar o assassinato, que só foi impedido “pelas mãos de Deus”.

Na agenda… O dia tem agenda cheia: o IGP-M, às 8h, deve seguir em queda em setembro: -0,14% (Bloomberg). Em seguida, após os dados fortes do Caged em agosto, taxa de desemprego da Pnad contínua (9h) deve mostrar uma queda no desemprego de 11,8% em julho para 11,6% em agosto. Por fim, às 14h30, o resultado primário do Governo Central deve registrar um déficit primário de R$ 17,250 bilhões em agosto, quase o triplo do saldo negativo de julho, de R$ 5,99 bilhões.

E os mercados hoje? Lá fora, bolsas começam o dia com altas moderadas, sem grandes drivers positivos. No Brasil, o mercado pode se beneficiar marginalmente da melhora no exterior, melhora que deve ser ofuscada pelo ruído político após votação de ontem no STF. Com isso, esperamos um dia com viés negativo para o mercado acionário local, condicionado ao noticiário em torno do novo obstáculo enfrentado pela Lava-Jato.

 

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +0,80%, aos 105.319 pontos;
Real/Dólar: -0,51%, cotado a R$ 4,16;
Dólar Index: +0,71%, cotado a 99.037;
DI Jan/21: -4 pontos base, 4.97%;
S&P 500: -0,24% aos 2.977 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
– Câmara acerta com Senado dividir pauta econômica
– Fui armado ao Supremo para matar Gilmar, diz Janot
– Aras julgará Dallagnol em outubro e pode impor a ele primeira derrota
– Lava Jato manipulou impeachment de Dilma, afirma Aloysio Nunes, do PSDB

O Estado de São Paulo
– Com receio de boicote, frigoríficos vão fazer ofensiva contra ‘efeito Amazônia’
– Janot: ‘Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele (Gilmar) e me suicidar’; ouça o áudio
– Caixa Econômica pede a extinção da recuperação judicial da Odebrecht
– Entendimento do STF impõe enorme derrota para Lava Jato e pode anular suas condenações

Valor Econômico
– Salário mínimo não terá mais aumento real
– Maioria do STF aprova tese que permite anular sentenças da Lava-Jato
– Acusação de delator agrava situação de Trump nos EUA
– Piketty: Chegou a hora de distribuir melhor a riqueza

O Globo
– Decisão do STF pode anular as sentenças da Lava-Jato; entenda
– Rock in Rio 2019 começa nesta sexta, equilibrando-se entre o moderno e o vintage
– ‘Alcolumbre procura agradar a todos, e não adianta’, diz Simone Tebet
– Nova fase da Lava-Jato mira doleiros e gerentes do Banco do Brasil

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
164 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami