Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Parlamentares assumem a pauta

Introdução: Os mercados asiáticos tiveram mais um dia de sessões mistas, com o tema principal sendo a tensão em torno da guerra comercial. Na Zona do Euro, os principais índices acionários avançam, esboçando uma recuperação parcial, após registrarem perdas mais acentuadas ontem. Em NY, o futuro do S&P também opera no positivo, e o dólar (DXY) ganha força contra os seus principais pares. Na frente das commodities, ativos se movimentam sem direção única. O petróleo (Brent) opera próximo à estabilidade, negociado acima dos US$ 72,20/barril. Para emergentes, o dia é menos favorável, com divisas de México, Turquia e África do Sul se desvalorizando contra o dólar. Aqui, a mudança de postura de Bolsonaro frente ao Congresso melhora a perspectiva para a votação de pautas governistas, só resta saber se isso será suficiente para aliviar a tensão entre os Poderes.


CENÁRIO EXTERNO: CHINA JÁ SINALIZA NOVA RETALIAÇÃO

Mercados… Os mercados asiáticos tiveram mais um dia de sessões mistas, com a tensão em torno da guerra comercial ainda pesando sobre o ânimo dos investidores. Na Zona do Euro, os principais índices acionários avançam, esboçando uma recuperação parcial após registrarem perdas mais acentuadas ontem. Em NY, o futuro do S&P também opera no positivo, e o dólar (DXY) ganha força contra os seus principais pares. Na frente das commodities, ativos se movimentam sem direção única. O petróleo (Brent) opera próximo à estabilidade, negociado acima dos US$ 72,20/barril. Para emergentes, o dia é menos favorável, com divisas de México, Turquia e África do Sul se desvalorizando contra o dólar.

Vai ter volta… Segundo o embaixador chinês em missão na UE, após decisão do governo americano de proibir a operação da gigante de tecnologia chinesa, Huawei, nos EUA, não deve demorar para que haja uma resposta por parte da China. Segundo Ming, os direitos e interesses da companhia chinesa estariam sendo ignorados e, portanto, o governo chinês deverá adotar medidas para que isso seja acertado. A crescente tensão entre as duas maiores economias globais já causa preocupação a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que ressaltou os riscos na divulgação do seu último relatório sobre a perspectiva para a economia mundial.

Na agenda… Em dia de agenda morna, o destaque será a divulgação do indicador de confiança do consumidor na Zona do Euro, às 11h.


BRASIL: MUDANÇA DE DISCURSO (EM CIMA DA HORA)

Mudança de Discurso… Após acirrar o desgaste entre os poderes Executivo e Legislativo, ao repetir que o grande problema do Brasil é a classe política, em discurso na Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), o presidente Jair Bolsonaro mudou o tom no lançamento da campanha da reforma. Nesta ocasião, Bolsonaro acenou ao Congresso, exaltando o trabalho dos Parlamentares e reforçando o compromisso da Casa com o futuro do Brasil.

Conselheiros do presidente… A mudança de postura do presidente se deu após uma reunião no final da tarde desta 2ªF, em que o núcleo moderado do Palácio do Planalto o notificou que as suas declarações elevaram a tensão e aumentaram o risco de aprovação de pautas do governo.

A lista é extensa… Bolsonaro precisa angariar votos para aprovar 11 MPs no Congresso, todas prestes a expirar. O foco tem ficado sobre a MP 870, da reforma administrativa, que perde a validade se não for aprovada até o dia 3 de junho. Caso isso aconteça, o número de pastas vai dos 22 atuais para 29, como era na gestão do governo de Michel Temer.

E vai ficando em cima da hora… Insatisfeitos com os ataques do presidente, líderes partidários reclamaram à Casa Civil que já estaria inviabilizada a votação de MP 870 nesta semana, o que deixa pouco mais de uma semana para que ela ocorra antes da medida caducar. Dentro desse contexto, a liderança do Governo no Congresso está em cheque. Leia-se o posto de Major Vitor Hugo.

Mais Contingenciamento… O Ministério da Economia divulgará, amanhã (22), o mais recente Relatório Bimestral de Receitas e Despesa, referente ao quarto bimestre de 2019. De autoria do Executivo, o relatório possibilita o acompanhamento do cumprimento- ou não comprimento- da meta fiscal. O documento deve relatar dois desenvolvimentos negativos. Primeiro, o documento deve confirmar os dados já adiantados (14) por Paulo Guedes, na Comissão Mista de Orçamento (CMO), que a expectativa de crescimento do PIB do Governo foi diminuída para 1,5%. Além da redução da projeção do PIB, a redução de receitas deve resultar em novos cortes orçamentários.

Cortes Mais Amenos… O contingenciamento, que tem como intuito garantir o cumprimento da meta do déficit primário, deve ser mais ameno que os anteriores (entre R$ 2 e 3 bilhões).

Simplificação de tributos… A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara deve votar, amanhã (22), o parecer favorável ao projeto de lei da reforma tributária. A proposta foi concebida pelo economista e antigo secretário de Política Econômica durante o governo do presidente Lula, Bernard Appy. O antigo secretário propõe a criação de imposto singular, o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). O projeto pretende unificar 5 tributos independentes, incluindo três tributos federais (ICMS, PIS e Cofins), um estadual (ICMS) e outro municipal (ISS). Segundo o economista, o projeto resultaria 10% a mais de crescimento do PIB em um horizonte de 15 anos.

Na agenda… Não existem indicadores relevantes a serem divulgados no dia de hoje. Já na agenda política, teremos mais um dia cheio, com Bolsonaro recebendo os ministros na Alvorada para a tradicional reunião do Conselho de Governo. Além disso, governistas buscam votar a MP das aéreas hoje.

E os mercados hoje? A melhora do cenário externo combinada ao alívio (pelo menos aparente) entre os Poderes deve beneficiar a recuperação dos mercados domésticos. O risco-país do Brasil, medido pelo CDS de 5 anos, recua 1,0%, se aproximando dos 181 pontos base. Com isso, esperamos um dia com viés neutro/positivo para ativos de risco brasileiros.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: : +2,17%, aos 91.946 pontos;
Real/Dólar: -0,07%, cotado a R$ 4,0958;
Dólar Index: -0,06%, 97.933;
DI Jan/21: -8 pontos base, 6,970%;
S&P 500: -0,67% aos 2.840 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Bolsonaro critica políticos e depois acena ao Congresso
– Janaina diz que colegas estão cegos e sinaliza saída do PSL
– Governador da BA defende pagar por faculdade pública
– EUA adiam sanções após Google anunciar veto à chinesa Huawe

O Estado de São Paulo
– Aliados de Bolsonaro buscam adesão a atos de rua no domingo
– Depois de ‘empoderar’, WhatsApp divide caminhoneiros
– Mudanças na reforma a partir de projeto do governo
– Covas vai pagar bolsa-trabalho na Cracolândia

Valor Econômico
– Para economistas, efeito do corte de juros será limitado
– Brasil perde a ‘corrida’ do PIB per capita
– Cobrança de IOF em exportação preocupa o setor industrial
– OCDE alerta para o ‘risco China’

O Globo
– Após críticas, Bolsonaro faz aceno ao Congresso
– Brigas internas causam escalada de tensão no PSL
– Decreto libera venda de fuzil a qualquer cidadão
– Saída da Avianca vai piorar a vida dos viajantes

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

255 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami