Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Novos estímulos no radar

tags Intermediário

Introdução: Mercados asiáticos operaram com viés negativo nesta 4ªF; Na Europa, os principais índices de mercado oscilam pouco, sem grandes destaques; Em NY, futuros operam no verde, esboçando uma abertura positiva para as bolsas de Wall St., e o dólar (DXY) avança contra seus principais pares; Donald Trump volta a lembrar investidores de que o impasse com a China está longe de ser resolvido; O Fed divulga o seu livro bege, às 15h; Mario Draghi discursa em reunião do G7; O petróleo (Brent crude) avança 0,9%, seguindo queda mais acentuada na tarde de ontem, e é negociado próximo dos US$ 65,00/barril. No Brasil, o noticiário político segue reduzido, com o Congresso se preparando para o recesso parlamentar, e o movimento no exterior deve predominar como principal direcional para o mercado doméstico; Paulo Guedes defende novas medidas para estimular o consumo no curto prazo.


CENÁRIO EXTERNO: TENSÕES PERSISTEM

Mercados… Mercados asiáticos operaram com viés negativo nesta 4ªF. As bolsas de Tóquio e de Shanghai recuaram 0,3% e 0,2%, respectivamente. Na Europa, os principais índices de mercado oscilam pouco, sem grandes destaques. O DAX (Frankfurt) e o FTSE londrino registraram pouca variação desde o início da sessão. Em NY, futuros operam no verde, esboçando uma abertura positiva para as bolsas de Wall St., e o dólar (DXY) avança contra seus principais pares. Na frente das commodities, ativos se movimentam sem direção. O petróleo (Brent crude) avança 0,9%, seguindo queda mais acentuada na tarde de ontem, e é negociado próximo dos US$ 65,00/barril.

Tensões persistem… Depois de firmar uma trégua temporária com o presidente chinês no mês passado, o presidente americano, Donald Trump, voltou a reforçar que o EUA ainda tem o restante dos US$ 325 bilhões em produtos advindos da China para impor novas tarifas caso ele queira. Durante a reunião do G20 no Japão, Trump prometeu postergar a elevação de tarifas sobre importações chinesas, e declarou que em troca a China havia concordado em adquirir grandes quantidades de produtos agrícolas americanos, fato que ainda não se concretizou. Na semana passada, Trump já havia chamado atenção dos chineses sobre o assunto, e agora volta para relembrar investidores que o impasse comercial está longe de ser resolvido. Repercutindo a nova ameaça, bolsas americanas apagaram ganhos e encerraram sessões de ontem no vermelho.

Powell crê na reação dos preços… O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, voltou a reforçar que aumentaram as incertezas em torno do crescimento da economia americana na 3ªF. De modo geral, Powell deixou claro que vê a inflação a níveis baixos nos Estados Unidos, e admitiu que o dado possa demorar para convergir para a meta de 2%. Apesar disso, o presidente do BC americano disse confiar que a solidez do mercado de trabalho eventualmente promoverá uma reação dos preços. Investidores levaram o depoimento do presidente do Fed como menos dovish do que os seus depoimentos durante sua visita ao Congresso e ao Senado, na semana passada, esvaziando as apostas em uma ação mais agressiva (50bps), enquanto as bolsas caíam e o dólar voltava a ganhar força.

Na agenda… O destaque da agenda internacional será a divulgação do Livro Bege do Fed, às 15h, que transmitirá a visão que os oficias do BC americano têm sobre o momento atual da economia americana. Na Zona do Euro, investidores acompanharão o discurso de Mario Draghi durante a sua participação na reunião de ministros e banqueiros centrais no G7.


BRASIL: NOVOS ESTÍMULOS NO RADAR

Liberação do FGTS… Segundo o Ministro Paulo Guedes, o governo deve liberar o saque das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP). A medida pretende potencializar o consumo no final do ano, melhorando o desempenho da economia, que atualmente tem taxa de crescimento de 0,81 projetada para o ano de 2019.

Detalhes… A proposta ainda está sendo estudada pela equipe do Ministério da Economia, mas pode incluir contas ativas e/ou inativas. A alíquota liberada para o saque também continua indefinida, mas deve estar entre 35% para as contas com valores abaixo de R$ 5 mil e 10% para contas com mais de R$ 50 mil. As contas com valores entre os dois números, devem receber alíquotas proporcionais entre 35% e 10%. Os saques seriam liberados de acordo com a data de aniversário dos detentores. Os trabalhadores que já festejaram sua data de nascimento esse ano, estariam liberados assim que o programa entrar em vigor.

O presente de Toffoli… O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Dias Toffoli, suspendeu, ontem (16), todos os processos judicias com base em compartilhamento de dados entre instituições financeiras do governo. A decisão resulta de um pedido feito pela defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). A suspensão foi feita pelo ministro devido a indefinição do STF diante o compartilhamento de dados, sem autorização judicial, entre entidades como a Receita Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e o Banco Central. A questão deve ser retomada no plenário do STF após o recesso.

Rachadinha… Flávio entrou na mira do Ministério Público Estadual do RJ, quando a Coaf revelou que Fabrício Queiroz, um antigo assessor do então deputado estadual, movimentou mais de R$ 1,2 milhão em sua conta, durante período de um ano. A suspeita dos promotores é que Queiroz era o funcionário responsável por organizar a devolução de parte dos salários, dos vários funcionários que trabalhavam no gabinete do então deputado, durante seu tempo na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. A prática, que está entre as formas mais comuns de desvio de dinheiro na política brasileira, é conhecida como “rachadinha” por resultar do compartilhamento do salário de assessores com os políticos que os contratam.

Na agenda… Não existem indicadores relevantes a serem divulgados ao longo do dia.

E os mercados hoje? No exterior, o dia é de pouca movimentação dos ativos de risco, com investidores à espera da divulgação de mais balanços nos EUA. Aqui, o noticiário político segue reduzido, com o Congresso se preparando para o recesso parlamentar, e o movimento no exterior deve predominar como principal direcional para o mercado doméstico. Com isso, esperamos mais um dia de viés neutro para ativos de risco locais.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,08%, aos 103.723 pontos;
Real/Dólar: +0,31%, cotado a R$ 3,769;
Dólar Index: +0,47%, cotado a 97.393;
DI Jan/21: +01 pontos base, 5.580%;
S&P 500: -0,34% aos 3004 pontos

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
– Toffoli suspende inquéritos e favorece filho de Bolsonaro
– Dodge recebe Delta para declarar apoio à Lava Jato
– Corregedoria do Ministério Público investiga palestras
– Proposta de novo tributo já sofre resistência do Congresso

O Estado de São Paulo
– Governo deve liberar saque de até 35% de contas ativas do FGTS
– Decisão do STF sobre Flávio susta processos de lavagem
– Planalto vai enviar ao Congresso projeto para privatizar Eletrobras
– MP da Liberdade terá sequência

Valor Econômico
– Governo vai liberar R$ 63 bi do FGTS e PIS
– Vale enfrente ação na B3 por Brumadinho
– Reforma anima empresariado
– MG quer discutir exploração de nióbio

O Globo
– Decisão de Toffoli suspende investigação sobre Flávio
– BNDES vai se desfazer de carteira de R$ 106 bi
– Polícia prende 14 suspeitos da milícia da Muzema
– Indicação de Eduardo divide votos no Senado

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
211 visualizações

relacionados

Bitnami