Mercados Hoje: Me tarifa meu amor, me tarifa

tags Intermediário

Introdução: Trump aumenta em mais 10% as tarifas sobre importações chinesas, porém os mercados globais já haviam antecipado o risco no pregão de ontem e operam em leve alta hoje. Existe ainda um risco de escalada na guerra comercial Sino-Americana. Caso a China decida retaliar, Trump disse que faria mais uma rodada de US$267 bilhões em novas tarifas. No Brasil, o mercado já é Bolsonaro. O capitão deve sair do hospital ainda essa semana e deve retornar a produzir mídia para sua campanha. No front macro, destaque para a prévia do IGP-M, que está refletindo os impactos da desvalorização cambial recente.


CENÁRIO EXTERNO: ME TARIFA MEU AMOR, ME TARIFA…

Cai no boato, sobe no fato… Após ter gerado algum estresse nos mercados ontem, o anúncio da nova rodada de tarifas por parte de Trump não impactou de forma significativa o preços dos ativos hoje. Todas as grandes bolsas asiáticas tiveram um dia positivo, mas o destaque ficou com Shangai, que subiu 1,82%. Tal movimento se deve ao fato do governo chinês ter anunciado um plano maciço de mais investimentos em infraestrutura para compensar as tarifas. Na Europa, os mercados também operam no verde com leve alta nas principais bolsas. E o dólar index opera quase no zero a zero, com alta de 0,01%.

Tweeta, mas faz… Após ter tweetado no fim de semana que iria tarifar os chineses, Trump cumpriu a sua promessa, ops, digo, tweet, e anunciou mais US$200 bilhões em tarifas sobre importações chinesas, o que corresponde a uma alíquota de 10%. Em janeiro de 2019, a alíquota pode subir para até 25%.

Me tarifa meu amor, me tarifa… Trump ainda afirmou que, caso os chineses façam alguma retaliação tarifando produtos americanos, ele irá tributar a outra metade das importações chinesas que ainda não foram tarifadas. Tal movimento corresponderia a mais de US$260 bilhões em novas taxas. E os chineses já anunciaram que irão retaliar, de forma instantânea, a nova rodada protecionista de Trump.

Vai crescer menos e talvez tenha juros de menos… O FED já alertou sobre os riscos de uma escalada sem limites na guerra comercial Sino-Americana. Fato é que 20% da pauta de importação americana é chinesa. Os dois desdobramentos possíveis são ruins para a economia americana: (1) caso as empresas repassem integralmente o custo para os consumidores; (2) as empresas não repassarem os custos. No primeiro caso, as tarifas funcionariam como um imposto pago pela população americana. Já no segundo, as empresas absorveriam o imposto, reduzindo a rentabilidade. Um cenário no meio do caminho, onde empresas repassam uma parte para o preço e sacrifiquem rentabilidade, deve ser o mais provável. Ambos os cenários representam riscos baixos para o crescimento econômico americano, uma vez que haverá redução de demanda, ou via consumo ou via investimentos.


BRASIL: ALCKMIN TO FORA, PEGO MEU BOLSONARO E VOU EMBORA.

Mito contra o filho do mito… A pesquisa CNT/MDA divulgada ontem (17/09) confirmou uma consolidação de Bolsonaro (PSL) e Haddad (PT) na ponta do primeiro turno. É o mito contra o filho de outro mito (Lula). Bolsonaro lidera com 28,2% das intenções, Haddad tem 17,6% e Ciro segue bem atrás, com 10,8%. Geraldo Alckmin segue com singelos 6,1%. No segundo turno, Bolsonaro venceria Haddad com 3p.p de vantagem, ali no limite da margem de erro (2%), quase empatados.

Cara de um, focinho do outro, numericamente… Bolsonaro e Haddad são os polos opostos dessa eleição. Além de estarem caminhando de mãos dadas para o segundo turno, ambos possuem elevada rejeição, acima de 40%. Apesar de serem bem diferentes, nos números eles são quase gêmeos.

Alckmin tô fora, pego meu Bolsonaro e vou embora… Após o Datafolha na sexta, que mostrou Alckmin perdendo votos pela primeira vez, além do crescimento expressivo de Haddad, o mercado já começou a ajustar as suas preferências. Dada a escolha entre Haddad, Ciro e Bolsonaro, o mercado escolheu o capitão. Pelo menos ele é o único que tem uma agenda liberal de fato e focada nas reformas, além de seu guru ser uma espécie de superstar da Faria Lima e adjacências no Leblon.

Partiu casa… Segundo médicos do Einstein, Bolsonaro pode receber alta até o fim da semana. Isso significa que o deputado não irá ficar completamente fora da mídia no primeiro turno, sua campanha já está se preparando para a gravação de diversos vídeos. Lembrando que Bolsonaro é o candidato mais forte nas redes sociais, exatamente o ambiente onde esse tipo de mídia tem maior destaque.

No front macro um IGP-M salgado… A prévia do IGP-M avançou 1,34% na margem. Destaque para os preços industriais que subiram 1,98%. O câmbio começou a pressionar de fato os preços no atacado. Porém, a transmissão de preços do atacado para o varejo ainda não está ocorrendo. Os indicadores de inflação para o consumidor, os IPC’s, continuam com uma dinâmica bastante saudável. Fato é, que dado o passo fraco em que se encontra a economia brasileira, os atacadistas acabam tendo que reduzir margem. Não existe muito espaço para repasse de preços.

E os mercados hoje? Lá fora, apesar do anúncio das tarifas por parte de Trump, os mercados já estavam na expectativa e haviam embutido esses riscos nos preços dos ativos ao longo do pregão de ontem. Portanto, os movimentos de hoje devem ser modestos. Aqui dentro, o destaque fica com a divulgação da pesquisa Ibope. Os cenários de segundo turno é onde a pressão no preço dos ativos será gerada.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +1,80%, aos 76.789 pontos;
Real/Dólar: -0,95%, cotado a R$ 4,133;
Dólar Index: +0,45%, 94,496;
DI Jan/21: -12 pontos base, 9,800%;
S&P 500: -0,56% aos 2.888 pontos.

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg. *valores referentes à sessão do dia 31/05.


EMPRESAS:

BRF: Cia leiloa em outubro ativos não operacionais
Impacto: Marginalmente Positivo.

IMC: Cancelamento do processo de fusão com a Sapore
Impacto: Marginalmente Negativo.

Natura: Cia pesquisa aquisições no exterior e sonda a Avon
Impacto: Neutro.

Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Combustível de avião sobe e deve afetar as passagens
– Indicado de Trump à Suprema Corte vai depor no Senado
– Fenômenos climáticos afetam EUA e Ásia
– EUA vão sobretaxar mais US$ 200 bi em produtos da China

O Estado de São Paulo
– Trump taxa US$ 200 bilhões da China e faz novas ameaças
– Estagnado, Alckmin tenta reverter votos “bolsodoria”
– Liminar veta indulto a condenados por corrupção
– Juiz diz que Cristina Kirchner chefia quadrilha e pede prisão

O Globo
– MDB do Rio prioriza herdeiros de políticos presos
– PT exibe na TV falso corte de benefício
– Leopoldina sob risco iminente
– a 20 dias da eleição, Rio é alvo de medidas para transporte

Valor Econômico
– Exxon volta a apostar na exploração de óleo no país
– Natura avalia ativos e pode comprar Avon
– Hartung diz que fortalecer democracia é único caminho
– Cultura fecha 11 das 12 lojas Fnac

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Cândido Victor Cândido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

112 visualizações

relacionados

Bitnami