Mercados Hoje: Mantenha Distância

tags Intermediário

Introdução: Ásia volta a operar em terreno negativo, confirmando uma tendência ruim para equities no curto prazo; Na Europa o viés é misto FTSE cai -0,02% e DAX sobe 0,45%; Do outro lado do oceano os futuros de S&P operam em leve queda de 0,05%; Mais indefinição no Brexit; Partido de Ângela Merkel sofre nas eleições regionais; Inflação americana continua comportada e não reflete pressões advindas do mercado de trabalho; No Brasil, o destaque continua sendo Jair Bolsonaro que mantém a sua vantagem nas mais diversas pesquisas; Um mix de ruídos não para de vir da equipe de Bolsonaro; Por fim as expectativas de câmbio foram revistas para um patamar mais positivo.


CENÁRIO EXTERNO: BREXIT CHEGA A MAIS UM IMPASSE

Mercados Globais: Na Ásia as seções foram negativas, destaque para O Nikkei que caiu 1,87%. As bolsas Europeias estão operando com viés misto. Os futuros do S&P começam a sessão no vermelho, caindo -0,05% até o momento. Emergentes tem dia positivo, o prêmio de risco (CDS de 5 anos) recua para Turquia (-1,87%), Brasil (-1,16%) e África do Sul (-1,40%). Commodities iniciam o dia com altas, destaque para o açúcar (+1,15%) e para o café (+1,42%).

Nada feito… Apesar de rumores de avanço durante a semana passada, as conversas pelo acordo do Brexit chegaram a um impasse neste Domingo. A Primeira Ministra Britânica, Theresa May, afirmou que os atuais termos pela saída do Reino Unido da UE não levarão a um acordo na próxima reunião do Conselho Europeu, que deverá ocorrer nesta quarta-feira. Não há previsão para a revisão do acordo pelas partes, o que diminui a expectativa de progresso em um futuro próximo. Neste cenário a libra esterlina recuou durante o exercício das bolsas asiáticas, e segue se desvalorizando -0,20% frente ao dólar até o momento.

Com gostinho de derrota… Na Alemanha, as eleições na Bavária, refletiram a rejeição da população frente ao partido de Ângela Merkel, a União Social Cristã. Apesar da vitória, que se deu com 35,5% dos votos, este foi o pior resultado do partido em eleições desde 1950 e reforça indícios do enfraquecimento de Merkel no cenário político alemão.

Inflação controlada… A inflação ao consumidor americano medido pelo CPI ficou abaixo do esperado tanto na margem (+0,1% contra 0,2%), como na comparação como mesmo período do ano anterior (2,3% contra 2,4%). A queda dos preços de energia por conta das reduções da gasolina e do gás residencial e a estabilidade dos preços da alimentação compensaram as altas de vestuário (0,9%) e recreação (0,3%) e cuidados médicos (0,2%). As principais medidas de núcleo registraram alta de 2,2% na comparação interanual e apresentam tendência de desaceleração. Este quadro confirma a baixa sensibilidade da inflação ao mercado de trabalho que segue apertado. Os números confirmam, que o atual ritmo de aumento dos salários ainda é insuficiente para ameaçar este quadro relativamente confortável da inflação.


BRASIL: MANTENHA DISTÂNCIA

Mantenha distância… Fernando Haddad (PT) não consegue fechar o gap entre ele e Jair Bolsonaro (PSL), ambos continuam com os mesmos 16p.p de distância entre si. Tal distância é a mesma do primeiro turno e continua sendo confirmada (com alguma margem de variação) pelos mais diversos tipos de pesquisa (presencial e telefônia), como as pesquisas Datafolha e BTG/FSB.

Olhando mais de perto… A pesquisa do Instituto FSB mostrou que vantagem de Bolsonaro é de 18 pontos percentuais em relação a Haddad, conforme o quadro abaixo. O detalhamento da pesquisa estimulada mostra que a vantagem do Capitão é muito forte entre os eleitores masculinos (57% a 33% para Haddad). O candidato petista vence por uma margem estreita entre o público mais jovem (46% a 41%) e manteve uma boa vantagem no Nordeste (55% a 30%) e entre os eleitores que recebem até 1 salário mínimo (49% a 35%). Bolsonaro lidera com larga vantagem nas demais faixas de idade, renda e no resto do país.

Um mix de nomes e um mix de ideias… Bolsonaro já confirmou alguns nomes para a sua esplanada dos ministérios. O mix de nomes traz um mix de ideias. Já está confirmado Paulo Guedes como ministro da fazenda, o guru liberal from Chicago, que quer privatizar todas as estatais e fazer uma profunda reforma da previdência. Do outro lado também foi confirmado Onyx Lorenzoni (DEM) como possível Ministro da Casa Civil, porém Onyx já disse publicamente que é contra a reforma da previdência e que é preciso de fato se confirmar se existe mesmo o tal déficit. Fica a dúvida de como Bolsonaro irá equilibrar tamanha divergência de ideias em seu provável governo.

Expectativas parcialmente renovadas… A pesquisa focus divulgada hoje pelo Banco Central, é a primeira pós segundo turno. A mediana das projeções voltou a subir para a taxa Selic em 2018, de 4,40% para 4,43%. E também para 2019, de 4,20% para 4,21%. As projeções de PIB continuam constantes para 2018 e 2019, em 1,34% e 2,50% respectivamente. O grande destaque é a mudança na tendência das projeções de câmbio que recuaram de R$3,89 para R$3,81 em 2018 e de R$3,83 para R$3,80 para 2019.

Agenda… O grande destaque da semana continuará sendo a divulgação de pesquisas de intenções de votos. Hoje (15/10) tem a noite a divulgação de uma pesquisa Ibope e na quinta feira (18/10) teremos mais uma pesquisa Datafolha. A expectativa é que ambas continuam confirmando a vantagem do capitão Jair Bolsonaro. No front econômico doméstico o destaque fica com a divulgação, na quinta feira, do índice de atividade do Banco Central, o IBC-Br que deve mostrar um avanço modesto na margem. Amanhã devem sair os dados da pesquisa mensal dos serviços, onde também esperamos leve aumento na margem após forte queda no resultado anterior.

E os mercados hoje? Lá fora indica que o dia deverá ser neutro na questão do risco. O CDS brasileiro recua -1,16% aos 222 pontos. Com o resultado das pesquisas eleitorais e com a melhora do cenário global na sexta feira os mercados aqui devem ter um dia positivo.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,91%, aos 82.921 pontos;
Real/Dólar: +0,64%, cotado a R$3,78;
Dólar Index: -0,18%, 95,049;
DI Jan/21: -09 pontos base, 8,670%;
S&P 500: +1,42% aos 2.767 pontos.

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg. *valores referentes à sessão do dia 31/05.


EMPRESAS:

Suzano: Cade aprova sem restrições união de Suzano e Fibria
Impacto: Positivo.

Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Plano de candidatos exige mudança na Constituição
– Estreantes e militares são destaque na bancada do PSL
– PT evita rever tese de que foi vítima de sabotagem
– Marcos Nobre: Haddad precisa representar mais que seu partido

O Estado de São Paulo
– Falta de dinheiro para o PAC prejudica planos de candidatos
– Aléssio Ribeiro Souto: Escola sem “direção ideológica”
– Juntas elas têm a força
– Em 16 anos, PT perde 1/3 dos votos em legenda

O Globo
– Apesar de renovação, presidente eleito vai depender do Centrão na Câmara
– Empresas adiam contratação de funcionários
– Jovem morre após procedimento estético no Rio
– Arábia Saudita promete retaliar possíveis sanções

Valor Econômico
– Bolsa Família é força cadente, mas ainda fortalece o PT
– Bolsonaro promete devassa na Petrobras e no BNDES
– Xanthopoylos quer a volta da educação moral e cívica
– Incorporadoras para alta renda têm valorização

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Cândido Victor Cândido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

184 visualizações

relacionados

Bitnami