Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Manhã de estabilidade

Introdução:

Internacional
• Bolsas internacionais sustentam altas moderadas na falta de mudanças relevantes no quadro global;
• Vai e vem dos mercados deve persistir, reagindo à gama de notícias conflitantes sobre o andamento das negociações entre China e EUA;
• Saem os dados de concessões de alvarás e de construções de moradias iniciadas em outubro (10h30) nos EUA.

Brasil
• Bolsa local deve seguir reagindo ao exterior;
• Relatório do IFI prevê rompimento do teto de gastos em 2021;
• Reforma administrativa só deve ser apresentada pelo governo em 2020;
• Desmatamento cresce na Amazônia, confirmado preocupação internacional e criando obstáculo para exportações brasileiras;
• CCJ da Câmara pode aprovar PEC da prisão após segunda instância hoje;
• Às 9h, o investidor avalia o desempenho do mercado de trabalho na pesquisa de emprego (Pnad-Contínua) relativa a setembro e ao terceiro trimestre.


CENÁRIO EXTERNO: MANHÃ DE ESTABILIDADE

Mercados… Índices de mercado asiáticos encerraram predominantemente em alta nesta 3ªF. As bolsas de Shanghai (+0,9%) e Hong Kong (+1,5%) avançaram, enquanto o Nikkei, em Tóquio, registrou queda de 0,5% na sessão. Na zona do euro, os mercados sustentam altas moderadas, e o índice pan-europeu, STOXX 600, acumula alta de 0,8% até o momento. Nos EUA, os futuros de NY também operam no verde, enquanto o dólar índice (DXY) anda de lado. Ainda na contramão dos mercados, commodities seguem se movimentando em terreno negativo. O preço do petróleo (Brent crude) recua 0,8%, negociado próximo dos US$ 62,00/barril.

Manhã de estabilidade… Em manhã de poucas novidades, bolsas internacionais sustentam altas moderadas. Apesar da manutenção da incerteza em torno de pontos de tensão política e geopolítica ao redor do globo, o mercado parece manter uma visão construtiva e apenas uma piora relevante do quadro atual será capaz alterar a dinâmica positiva que tem se instaurado recentemente.

O vai e vem deve continuar… No tocante às conversas entre China e EUA, o ceticismo de investidores deve persistir até que haja desenvolvimentos mais concretos em torno do tema, e o fluxo de notícias conflitantes que vem se acumulando de forma sequencial desde a semana passada seguirá gerado volatilidade adicional aos pregões. No pano de fundo, investidores acompanham dados de atividade nas principais economias do mundo, na busca de pistas sobre a possibilidade de uma desaceleração global mais aguda, além das manifestações violentas que se instauraram em Hong Kong, a situação delicada de diversos governos na América Latina e o conflito interminável que assola o oriente médio – mesmo que estes últimos ainda não contaminaram mercados globais de forma relevante.

Na agenda… Em dia de agenda morna no exterior, o único dado previsto é o de concessões de alvarás e construções de moradias iniciadas em outubro (10h30) nos EUA.


BRASIL: IFI ALERTA SOBRE ROMPIMENTO DO TETO DE GASTOS EM 2021

IFI alerta sobre possível rompimento do teto de gastos em 2021… O Instituto Fiscal Independente (IFI) publicou um relatório que traz um alerta sobre o futuro da saúde fiscal do Brasil. Segundo o instituto, apesar da reforma da Previdência, o Brasil deve romper o teto de gastos em 2021 caso a sua trajetória fiscal não seja alterada. Quando o teto é rompido, os gatilhos de ajuste são acionados para forçar a contenção de gastos do estado brasileiro. Isto ocorre através da redução abrupta de emendas orçamentarias e dos gastos associado ao funcionalismo público.

Pode ser revertido… Nos cenários mais otimistas, que consideram o sucesso de reforma ainda não aprovadas e o crescimento da arrecadação em função da retomada da economia, o governo começa a produzir superávits (recebe mais que gasta) em 2022 ou 2023 e evita o rompimento do teto.

Governo confirma atraso na reforma administrativa… O mais provável é que só seja revelada em 2020. O fato foi confirmado tanto pelo presidente Jair Bolsonaro, quanto pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. O governo não quer criar desgaste desnecessário e dar combustível à oposição divulgando uma proposta que não terá o apoio do Congresso. A reforma administrativa deve sofrer muita resistência. Será preciso ter as lideranças partidárias ao lado do governo para aprova-la. O relatório do IFI que comprova que ainda existe a necessidade de fazer cortes adicionais deve favorecer este processo.

Fila das reformas continua a andar… Ademais, o governo já apresentou uma série de projetos ambiciosos, desde a aprovação da Previdência, que devem consumir o tempo dos parlamentares até as eleições municipais do ano que vem. A primeira etapa da reforma tributária deve ser a próxima reforma estrutural apresentada pelo governo. Esta pretende unir o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social (Cofins).

Desmatamento cresce na Amazônia… Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre agosto de 2018 e julho de 2019, o desmatamento na Amazônia cresceu 29,5% em relação ao período anterior (12 messes antes). Em km², isso representa um aumento de 7.536 para 9.762. Apesar do incremento em comparação com o período de 2016/2017, a área desmatada ainda é menor do que a registrada em todos os anos entre 2000 e 2008.

Preservação do meio ambiente favorece exportações… Fora a questão da biodiversidade e do clima, o aumento na taxa de desmatamento é relevante por que muitos parceiros comercias do Brasil, principalmente na Europa, condicionam a redução de barreiras comercias para produtos brasileiros à proteção da Amazônia. Estes argumentam que não desejam consumir produtos, principalmente da agropecuária, que contribuem para a devastação da floresta.

Tratado com a União Europeia… Esta avaliação será um fator determinante para a ratificação do tratado de livre comercio que foi assinado com a Europa, que ainda requer autorização do Parlamento Europeu. O aumento da taxa justificou a preocupação da comunidade internacional em agosto, mas também cria uma oportunidade para o governo reverter a tendência e demonstrar que está engajado no combate ao desmatamento até julho do ano que vem.

Na agenda… Hoje, às 9h, o investidor avalia o desempenho do mercado de trabalho na pesquisa de emprego (Pnad-Contínua) relativa a setembro e ao terceiro trimestre. Ainda, a prévia do IGP-M (8h) traz novas informações sobre a dinâmica dos preços. Em Brasília, a PEC da prisão em 2ª instância inicia a sua sequência de votações no Congresso.

E os mercados hoje? Lá fora, bolsas seguem se sustentando em patamares elevados, na falta de mudanças relevantes no quadro global. Aqui, o destaque tem sido o câmbio, que viu o dólar ultrapassar o limiar psicológico dos R$ 4,20 na sessão de ontem, patamar que tem se consolidado pela piora das moedas emergentes contra a divisa americana, além da quebra de expectativas com o influxo de moeda estrangeira esperado nos leilões de petróleo. A bolsa local deve seguir reagindo aos desenvolvimentos no exterior e aos desenvolvimentos na política local – a votação da PEC da prisão em 2ª instância deve ficar à frente no noticiário da semana. Em função disso, esperamos um dia de viés neutro/positivo para ativos de risco brasileiros.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,72%, aos 105.985 pontos;
Real/Dólar: +0,48%, cotado a R$ 4,20;
DI Jan/21: +4 pontos base, 4.68%;
S&P 500: +0,05% aos 3.122 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
• Ex-presidente do Paraguai é alvo de pedido de prisão pela Lava Jato
• Decisão do STF ameaça caso Queiroz, mas não livra Bolsonaros de apurações
• Fundadores de novo partido de Bolsonaro incluirão assessores e parentes de deputados
• Centro não tem pressa de retomar diálogo com Lula

O Estado de São Paulo
• Com governo ‘no jogo’, Congresso quer unificar propostas de reforma tributária
• PF prende doleiro e mira ex-presidente do Paraguai
• ‘Sob pressão, STF discute modulação de decisões incômodas’
• Cargueiro da Embraer agora se chama Millennium

Valor Econômico
• MP veda multas milionárias na área trabalhista
• Fatiar reforma tributária é condená-la ao fracasso, diz Rodrigo Maia
• Relator propõe bônus a servidores
• Lei prevê fim de adiamento em concessões

O Globo
• Em 10 anos, Fetranspor repassou mais de R$ 120 milhões a políticos do Rio, afirma delator
• Lava-Jato nas ruas: ex-presidente do Paraguai, Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão
• Temendo protestos como os do Chile, Bolsonaro manda Guedes tirar o pé do acelerador das reformas
• Conselho do Ministério da Justiça defende maior controle da atividade policial e de armas

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável  por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
202 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami