Mercados Hoje: Fica aonde está

tags Intermediário

Introdução: No exterior, diminui a aversão a risco. Os perigos da “guerra comercial”, no entanto, continuam presentes. Neste jogo protecionista, todos perdem. Assim, o alívio de hoje tende a ser pontual. Hoje, investidores estarão atentos às falas dos banqueiros centrais: Powell (EUA), Draghi (Europa) e Kuroda (Japão). O dólar opera misto frente a emergentes, e as bolsas sobem na Europa. No Brasil, é o 2º dia do Copom. Esperamos uma Selic estável. Governo tem dificuldade em avançar com pauta econômica na Câmara; “centrão” mantém conversas com Alckmin (PSDB) e Ciro (PDT). Em SP, Bolsonaro (PSL) segue numericamente à frente de Alckmin, segundo Instituto Paraná.


CONTINUACENÁRIO EXTERNO: POWELL, DRAGHI E KURODA.

O “básico” sobre os mercados… Diminui a aversão a risco no exterior. As bolsas da Europa sobem, após sessão de ganhos na Ásia. Nos EUA, após quedas de ontem, o S&P opera no azul. O dólar opera estável frente a seus principais pares, em dia misto para as commodities. As agrícolas sobem, enquanto metálicas recuam. Na China, o minério de ferro caiu 1,53%, cotado a US$65,43/tonelada. O petróleo (brent) opera na casa dos US$75/barril, em ligeira alta nesta manhã. Os juros das Treasuries voltam a subir (10 anos ~2,90%).

Os riscos da guerra comercial… Ao menos momentaneamente, diminui nos mercados o receio com a “guerra comercial”. Mas isto parece ser algo pontual. Afinal, nada indica que estas iniciativas serão revertidas pelo governo dos EUA; muito pelo contrário. Segundo a Unctad, em caso de “guerra comercial”, as exportações do Brasil passariam a ser submetidas a tarifas de mais de 30%, ante a média atual de 5%. Segundo a OECD, as restrições entre EUA e China podem tirar até 1 p.p. do crescimento da América Latina neste ano. 

Na agenda de hoje…  Nos EUA, além das vendas de moradias usadas de maio (11h), e dos estoques de petróleo bruto até a semana passada (11h30), atenção ao discurso de Jay Powell, o presidente do Fed (10h30). Além de Powell, neste evento que acontece em Portugal, participam os presidentes dos BCs de Europa (M. Draghi) e Japão (H. Kuroda).


BRASIL: 2º DIA DE COPOM.

Na Câmara, sem avanços… O dia de ontem terminou no plenário da Câmara sem avanços. Seguem pendentes: (1) o projeto que modifica as regras da cessão onerosa; (2) os destaques pendentes do projeto do cadastro positivo; e (3) o requerimento de urgência para o projeto que facilita a privatização de distribuidoras da Eletrobrás. Segundo levantamento do Poder360, nos últimos 4 meses, o governo conseguiu aprovar apenas 1 dos 15 projetos que estavam na pauta econômica. Há uma dificuldade de conseguir quórum, diga-se de passagem…

E no Senado? Aqui, alguns avanços. O plenário da Casa aprovou a criação do Ministério da Segurança Pública e a venda de etanol de usinas a postos. Os jornais comentam um pouco sobre estes temas.

Os rumos do “centrão”… O grupo denominado “centrão” – partidos políticos sem ideologia definida clara, e com grande número de deputados, como DEM, PP, SD, PR e PRB – ainda não definiu qual pré-candidato será apoiado ao Planalto. O mais provável, neste momento, talvez seja Geraldo Alckmin (PSDB), mas há conversas com Ciro Gomes (PDT). Dependerá de quem se mostrar mais competitivo. Uma definição? Em nossa opinião, não muito antes do final de julho, início de agosto. 

PSDB & DEM?  Vale notar que o DEM já conseguiu fechar uma aliança com João Dória, reservando uma vaga de vice para o governo de SP. Alckmin ainda tem o vice em aberto, mas trabalha para atrair o partido, é claro. Para convencer o “centrão” será importante, no mínimo, voltar a se mostrar mais competitivo no Sudeste.

Bolsonaro lidera em SP… Segundo o último levantamento do Instituto Paraná, Jair Bolsonaro (PSL) estaria numericamente à frente em SP. Teria 21,4% dos votos no Estado; contra 18,4% de Alckmin (PSDB). A pesquisa foi registrada no TSE sob o n.º BR- 09235/2018.

De frente com Ciro… Ontem à noite, líderes destes partidos do “centrão” tiveram jantar com Ciro (PDT). O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), deu 2 condições para tal apoio: (1) indicação do vice-presidente e (2) ter apoio para reeleger Rodrigo Maia (DEM) ao comando da Câmara em 2019.

2º dia de Copom… Reforçamos o nosso cenário-base: a Selic ficará aonde está, em 6,50%. Afinal, a inflação e as projeções de inflação seguem ancoradas, dentro do “razoável”. Por outro lado, a economia se recupera, porém, de forma muito gradual. De qualquer forma, o BC, em comunicado, deve continuar ressaltando os riscos, como o cenário externo, que segue “desafiador”. Também pode fazer menções, mais ou menos claras, às incertezas crescentes no front doméstico, especialmente quanto aos “ajustes”. No atual contexto, ainda vemos uma Selic estável na próxima reunião do Copom.

Agenda de hoje… É dia de Copom (decisões após o mercado). Este é o grande destaque do lado macro. Antes disso, o BC divulga o fluxo cambial semanal (12h30). Pela manhã, cúpula do DEM e aliados tem café da manhã com Alckmin (PSDB), tentando costurar alianças para as eleições.

E os mercados hoje? Diante de um quadro externo mais positivo, temos um viés mais positivo hoje por aqui. A percepção de risco país (CDS de 5 anos) recua, corroborando um início de sessão mais positivo. Assim, a bolsa tende a subir. No mercado de juros, deve prevalecer algum viés baixista, à espera do Copom e diante de menor risco. Para o dólar, direção menos clara, em nossa opinião. O dólar opera misto frente aos emergentes até aqui.

Ignacio Crespo – Economista

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +2,26%, aos 71,394.34 pontos;
Real/Dólar: : +0,05%, cotado a R$3,7466;
Dólar Index: +0,27%, 95.013;
DI Jan/21: -21 pontos base, -9,58%;
S&P 500: -0,4% aos 2.762 mil pontos. 

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg. *valores referentes à sessão do dia 31/05.


EMPRESAS:

Embraer: Embraer e Boeing progridem em negociação
Impacto: Marginalmente Positivo.

Kroton: Vendida para a Kroton, Somos compra escola Santi
Impacto: Marginalmente Positivo.

Petrobras: Governo fecha texto da cessão onerosa e Câmara tenta votar
Impacto: Marginalmente Positivo.

Luis Gustavo Pereira – Estrategista


Jornais:

Folha de São Paulo
Vacinação de bebês e crianças tem menor alcance em 16 anos
– Com ajuda do vídeo, torneio tem 1 pênalti a cada 2 jogos
– Grandes empresas tentam barrar venda direta de etanol aos postos
– Busca de refúgio no Brasil mais que dobra em um ano

O Estado de São Paulo
Com PIB baixo e incertezas, indústria corta investimento
– Tabela de frete elevará custos em R$ 53,2 bi, diz entidade
– Polícia diz que Luiz Estevão agia como “dono” de cadeia
– Fiocruz estudará uso medicinal da maconha

O Globo
Energia sobe 33% contra inflação de 19% 
– PF indicia Joesley e ex-procurador Miller
– Tráfico isola rua do Porto com barricada
– Trump ataca ação de Merkel com imigrantes

Valor Econômico
Tesouro vai dar subsídios a precatórios estaduais
– Eleição ativa investimento nos Estados
– AIE sugere à Opep aumento de produção 
– Lloyd’s prevê que França será campeã

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Ignácio Crespo Rey
[email protected]

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/2010, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Ignacio Crespo Ignacio Crespo

Economista

Mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE), e graduado em Ciências Econômicas pelo INSPER. Foi professor assistente do Mestrado Profissional em Economia do INSPER, ministrando aulas sobre Macroeconomia e Política Monetária. De 2013 até agosto de 2018 atuou como economista-chefe da Guide Investimentos. Desde então, atua como consultor externo da Guide.

224 visualizações

relacionados

Bitnami