Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Faltando os 10% “certos”

tags Intermediário

Introdução: Os mercados asiáticos seguiram operando com viés negativo na 4ªF; Na contramão, os principais índices de mercado europeus avançam; Em NY, futuros operam em terreno positivo, esboçando um dia de recuperação para ativos de risco americanos, e o dólar (DXY) se mantém operando próxima à estabilidade; O petróleo (Brent crude) avança 1,1%, e já é negociado próximo dos US$ 65,70/barril; Declaração de Steven Mnuchin revive esperanças de um acordo entre EUA e China; Uma nova rodada de incrementos tarifários sobre produtos chineses pode ser adiado pelos EUA. No Brasil, o surgimento de dúvidas em relação ao apoio parlamentar à reforma da Previdência, além da maior probabilidade de que a votação do texto na comissão especial da câmara não ocorra esta semana prejudicam mercados domésticos; STF rejeita pedido por liberdade de Lula.


CENÁRIO EXTERNO: FALTANDO OS 10% “CERTOS”

Mercados… Os mercados asiáticos seguiram operando com viés negativo. As bolsas de Tóquio e de Shanghai encerraram com perdas de 0,5% e 0,2%, respectivamente. Na contramão, os principais índices de mercado europeus avançam, com o DAX (Frankfurt) subindo 0,7% até o momento. Em NY, futuros operam em terreno positivo, esboçando um dia de recuperação para ativos de risco americanos, e o dólar (DXY) se mantém operando próxima à estabilidade. Na frente das commodities, ativos se movimentam com viés mais positivo. Destaque para o petróleo (Brent crude), que avança 1,1% após uma redução maior do que esperada no estoque americano contribuir para a alta que tem derivado da crescente tensão entre os EUA e o Irã. A commodity já é negociada próxima dos US$ 65,70/barril.

Faltando os 10% “certos”… Em entrevista à emissora CNBC, o Secretário do Tesouro americano, Steve Mnuchin, disse que o acordo comercial entre China e Estados Unidos está com 90% do caminho andado para ser firmado, e mostrou otimismo em torno dos avanços que podem ser alcançados na reunião que os líderes dos dois países terão no fim de semana. Mnuchin declarou estar confiante de que o encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e sua contraparte chinesa, Xi Jingping, que deverá ocorrer às margens da cúpula de líderes do G20, poderá render progresso na direção de um acordo definitivo. Ainda, o Secretário do Tesouro americano reforçou que espera que as duas maiores economias globais cheguem em um consenso até o fim do ano, isso se forem feitos os “esforços certos”.

Ainda deve render frutos… As declaração de Mnuchin reviveram o otimismo em torno do encontro dos líderes de ambos os países do G20, no Japão, que havia sido abalado após declarações de autoridades do EUA de que as chances de que um acordo fosse firmado eram mínimas, mas não é o único desenvolvimento positivo para os mercados nesta frente. Segundo fontes da Bloomberg, os Estados Unidos estão considerando adiar a elevação de tarifas sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses enquanto seu governo retoma negociações comerciais com Pequim. A expectativa é que esta decisão seja anunciada após o encontro dos presidentes no G20, e deve preceder outras concessões por ambas as partes, buscando limitar a pressão que o impasse exerce sobre os mercados. 

Na agenda… Único destaque na agenda internacional é o relatório dos estoques de petróleo do DoE (11h30) nos EUA, que deve apontar queda para o óleo bruto (-2,6 milhões de barris), gasolina (-200 mil) e destilados (-1 milhão de barris).


BRASIL: INCERTEZA NA COMISSÃO ESPECIAL

Não vai ter mortadela… Por um placar de 3 votos a 2, os ministros da segunda turma do STF determinaram que o ex-presidente Lula continue preso. Gilmar Mendes propôs que o petista fosse liberado até que a atuação do ex-juiz Sérgio Moro, no caso Lava Jato, fosse julgada pelo colegiado. Ricardo Lewandowski concordou, mas Edson Fachin, Cármen Lúcia e Celso de Mello votaram a favor da manutenção da reclusão do ex-presidente.

STJ… Também foi rejeitado outro habeas corpus apresentado pela defesa de Lula. Esse tentava reverter determinação unilateral do ministro Felix Fischer, juiz que atua no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O placar desse julgamento foi ainda mais decisivo, 4 a 1. Lewandowski, ministro nomeado ao pleito pelo reu, foi o único jurista que proferiu decisão favorável ao ex-presidente.

Antes ou depois do recesso? Anteriormente ao julgamento, houve grande incerteza em torno do cronograma da determinação. Gilmar Mendes pretendia postergar o julgamento até o fim do recesso do judiciário em Agosto, mas desistiu do adiamento em última hora.

Vocês já sabiam… Como previsto pelo MH publicado na segunda, Celso de Mello, o ministro mais antigo do Supremo, proferiu voto decisivo que selou, por hora, a manutenção da reclusão do ex-presidente. O fato que Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski defenderam a tese dos advogados de Lula, também não surpreendeu.

Demonstrações… Mesmo assim, o apoio a Lula dos dois ministros, ambos com fama de juiz leniente, deve potencializar as demostrações a favor do Ministro Sérgio Moro que ocorrerão neste domingo.

Bang bang… O presidente Jair Bolsonaro revogou, ontem (25), dois decretos da sua própria autoria, que tratavam sobre armas de fogo. A decisão evitou derrota eminente no Congresso, onde a proposta já foi rejeitada pelo Senado. Alem dos seus decretos, Bolsonaro também revogou artigos em proposituras mais antigas, de 2000 e 2018, que versavam sobre o mesmo assunto.

Contrariando o porta-voz… A decisão do presidente surpreendeu, logo que quatro horas antes da revogação, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, tinha esclarecido que o decreto não seria revogado e que o governo não impediria o seu voto na Câmara, onde a sua derrota estava quase certa.

PL… A desistência momentânea evitou desgaste improdutivo no Legislativo e abre caminho para que o assunto seja abordado por outro meio. Agora, o presidente deve tratar do tema através de um projeto de lei mais abrangente, que definirá os direitos e limites dos brasileiros em relação ao porte e posse de armas.

Na agenda… Não existem indicadores relevantes a serem divulgados ao longo desta 4ªF.

E os mercados hoje? A melhora da dinâmica no cenário externo deve beneficiar o mercado hoje. Aqui, a maior incerteza em torno da votação da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara tem o potencial de limitar a recuperação após a perda mais expressiva que foi registrada ontem. Com isso, esperamos um dia neutro/positivo para ativos de risco locais.

 

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -1,93%, aos 100.093 pontos;
Real/Dólar: +0,62%, cotado a R$ 3,8488;
Dólar Index: +0,20%, cotado a 96.176;
DI Jan/21: + 9 pontos base, 5.960%;
S&P 500: -0,95% aos 2917 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Itamaraty orienta diplomatas a frisar que gênero é apenas sexo biológico
– Pela 1ª vez em meses, Lula ficou tenso com a chance de ser solto.
– Julgamento de Lula turbina atos pró-Moro no Domingo
– Bolsonaro acelera divórcio entre militares da ativa e do governo

O Estado de São Paulo
– ‘Celso de Mello foi cauteloso ao recusar solução de Gilmar sobre soltar Lula’
– Advogados divergem sobre possibilidade de liberdade para Lula; entenda
– Reforma da Previdência pesou em decisão de Bolsonaro
– Em Curitiba, frustração após voto de Celso de Mello

Valor Econômico
– Governo quer produzir “choque de energia barata” com novo plano do gás
– Da arquitetura à moda, brasileiro atende à elite muçulmana
– ‘Pente-fino’ de ministério paralisa ao menos 24 projetos do Fundo Amazônia
– Segunda Turma do STF nega liberdade a Lula

O Globo
– Bolsonaro propõe que Congresso o autorize a mudar legislação de armas por decreto
– Queda no custo do gás natural pode destravar projetos de R$ 140 bi no Rio
– Jovens infratores: Quase 28 mil jovens de 14 a 19 anos foram assassinados no Rio desde 1991
– Advogado diz que continuará tentando absolvição e liberdade de Lula

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

174 visualizações

relacionados

Bitnami