Mercados Hoje: De olho nos pontinhos

tags Intermediário

Introdução: Os mercados asiáticos tiveram mais um dia de movimentações mistas. Relatos de um novo impasse no plano da guerra comercial pesaram sobre o desempenho dos ativos de risco. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado já seguem a tendência mais negativa. Em NY, o futuro do S&P opera em terreno neutro, e o dólar (DXY) se valoriza contra os seus principais pares – já refletindo a cautela de investidores antes do FOMC. Na frente das commodities, ativos também apresentam viés de baixa, com o petróleo (brent) sendo negociado próximo dos US$ 67,50/barril. Para emergentes, dia tem início positivo, com as divisas de Turquia, México e África do Sul ganhando força frente ao dólar. No Brasil, o foco deve se manter sobre a primeira etapa do trâmite da Previdência na Câmara. Hoje, o presidente Jair Bolsonaro bate o martelo na última questão que falta para o texto caminhar na CCJ: o projeto de lei que muda a previdência dos militares.


CENÁRIO EXTERNO: DE OLHO NOS PONTINHOS (DO FED)

Mercados… Os mercados asiáticos têm mais um dia de movimentações mistas. A bolsa de Tóquio subiu 0,2% enquanto, em Hong Kong, o índice Hang Seng recuou 0,5%. Na Zona do Euro, os principais índices de mercado já seguem a tendência mais negativa, com as bolsas de Londres e Frankfurt caindo, 1,3% e 0,2%, respectivamente. Em NY, o futuro do S&P opera em terreno neutro, e o dólar (DXY) se valoriza contra os seus principais pares.

Hoje tem FOMC… O destaque da agenda internacional será o anúncio da decisão da taxa de juros pelo Fed nos Estados Unidos, às 15h. A expectativa é de que o BC americano mantenha sua política de “esperara para ver”, principalmente diante da desaceleração global mais forte que vem sendo evidenciada pelas últimas leituras de indicadores de atividade econômica. Com isso, o foco dos investidores deve se voltar ao gráfico de pontos (o “Dot Plot”), para verificar se o FOMC revisará sua projeção atual de duas elevações do juro este ano para apenas uma ou até mesmo nenhuma.

Incerteza da “trade war” amassa ganhos nos EUA… Segundo fontes da Bloomberg, apesar do otimismo que vem sendo demonstrado por Donald Trump, negociadores americanos estão receosos pelo fato de que autoridades chinesas estariam voltando atrás em alguns termos acordados previamente. A notícia de que ainda existe desacordo entre as partes, mesmo depois de negada por autoridades do alto escalão do governo Trump, repercutiu de forma negativa no mercado, e amassou os ganhos que NY vinha apresentando ao longo de toda a sessão de ontem.

Na agenda… Hoje, Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos irá divulgar os seus estoques de petróleo bruto, às 11h30.


BRASIL: O PRIMEIRO COPOM A GENTE NUNCA ESQUECE

É hoje… O Presidente está retornando ao Brasil após a reunião com Donald Trump. O Presidente deverá bater martelo na última grande questão que falta para a previdência deslanchar no congresso, o projeto de lei para a previdência dos militares.

Leitura de avião… Já foram apresentadas as opções para o Presidente, que já deve ter se decidido acerca do que fazer, mesmo viajando.

Pode gerar estresse… Caso o governo opte por um regime previdenciário brando para os militares ou crie benesses (como gratificações gordas), poderá gerar grande desgaste em toda a sua estratégia de comunicação com a sociedade, que é toda pautada em cima do fim dos privilégios previdenciários.

Pode gerar estresse 2… Como o projeto dos militares deve ser entregue ainda hoje ao congresso, e o presidente está viajando, pode ser que exista um atraso e o projeto fique para apenas amanhã. O que deixaria claro que não existe ainda um denominador comum entre governo e militares. Além de que atrasaria ainda mais o andamento da reforma no congresso, tornando cada vez mais difícil a possibilidade de tramitação da reforma na câmara ainda no primeiro semestre.

O primeiro Copom a gente nunca esquece… Hoje será divulgado o resultado da primeira reunião do Copom presidida por Roberto Campos Neto, o novo presidente do Banco Central. É consenso que a Selic irá permanecer em 6,5%a.a, mesmo com todos os sinais conjunturais (hiato do produto, núcleos de inflação e medidas setoriais de atividade econômica) indicando que existe espaço para corte.

Existe um risco muito assimétrico… Apesar de todos os indicadores presentes indicarem que existe a possibilidade corte, o futuro incerto da economia brasileira pede muita cautela. Caso a questão fiscal não seja resolvida no curto prazo, isto é, uma boa previdência, os juros irão subir rapidamente nos próximos anos para controlar o estresse inflacionário e a dificuldade de financiamento do governo federal.

O que importa é o que vai ser escrito… O mercado vai ficar de olho e lerá com lupa com o comunicado após reunião que o BC divulgará. Ali é onde todos poderão inferir qual será a visão que a nova diretoria tem acerca da economia brasileira e se haverá alguma intenção de corte da taxa básica de juros.

Agenda… O grande destaque do dia, como já ressaltamos, será a reunião do COPOM.

E os mercados hoje? A aversão ao risco aumentou ontem, globalmente. O prêmio de risco brasileiro sobe substancialmente, indicando que o dia poderá ser de maior estresse por aqui, além da incerteza gerada pelas decisões FOMC e do COPOM.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,41%, aos 99.588 pontos;
Real/Dólar: -0,07%, cotado a R$ 3,7892;
Dólar Index: -0,15%, 96.383;
DI Jan/21: -0,02 pontos base, 6,900%;
S&P 500: -0,01% aos 2.832 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Trump apoia a entrada do brasil em clube dos ricos
– Procuradores podem criticar e espernear, diz Moraes
– Suspeito de atuar em massacre em escola, jovem é apreendido
– Maia muda o tom na defesa da reforma da Previdência

O Estado de São Paulo
– Bolsonaro não descarta opção militar contra Maduro
– Levy cobra BB, Caixa e Estados e compara BNDES à Nasa
– Presidente do Senado resiste à CPI da Lava Toga
– Trump promete apoio em ‘clube dos ricos’

Valor Econômico
– Plano de aposentadoria dos militares provoca polêmica
– Reforma da previdência é o carro-chef
– Trump apoia país na OCDE e obtém contrapartida
– Brasileiros deixam ‘board’ da AB InBev

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

193 visualizações

relacionados

Bitnami