Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Começando com o pé direito

Introdução:

Internacional
• Mercados globais ensaiam estrear 2020 em tom positivo;
• Trump anuncia data para assinatura da 1ª fase do acordo comercial com a China;
• Novo corte do compulsório anunciado pelo BC chinês ajuda a afastar receio de uma desaceleração mais acelerada no país;
• PMI/Markit industrial de dezembro é destaque na agenda de Europa e Estados Unidos.

Brasil
• Dinâmica do exterior devem injetar gás extra no mercado local, que já se beneficia de uma melhor perspectiva para a economia entrando em 2020;
• Governo cumpre promessas feitas aos parlamentares e libera emedas antes da virada do ano;
• Novo salário mínimo de R$ 1.039 entra em vigor;
• Déficit fiscal para 2019, que está projetado para atingir R$ 70 bilhões, deve superar com grande folga meta de R$ 139 bilhões;
• MP deve facilitar vende de R$ 30 bilhões em imóveis do governo federal;
• Resultado da balança comercial de dezembro e IPC-S são os principais destaques da agenda econômica no dia.


CENÁRIO EXTERNO: COMEÇANDO COM O PÉ DIREITO

Mercados… Após uma sessão mista na Ásia, índices europeus ensaiam dia de alta na volta do feriado. O índice pan-europeu, STOXX-600, acumula alta de 0,4% até o momento. Nos EUA, índices futuros operam no verde, sinalizando uma abertura favorável também para as bolsas de NY, enquanto o dólar (DXY) volta a perder força contra seus principais pares. Na frente das commodities, ativos continuam acumulando ganhos, com destaque para o petróleo (Brent crude), que avança mais 0,3% e já é negociado acima dos US$ 68,00/barril.

Com o pé direito… Bolsas internacionais ensaiam estrear 2020 em tom positivo, dando sequência ao forte desempenho registrado em dezembro. A expectativa de que a 1ª fase do acordo seja assinada na 3ª semana de janeiro e o anúncio de novos estímulos à economia pelo Banco Central chinês são os principais drivers positivos no primeiro pregão do ano.

Data marcada… O presidente americano, Donald Trump, confirmou ontem expectativas de que a assinatura do acordo comercial com a China estava próxima ao anunciar nas suas redes sociais que a cerimônia acontecerá no dia 15/01, na Casa Branca. Ainda, Trump sinalizou que a 2ª fase do acordo, uma vez firmada, deve ser assinada em Pequim. Apesar de esperada, a notícia já repercute positivamente nos índices de mercados ao redor do mundo, e deve estender o otimismo em torno do tema em 2020.

Gás extra… Entrando em 2020, o Banco Popular da China (BC chinês) segue mostrando seu compromisso em sustentar o crescimento da economia do país, e anunciou que cortará, a partir de 2ªF, o compulsório dos bancos em 50 pontos – medida que deve liberar quase US$ 115 bilhões à economia. O anúncio vem em boa hora, uma vez que veio acompanhado de uma piora na leitura do Índice de Gerentes de Compra (PMI/Caixin) industrial, que desacelerou para 51,5 em dezembro de 51,8 no mês anterior, devendo afastar o receio de uma desaceleração mais acelerada da atividade na 2ª maior economia do mundo.

Na agenda… As leituras finais de dezembro do Índice de Gerentes de Compra (PMI, na sigla em inglês) são os principais destaques nos EUA (11h45) e na zona do euro (6h). No pano de fundo, investidores ainda avaliarão o número de pedidos de auxílio desemprego nos EUA, às 10h30.


BRASIL: COMEÇANDO COM O PÉ DIREITO (2)

Governo cumpre promessa e libera emendas… Uma das últimas pendências que restavam para o governo antes da chegada do ano novo era a liberação de emendas prometidas aos parlamentares. Estas possibilitam gastos que os deputados e senadores direcionam diretamente aos seus respectivos estados e serviram como moeda de troca para garantir a aprovação de pautas governistas de grande relevância, principal entre elas a reforma da Previdência. Durante o término do ano, a demora na liberação gerou desgaste entre o Legislativo e o governo. O esforço do Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável pelo processo que garantiria os gastos prescritos pelos parlamentares, possibilitou que o Executivo honrasse as promessas feitas durante o ano e fortalece a capacidade de articulação com o Congresso em 2020.

Novo salário mínimo entre em vigor… O novo valor para o piso salarial no Brasil é de R$ 1.039, que representa um aumento de R$ 41 ante o mínimo anterior de R$ 998. A nova quantia já vale para os salários de 01/20. O valor previsto pelo Orçamento de 2020 foi aumentado em R$ 8 via medida provisória, assinada pelo presidente Bolsonaro na véspera do ano novo, em razão de expectativas inflacionarias mais altas do que anteriormente esperadas. Mesmo assim, o piso ainda representa uma correção de acordo com a inflação, ou seja, não houve aumento real do mínimo.

Ministério da Economia prevê déficit fiscal de R$ 70 bilhões para 2019… Segundo o secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, as contas da União devem apresentar déficit de R$ 70 bilhões em 2019, que representa 1% do PIB para o ano. O valor se encontra bem abaixo da meta estabelecida pelo governo de R$ 139 bilhões. O megaleilão do pré-sal, apesar de gerar um valor muito aquém do esperado, contribuiu fortemente para o resultado primário das contas do governo federal. Para 2020, a esperança do governo é reduzir esse número ainda mais. Os recursos resultantes do plano de privatizações do Ministério da Economia serão essenciais para dar continuidade ao acerto das contas do governo federal.

MP deve facilitar venda de R$ 30 bilhões em imóveis públicos… Acaba de ser assinada pelo presidente da República uma medida provisória (MP) que deve facilitar a venda de imóveis atualmente detidos pelo governo federal. A MP possibilita a venda dos ativos por lotes. A intenção do Executivo é arrecadar R$ 30 bilhões com a venda de 3.751 imóveis públicos nos próximos 2 anos. A lista de ativos que devem ser liquidados inclui terrenos, galpões, prédios, fazendas e salas comercias.

Na agenda… Como principal destaque da agenda desta 5ªF, a balança comercial mensal (15h) deve confirmar queda relevante nas exportações. Em dezembro, o superávit deve ser de R$ 4,2 bilhões (Bloomberg). No lado da inflação, o IPC-S deve refletir o aumento expressivo das carnes que tem pressionado todos os índices de inflação no mês, acelerando de 0,49% em novembro para 0,8% em dezembro.

E os mercados hoje? Lá fora, bolsas ensaiam estrear 2020 em alta, impulsionadas pelo anúncio da data para assinatura do acordo comercial entre China e EUA e pelo anúncio de novos estímulos à economia pelo Banco Central chinês. Aqui, o mercado deve seguir impulsionado pela dinâmica do exterior, além da melhor perspectiva para o crescimento do PIB e da aposta em uma melhora no rating de crédito já em 2020. Tendo tudo isso em vista, esperamos um dia de viés positivo para a bolsa local.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: 115.632 (-0,77%);
Real/Dólar: 4,02 (-0,60%);
DI Jan/21: 4,54% (-0,87%);
S&P 500: 3220 (-0,60%).

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
– Nenhum dos 7.766 servidores federais expulsos desde 2003 saiu por mau desempenho
– PF descobre que grupo trocava proteína por pipoca na merenda em SP
– Novo salário mínimo muda benefícios, revisões e atrasados
– Beirute pediu a volta de Ghosn uma semana antes de fuga muito planejada

O Estado de São Paulo
– Em recuperação ainda tímida, indústria tem maior nível de emprego desde 2015
– Propaganda de Dória cita dados incorretos sobre obras paralisadas
– Sem “bolsonaristas”, PSL entra com ação no STF contra juízes de garantias
– “O governo vai bem porque dá sequência ao que eu fiz”, diz Temer

Valor Econômico
– Ação contra sites deve inibir judialização no setor aéreo
– Petrobras viverá momento de transformação
– Cinco grandes dúvidas sobre a fuga de Carlos Ghosn do Japão
– Crescimento cíclico volta á cena nos próximos dois anos

O Globo
– Petrobras investirá US$20 bilhões nos próximos 4 anos para recuperar produção na Bacia de Campos
– Se Trump for derrotado, democratas não poderão fazer mais do mesmo, diz líder ex-assessor de Obama
– Bem avaliado, RJ recebe nota 8,7 de turistas pela estadia na cidade
– De caixa de instrumento a voo secreto, as teorias sobre a fuga de Carlos Ghosn

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável  por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
160 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami