Mercados Hoje: Centro forte segue ditando CCJ

tags Intermediário

Introdução: Os mercados asiáticos fecharam esta 5ª feira em tom negativo. Na Zona do Euro, índices de mercado operam mistos. Os dados de atividade do Bloco seguem sinalizando dificuldade para retomar tração, mas a melhora do cenário para a economia mundial ameniza as preocupações em torno de uma possível recessão. Em NY, o futuro do S&P opera em terreno neutro, seguindo uma queda mais forte de papéis do setor de saúde na sessão de ontem. Enquanto isso, o dólar, medido pelo DXY, avança contra os seus principais pares.


CENÁRIO EXTERNO: O INÍCIO DO FIM?

Mercados… Os mercados asiáticos fecharam esta 5ª feira em tom negativo. As bolsas de Tóquio e de Shanghai recuaram 0,8% e 0,4%, respectivamente. Na Zona do Euro, índices de mercado operam mistos, com o FTSE londrino recuando 0,1% e o DAX, em Frankfurt, avançando 0,4%. Os dados de atividade do Bloco seguem sinalizando dificuldade para retomar tração, mas a melhora do cenário para a economia mundial ameniza as preocupações em torno de uma possível recessão. Em NY, o futuro do S&P opera em terreno neutro, seguindo uma queda mais forte de papéis do setor de saúde na sessão de ontem. Enquanto isso, o dólar, medido pelo DXY, avança contra os seus principais pares. Na frente das commodities, ativos seguem se movimentando com viés positivo, com o preço do petróleo se mantendo próximo aos US$ 92/barril.

O início do fim? Segundo o WSJ, autoridades de Estados Unidos e China estão tentando agendar novas conversas de alto-escalão com o objetivo de firmar acordo comercial definitivo até a primeira semana de junho. Sob o novo calendário, o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, irá viajar a Pequim na semana do dia 29 de abril, e o vice-premiê chinês, Liu He, retornará para Washington na semana do dia 6 de maio. Os dois encontros contarão com a presença do secretário do tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e podem marcar a reta final das negociações entre as duas maiores economias mundiais. Vamos acompanhar…

Fed: Livro Bege… O BC americano divulgou o seu Livro Bege, com o sumário das condições econômicas nos vários distritos, que servirão de base para a próxima reunião do FOMC, em maio. No documento o Fed relata que a economia americana cresceu a um ritmo de fraco a moderado no período de março até os primeiros dias de abril, acompanhada de um crescimento do mercado de trabalho e de um avanço ainda modesto dos preços. Com isso, os oficiais sinalizaram que ainda existem grandes impedimentos para que haja uma alta da taxa de juros, uma vez que a inflação segue em linha com sua meta de 2% a.a. e os riscos externos ainda ameaçam o crescimento da economia americana. Em suma, o Livro Bege reforçou a perspectiva de manutenção da taxa de juros ao longo de 2019 defendida pelo Fed na ata da última reunião do FOMC.

Na agenda… A agenda desta 5ª feira tem como principal destaque os dados de atividade da Zona do Euro e da Alemanha. Mais cedo, o PMI composto da Alemanha superou a mediana das expectativas de mercado (52,1 contra 51,7), mas o PMI que mede a atividade industrial segue em terreno contracionista (abaixo dos 50 pts), aos 44,5 pts, segue sinalizando que o setor patina para retomar crescimento. No dado que engloba o Bloco, os PMIs decepcionaram as expectativas de mercado em sua totalidade, e o dado composto veio aos 51,3 (ante 51,8 pts esperados). Ainda, saem às 9h30 os números das vendas no varejo nos EUA. As vendas no varejo em março podem crescer 1%, após terem caído 0,2% em fevereiro. Excluindo automóveis, as vendas têm previsão de +0,7%, após recuo de 0,4%/fevereiro. 


BRASIL: CENTRO FORTE SEGUE DITANDO CCJ

Não deu… Em mais uma derrota na CCJ, o governo suspendeu a sessão, e marcou a votação do texto da reforma para depois do feriado, na 3ªF (23/04), e já começou a discutir os pontos que serão cortados, e que serão colocados como moeda de troca em fases posteriores.

Centro segue forte… Ontem, na reunião com o secretário Especial da Previdência, Rogério Marinho, houve consenso para retirada de vários itens. O governo cedeu em quase todos os pontos levados pelos líderes do Centrão: Na multa do FGTS a aposentados, na exclusividade do Executivo para mudar a reforma, na concentração de ações sobre a reforma na Justiça-DF e nas alterações na aposentadoria compulsória por lei complementar.

Vai reajustar… O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, confirmou o reajuste médio de 4,84% do diesel a partir de hoje, com variação mínima de 4,518% e máxima de 5,147% nos 35 pontos de venda no Brasil, o que seria o equivalente a R$ 0,10/litro. Fato que deve melhorar os ânimos do mercado nesta 5ª feira.

Mas com menos frequência… Ainda, na mesma entrevista, Castello Branco afirmou que “não vamos fazer reajustes diários, sou contra, ficaremos agora 24 dias sem ajuste” e que a Petrobras teve “zero de perda” com a suspensão do reajuste na semana passada.

Já deu o que falar… Tão logo o aumento do diesel foi anunciado, Dedéco, o líder dos caminhoneiros do grupo de Curitiba, deu declarações ameaçando com greve em todo o País: “no prazo de, no máximo, dez dias”. Apesar disso, a mobilização para uma nova greve dos caminhoneiros, nas proporções que aconteceu em 2018, não é um consenso.

Falou e convenceu… Ontem, em entrevista à TV Globo, Paulo Guedes espalhou entusiasmo ao comentar os acontecimentos dos últimos dias, tanto na CCJ como no episódio da Petrobras, com convicção no processo do governo e confiança de que vai dar tudo certo. Sobre a política de preços da Petrobras, o ministro defendeu que os ajustes deveriam ser feitos com uma periodicidade maior e até algum tipo de precaução para evitar oscilações mais bruscas dos combustíveis por conta da alta volatilidade que o petróleo e o dólar têm apresentado. Já sobre a CCJ, Guedes admitiu que a “turma nova” [do PSL] não tem muita experiência e isso está criando alguns problemas no trâmite da reforma na CCJ, mas garantiu: “na semana que vem, votam”.

Na agenda… Não existem indicadores econômicos relevantes a serem divulgados hoje.

E os mercados hoje? Apesar da tônica menos positiva no cenário internacional, a decisão pelo reajuste de preços da Petrobras e as declarações positivas de Guedes devem contribuir para uma melhora no mercado doméstico. Com isso, esperamos um dia de viés positivo para ativos de risco brasileiros.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -1,11%, aos 93.284 pontos;
Real/Dólar: +0,92%, cotado a R$ 3,9402;
Dólar Index: -0,04%, 97.009;
DI Jan/21: +2 pontos base, 7,120%;
S&P 500: -0,23% aos 2.900 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Victor Candido – Economista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Alvo da Lava Jato peruana, ex-presidente se suicida
– O futuro dos combustíveis
– Petrobras sobe preço do diesel e nega sofrer ingerênci
– Liberdade de expressão não deve alimentar ódio, diz Toffoli

O Estado de São Paulo
– Guedes “dobra” Bolsonaro e Petrobras reajusta diesel
– Congelamento de preços na Argentina vai afetar o Brasil
– Centrão quer mudar pontos da Previdência antes da CCJ
– Exército cobra mais recursos

Valor Econômico
– Governo cede e votação da reforma na CCJ é adiada
– Petrobras reajusta em 4,8% o diesel
– O sonho grande da Kraft Heinz acabou
– Toffoli nega censura e diz que sites são imprensa comprada

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Candido
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

Luca de Toledo Gloeden Soares
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Victor Candido Victor Candido

Economista

Mestrando em economia pela Universidade de Brasília - UnB. Já trabalhou no mercado financeiro na área de pesquisa e operações. Foi pesquisador do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas. É formado em economia pela Universidade Federal de Viçosa.

170 visualizações

relacionados

Bitnami