Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Calmaria Política

Introdução:

Internacional
• Bolsas iniciam a semana com viés positivo;
• Dados da economia chinesa voltaram a chamar atenção do mercado no fim de semana;
• O Parlamento deve recusar nova proposta de antecipar eleições para 15/10;
• Hoje à noite, a agenda econômica chinesa se mantém em foco, com a divulgação da inflação ao consumidor de agosto (22h30);
• BCE anuncia decisão de política monetária na 5ªF.

Brasil
• O mercado acompanha dinâmica do exterior, com investidores monitorando avanços da agenda econômica de Paulo Guedes no plano de fundo;
• Bolsonaro se recupera de nova cirurgia abdominal;
• Europa quer garantias ambientais em troca de tratado comercial;
• Governo busca auxilio dos parlamentares para financiar ministérios em 2020;
• Agenda econômica da semana tem PMC (4ªF), PMS (5ªF) e IBC-Br (6ªF).


CENÁRIO EXTERNO: CHINA EM EVIDÊNCIA

Mercados… Mercados asiáticos encerraram a sessão com viés positivo. Bolsas de Shanghai (+0,8%) e Tóquio (+0,6%) avançaram, enquanto em Hong Kong o mercado se manteve próximo à estabilidade. Na Europa, índices de mercado iniciam o dia sem direção única. O índice pan-europeu, STOXX 600, anda de lado até o momento. Em NY, futuros registram altas moderadas, e o dólar (DXY) se valoriza contra seus principais pares. Na frente das commodities, ativos operam com tendência de alta. O petróleo (Brent crude) sobe 0,7%, voltando a ser negociado próximo dos US$ 62,00/barril.

China em evidência… Em fim de semana sem grandes novidades, dados da economia chinesa chamaram atenção do mercado. Como principal destaque, a divulgação dos números da balança comercial decepcionaram expectativas do mercado, com queda do superávit para US$ 34,8 bilhões em agosto. As exportações recuaram 1,0% no período, quando era esperado um crescimento de 3%, e as importações caíram pelo 4º mês consecutivo (-5,6%). Os dados reforçam o cenário atual de manutenção da disputa comercial com os EUA e ajudam a justificar as novas medidas de estímulo anunciados na semana passada, quando o BC chinês reduziu os depósitos compulsórios pela sétima vez desde o início de 2018. Frente ao cenário mais desafiador, são esperados novos estímulos até o fim do ano, como um novo corte do compulsório e até a redução dos juros pelo Banco Popular da China.

Johnson coleciona derrotas…  Hoje, Boris Johnson pode sofrer nova derrota política, pois o Parlamento deve recusar sua nova proposta de antecipar eleições para 15/10. Após perder a maioria no Parlamento, a convocação forçada de uma nova eleição é a última opção que o Primeiro Ministro tem para prevenir que o divórcio com o Reino Unido seja adiado para o início do ano que vem. A prevenção de um Brexit desordenado fica mais próxima, mas a incerteza já vem prejudicando não só a economia britânica como a Europeia como um todo. Com isso, o mercado deverá se atentar à reunião de política monetária do BCE nos próximos dias, no aguardo dos estímulos sinalizados por Mario Dragui em diversas oportunidades desde a última reunião.

Na agenda… Hoje à noite, a agenda econômica chinesa se mantém em foco, com a divulgação da inflação ao consumidor de agosto (22h30). Ao longo desta semana, o investidor ainda acompanha a inflação ao consumidor de agosto (5ªF) e vendas no varejo (6ªF) nos EUA. Na Zona do Euro, o principal destaque será a decisão de política monetária do BCE, que acontece nesta 5ªF.


BRASIL: CALMARIA POLÍTICA

Bolsonaro se recupera de quarta cirurgia… O presidente foi operado, na manhã do domingo (08), para corrigir uma hérnia incisional no abdômen. A lesāo resultou da facada que atentou contra a sua vida, a pouco mais de um ano, durante a campanha eleitoral de 2018. O procedimento foi realizado com sucesso, mas o presidente precisara descansar pelo menos até sexta-feira. A semana de descanso do presidente deve reduzir, momentaneamente, a incidência de novas controvérsias.

Mourão no comando… Durante a ausência do capitão, o vice-presidente, General Hamilton Mourão, assume o comando do Executivo.

Vou, nem que seja de cadeira de roda… Bolsonaro tem como meta estar disposto para viajar até a Assembleia Geral da ONU, que será realizada no dia 24 de setembro, em Nova York, para prestar esclarecimentos à comunidade internacional em torno das queimadas na Amazônia.

Garantias ambientais em troca de tratado comercial com UE… Em enquete realizada pelo jornal Folha de S. Paulo, com a participação de 17 governos do velho continente, a grande maioria dos participantes (15) declararam que continuam a apoiar o tratado que reduzira tributos entre a União Europeia e o Mercosul. Os únicos países que se posicionaram de forma contrária ao acordo foram a França e a Irlanda. Todos os outros pretendem usar o tratado para influenciar o Brasil em direção à preservação da Amazônia e o combate ao aquecimento global.

Estados europeus que ainda apoiam o tratado: Alemanha, Bélgica, Bulgária, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, Holanda, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Portugal, Reino Unido e Suécia.

Como o Brasil deve reagir… Agora, a manutenção da cobertura florestal tem incentivo financeiro direto. O ideal seria que o presidente Bolsonaro – ou seu representante, caso não esteja disposto – faça declarações mais amigáveis na Assembleia da ONU. A fala deve ter como intuito demonstrar a preocupação do presidente com o meio ambiente e deve evitar discurso nacionalista, baseado na ameaça inexistente contra a soberania brasileira na Amazônia.

Governo busca ajuda dos parlamentares para financiar ministérios em 2020… Com vários ministérios sofrendo com insuficiência orçamentaria, o governo busca a ajuda do Legislativo para financiar os trabalhos na Esplanada no ano que vem. O Executivo pretende negociar com parlamentares para que as emendas individuais e de bancada sejam usadas para custear os ministérios.

Como deve funcionar… Tais emendas geralmente são usadas para financiar projetos dos parlamentares em seus estados, mas agora umas parcelas delas poderão ser usadas para ajudar a reduzir a pressão sobre os ministérios. A proporção do Orçamento sob o controle direto dos parlamentares foi ampliada para ano que vem, imponderado o Legislativo. O aumento deve criar mais boa vontade para o governo nas negociações em torno do financiamento.

Na agenda… A semana terá agenda cheia, com a divulgação das vendas no varejo na 4ªF, volume de serviços na 5ªF e o IBC-Br na 6ªF.

E os mercados hoje? Lá fora, bolsas iniciam a semana com viés levemente positivo, seguindo semana de alívios dos principais pontos de tensão geopolítica ao redor do mundo. No Brasil, o mercado deve acompanhar dinâmica do exterior, com investidores monitorando avanços da agenda econômica de Paulo Guedes no plano de fundo. Por isso, esperamos um dia de viés positivo para o mercado acionário local.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +0,68%, aos 102.935 pontos;
Real/Dólar: -1,17%, cotado a R$ 4,06;
Dólar Index: -0,02%, cotado a 98.394;
DI Jan/21: -3 pontos base, 5.36%;
S&P 500: +0,09% aos 2978 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
Brasil registra 1 caso de agressão a mulher a cada 4 minutos
– Lava Jato engavetou inquérito de grampo antes de PF encerrar investigação básica
– Senado espera liberação de R$ 4,5 bi por pautas polêmicas
– Igreja quer padres indígenas por mais presença na Amazônia

O Estado de São Paulo
– Servidores já se mobilizam para tentar barrar perda salarial e de estabilidade
– Sem verbas, ministérios correm atrás de emendas para garantir investimentos
– ‘Qualidade institucional e competição dão solidez à nossa democracia’
– Após lama, Brumadinho registra alta de suicídio e prescrição de remédios

Valor Econômico
– Guedes quer desindexar e desvincular o orçamento das três esferas de governo
– Hering vence Hering na disputa por marca
– Bradesco vai atrás de inovação e investe R$ 400 mi em startups
– Petrobras limita investimentos em fontes renováveis

O Globo
– Crime organizado expulsa moradores de conjuntos do Minha Casa Minha Vida em cinco estados
– Banco diz que operação atípica apontada pelo Coaf na Operação Zelotes nunca existiu
– Número de PMs mortos no Rio cai, e indicador pode ser o mais baixo em 25 anos
– CNPq reduz 87% da verba para equipamentos e materiais de pesquisa em 2020

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
160 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami