Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Mercados Hoje: Calmaria depois da tempestade

Introdução:

Internacional
• Bolsas internacionais mantêm viés altista no início desta 6ªF;
• Tom mais conciliatório da China ontem segue imprimindo efeitos positivos sobre os mercados;
• Decisão da Argentina de renegociar a dívida pública não pressiona emergentes como se esperava, e divisas do grupo de países abrem o dia com leves valorizações;
• Sai o PCE de julho nos EUA, o principal termômetro de inflação do Fed.

Brasil
• Melhora no exterior e divulgação do PIB/2T19 beneficiam o mercado local;
• Davi Alcolumbre (DEM-AP), diz acreditar que PEC que traz as alterações feitas na casa revisora à reforma da Previdência pode ser aprovada ainda este ano;
• Fachin nega anulação do processo contra Lula;
• IBGE divulga os números de desemprego para julho (PNAD-Contínua), às 9h.


CENÁRIO EXTERNO: CALMARIA DEPOIS DA TEMPESTADE

Mercados… Mercados asiáticos encerraram mistos, sem grandes variações. O índice de Shanghai e o Hang Seng (Hong Kong) andaram de lado enquanto o Nikkei (Tóquio) encerrou com alta de 1,2%. Na Europa, índices de mercado abrem mais um dia em tom altista, com as bolsas de Londres e de Frankfurt subindo 0,5% e 1,1%, respectivamente. Em NY, futuros seguem a mesma tendência altista verificada ontem, e o dólar (DXY) se mantém estável próximo das máximas do ano. Na frente das commodities, ativos sem direções claras. O petróleo (Brent crude) recua 0,6% até o momento, ainda negociado acima dos US$ 60,50/barril.

Calmaria… Bolsas internacionais se mantêm operando com viés altista, após a China ter sinalizado que não irá retaliar a nova imposição de tarifas por parte dos EUA no momento. O tom conciliatório usado pelo porta-voz do Ministério do Comércio chinês, que defendeu a amenização das tensões sobre a adoção medidas que piorariam a situação atual, trouxe alívio aos mercados ontem, que dão continuidade ao movimento de recuperação iniciado na 4ªF. Paralelamente, a decisão da Argentina de renegociar sua dívida não pressionou mercados emergentes como se esperava, e teve pouca repercussão até para os ativos locais. Hoje, apesar de poucas mudanças no quadro estrutural da economia global, os mercados seguem se beneficiando da renovação do otimismo, e caminham para fechar este mês turbulento em tom de recuperação.

Na agenda… Lá fora, o destaque da agenda será a divulgação do PCE (índice de preços dos gastos com consumo), o principal termômetro de inflação do Fed, às 9h30. Mais tarde, às 11h, sai a leitura final de agosto do sentimento do consumidor (Universidade de Michigan) e, às 10h45, a atividade industrial do ISM/Chicago.


BRASIL: FÔLEGO EXTRA

PIB do 2º Trimestre… O PIB brasileiro superou expectativas no 2º trimestre de 2019, registrando um crescimento de 0,4% em relação ao trimestre anterior e dando fôlego adicional ao mercado ontem. O resultado veio duas vezes maior do que a mediana das projeções do mercado indicava (+0,2%) e veio acompanhado de uma revisão positiva do crescimento no 1º trimestre (de -0,2% para -0,1%). Apesar do número ainda não representar um crescimento expressivo, o grande ponto a se destacar na leitura é o avanço dos investimentos na FBCF (+3,2% t/t) que voltou a dar sinais de recuperação após 2 trimestres consecutivos de queda. Junto ao investimento, o consumo trouxe sinais positivos, e apesar de apresentar um crescimento modesto na margem (0,3% t/t) se manteve crescendo pelo 4º trimestre consecutivo. Juntos, consumo e investimento compensaram a diminuição dos gastos do governo e queda das exportações (importações avançaram), que refletem o cenário externo mais desafiador.

PEC paralela aprovada até o final do ano… Segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a PEC que traz as alterações feitas na casa revisora à reforma da Previdência pode ser aprovada ainda este ano. Anteriormente, a expectativa era que o mecanismo que espelha a reforma federal nos estados e municípios teria que esperar até 2020 para encerrar seu trâmite no Legislativo federal. Em reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o autor da proposta complementar, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), os três parlamentares se comprometeram com a aprovação do texto ainda este ano.

Fachin nega anulação do processo contra Lula… A liminar que questionava a atuação dos procuradores da Lava Jato e buscava liberar o ex-presidente foi negada pelo ministro Edson Fachin, ontem (29). A decisão deve ser revista no futuro pela segunda turma do STF.

Na agenda… Depois dos números positivos da taxa de crescimento do PIB (0,4%) divulgados ontem, todos aguardam a divulgação dos números de desemprego para julho. Os resultados serão revelados, hoje (30) às 9h, e a expectativa é que ocorra uma leve queda em comparação ao mês de junho, que registrou taxa de 12%. Além dos dados de desemprego, também será divulgada hoje a bandeira tarifaria da Agência Nacional de Energia Elétrica. O dado é de grande relevância para indústria, que tem seus custos impactados pelo preço da energia elétrica.

E os mercados hoje? Lá fora, bolsas mantém tendência de alta, com investidores ainda reagindo ao tom mais conciliatório por parte da China. Aqui, a situação na Argentina não imprimiu os efeitos negativos como esperado e, junto com a melhora no exterior, a divulgação do PIB acima do esperado deve continuar fornecendo fôlego extra ao mercado local. Com isso, esperamos um dia de viés positivo para ativos brasileiros, que devem seguir se beneficiando do maior otimismo de investidores locais e estrangeiros.

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: +2,36%, aos 100.507 pontos;
Real/Dólar: +0,01%, cotado a R$ 4,16;
Dólar Index: +0,24%, cotado a 98.447;
DI Jan/21: -3 pontos base, 5.63%;
S&P 500: 1,27% aos 2925 pontos.

*Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.


Jornais:

Folha de São Paulo
– Governo Bolsonaro quer mudar regras sindicais em nova reforma trabalhista
– Nordeste esquece Bolsonaro e cria laços com a China
– ‘Nunca precisei mamar na teta de ninguém’, responde Doria a Bolsonaro
– Macron uniu o Brasil em torno de Bolsonaro, diz Olavo

O Estado de São Paulo
– Cantanhêde: Macron deu a Bolsonaro o discurso de ‘soberania’ e ‘patriotismo’
– Melhora no PIB surpreende até o governo, mas cenário ainda é de cautela
– Depois de Moro, ministros alertam que Orçamento de 2020 é insuficiente
– Sudeste concentra dois terços das startups do agronegócio no Brasil

Valor Econômico
– Construção e investimento dão sinais de retomada na economia brasileira
– Argentina corre risco de dar um calote desordenado
– Dividendos da Petrobras podem quadruplicar
– Fogo e desmate ameaçam negócios florestais

O Globo
– Tese que pode anular condenações da Lava-Jato divide o plenário do STF
– ‘A lei tem de ser aplicada. Quem quiser que mude a lei’, diz jurista sobre anulação de sentença de Moro
– Parques nacionais e terras indígenas ardem nas queimadas de Rondônia
– Liberdade Econômica: deputados recorrem ao STF para questionar MP

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

 

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
197 visualizações

relacionados

Bitnami