Mercados Hoje: 2×0 (e não é futebol)

tags Intermediário

Introdução: As bolsas mantém viés negativo, diante de receios por conta das políticas comerciais de EUA. Este fator segue presente, e dificilmente se dissipe no curto prazo (1 x 0). As commodities operam mistas: minério recuou na China, mas petróleo sobe nesta manhã. O dólar passa por certa “pausa”. Os juros das Treasuries operam em baixa (10 anos ~2,85%), num cenário de cautela, ainda. No Brasil, decisão do ministro Lewandowski, do STF, trava o “plano B” da Eletrobrás, e restringe planos da Petrobras. Este é o 2º fator negativo do momento (2 x 0). Às 10h, sai pesquisa Ibope. No front macro, BC divulgou o RTI, e Ilan Goldfajn dá entrevista às 11h. O PSDB conversa com o DEM.


CENÁRIO EXTERNO: BOLSAS EM BAIXA, AINDA.

O “básico” sobre os mercados… As bolsas recuam na Europa, após sessão negativa no Japão e China. Nos EUA, S&P futuro opera próximo à estabilidade. Commodities mostram viés mais negativo. O minério de ferro recuou 0,25% na China, cotado a US$64,44/tonelada. Mas o petróleo (brent ) ainda sobe, em torno de US$77/barril. O dólar recua frente a principais pares, e dá certo “alívio” aos emergentes. O índice VIX, mais estável hoje, ainda sobe 14% no mês. O quadro segue desafiador para emergentes.

Moedas de emergentes… Os ativos destes países continuam a sofrer. A moeda da Índia, por exemplo, atingiu a mínima histórica frente ao dólar hoje, segundo matéria da Bloomberg. O índice MSCI das moedas dos emergentes caminha para fechar o seu pior mês desde agosto de 2015.

Na agenda de hoje… Nos EUA, no front macro, destaque para uma nova leitura do PIB do 1º tri (9h30). Espera-se que se mantenha o número anterior, de 2,2% t/t (anualizado). Além disso, saem pedidos de auxílio desemprego (9h30); discurso de J. Bullard, do Fed de St. Louis (11h45); e Sondagem Industrial do Fed de Kansas City (12h).


BRASIL: DECISÃO DO STF E PESQUISA IBOPE.

No STF, decisão sobre estatais… Segundo o Ministro Lewandowski, do STF, o dispositivo da Lei das Estatais (artigo 29, caput, XVIII, da Lei das Estatais) deve ser interpretado no sentido de afirmar que a venda de ações de empresas públicas, sociedades de economia mista ou de suas subsidiárias ou controladas exige prévia autorização legislativa, sempre que se cuide de alienar o controle acionário. Embora possa ser revertida no plenário do STF (sem previsão para isto), a decisão surpreendeu, pois inverteu a interpretação usual.

Impactos de Lewandowski… Com exceção de Petrobras, Eletrobrás, Banco do Brasil e Caixa, o governo tinha, até agora, poder para privatizar qualquer empresa pública sem consultar o Congresso. Isto, agora, mudaria de figura. Segundo o Valor, trava o “plano B” da Eletrobrás, que fica impedida de vender algumas subsidiárias do norte e nordeste. O plano de desinvestimento da Petrobras e de outras estatais federais também serão afetados. Neste contexto, aumentou a insegurança jurídica, e continuaremos atentos a possíveis revisões da decisão.

Pesquisas eleitorais… A CNI informou ontem que a pesquisa contratada será divulgada hoje, às 10h. Vale também registrar que uma pesquisa DataPoder360 foi registrada no TSE, e será divulgada na próxima 2ª, dia 2 de julho. O mercado, certamente, será influenciado por estes números.

PSDB e DEM… No momento, o DEM seria o “alvo prioritário” de Alckmin, visando ampliar seu apoio ao Planalto. Porém, em ao menos 6 Estados, o diálogo entre as siglas não é bom (Ceará, DF, Goiás, Maranhão, Mato Grosso e Sergipe). Do lado “positivo”, os 2 partidos já estão juntos em AP, BA, ES, PA, PE, PI e SP e conversam sobre alianças em MG, MS e RS. No RJ, Alckmin ainda não decidiu se apoiará Eduardo Paes (DEM) ou Índio da Costa (PSD). O DEM, segundo a mídia, fará consulta interna para decidir quem apoiar, quando Maia desista da sua pré-candidatura.

Dados de crédito… A média diária das concessões de crédito livre, em maio, recuou 1% em termos reais, na comparação com o mês de abril. Nesta comparação, as concessões de crédito direcionado avançaram 7,7%. Ao todo, considerando tanto o livre quanto o direcionado, as concessões recuaram 0,3%. A inadimplência total do sistema recuou, de 3,3% para 3,2%. Também vale notar: manteve-se em 46,6% a razão “crédito total sobre PIB”.

Agenda de hoje… No front macro, destaque para o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) do BC, que saiu pela manhã. Ilan Goldfajn, o presidente, dará entrevista às 11h. Deve explicar, entre outras coisas, a revisão do PIB deste ano, de 2,6% para 1,6%. Além disso, o Tesouro divulga o resultado primário do governo central de maio. Espera-se um déficit de R$9,7 bi. A Aneel realiza um leilão (veja a seguir). No front político, sairá às 10h a pesquisa Ibope. No STF, reforma trabalhista e tabelamento do frete (veja a seguir).

Sobre o leilão da Aneel… A Agência Nacional de Energia Elétrica realiza hoje o leilão de aproximadamente 2,6 mil km de linhas de transmissão e subestações com capacidade de transformação de 12,2 MVA em 16 Estados. O investimento previsto é de R$ 6 bilhões. Será o 1º Leilão de Transmissão do ano. Na sede da B3, em SP, às 9h.

No STF, reforma trabalhista e tabela de frete… Na sessão plenária de hoje (a partir das 14h), o STF julga ações relacionadas à reforma trabalhista. Antes disso, às 11h, o ministro Fux realizará nova reunião com empresários, representantes de caminhoneiros, AGU e PGR, para tentar fechar um acordo sobre o tabelamento dos preços do frete. Caso contrário, o tema irá para audiência pública no dia 27 de agosto.

E os mercados hoje? O risco país mantém viés altista (CDS de 5 anos oscilava ao redor de 269, às 8h30), em meio ao cenário externo ainda desafiador, e decisão do STF sobre privatizações. Neste contexto, acreditamos que o viés para o mercado acionário ainda é de baixa. O dólar tende a continuar forte, mas o BC pode voltar a fazer intervenções via swaps. Por fim, no mercado de juros, também vemos um viés mais altista para os DIs. Resultados do Ibope e apresentação do RTI tendem a mexer com os mercados.

Ignacio Crespo – Economista

Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -1,11%, aos 70.609 pontos;
Real/Dólar: +1,55%, cotado a 3,861;
Dólar Index: +0,65%, 95.290;
DI Jan/21: +16 pontos base; 9,55%;
S&P 500: -0,86% aos 2.699 Mil pontos.

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg. *valores referentes à sessão do dia 31/05.


EMPRESAS:

Eletrobras: Liminares travam o plano B de Eletrobras
Impacto: Negativo.

Luis Gustavo Pereira – Estrategista


Jornais:

Folha de São Paulo
– Lewandowski proíbe privatização sem a autorização do Legislativo
– Brasil ganha da Sérvia, se classifica e pega México nas oitavas
– Juiz dá um mês para governo Trump reagrupar famílias de imigrantes
– Registros de gripe mais que dobram, e Brasil soma 3.558 casos e 608 mortes

O Estado de São Paulo
– Plano de saúde poderá cobrar até 40% por atendimento
– Cheque tem os juros mais altos; clientes ignoram taxas
– STF barra venda de distribuidora da Eletrobras
– Suprema Corte dos EUA mais conservadora

O Globo
– Brasil mostra força do talento ao vencer a Sérvia
– Liminar do STF trava privatizações
– CNJ veta academia para juízes no Fórum do Rio
– Cresce número de brasileiros barrados em Portugal

Valor Econômico
– Lewandowski barra a venda de subsidiária da Eletrobras
– Bolsa tem saída recorde de estrangeiros
– EUA proíbem contribuição sindical forçada
– Para o bem ou para o mal, Neymar é o cara

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Ignácio Crespo Rey
[email protected]

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/2010, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Ignacio Crespo Ignacio Crespo

Economista

Mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE), e graduado em Ciências Econômicas pelo INSPER. Foi professor assistente do Mestrado Profissional em Economia do INSPER, ministrando aulas sobre Macroeconomia e Política Monetária. De 2013 até agosto de 2018 atuou como economista-chefe da Guide Investimentos. Desde então, atua como consultor externo da Guide.

221 visualizações

relacionados

Bitnami