Internacional 
• Bolsas globais operam de forma mista enquanto digerem os efeitos do novo coronavírus;
• Doença pode impactar preço do petróleo;
• PMIs apontam para estabilidade dos quadros das economias americana e europeia.

Brasil 
• Ibovespa acumula queda na sessão, mas fecha acima dos 118 mil pontos
• Real continua perdendo força contra o dólar


FECHAMENTO:

Ibovespa: 119.376 (-0,96%)
BR$/US$: 4,18 (+0,01%)
DI Jan/21: 4,35% (-1 bps)
S&P 500: 3.295 (-0,90%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

PRINCIPAIS ALTAS:

WEGE3: 41,41 (+4,44%)
ABEV3: 18,99 (+1,82%)
HGTX3: 27,28 (+1,79%)

PRINCIPAIS BAIXAS:

VVAR3: 14,50 (-4,35%)
CSNA3: 14,91 (-2,27%)
BRKM5: 37,63 (-3,51%)


CENÁRIO EXTERNO:

Mercados… Bolsas globais operaram de forma mista ao longo desta 6ªF. Com a disseminação do novo coronavírus (2019-nCoV) se intensificando, investidores seguem digerindo a situação, formando expectativas em torno de como tal ocorrência pode impactar a economia global. Nos EUA, houve a confirmação de um segundo caso, enquanto o vírus, na China, já matou 26 pessoas e têm outros 887 contágios confirmados. Dados positivos referentes à maior economia da Europa, a Alemanha, porém, contrariaram o movimento e impulsionaram o STOXX600, que apreciou uma valorização de 0,9% ao longo da sessão. Nos EUA, houve falta de impulsos devido à estabilidade do Índice de Gerentes de Compra, com o S&P500 caindo 1,1%.

Mais dos mercados… Como mencionamos anteriormente, na tentativa de estabilizar a disseminação do novo vírus que paira sobre o mundo, o governo chinês instituiu restrições à mobilidade de civis, assim como restrições ao transporte aéreo e ferroviário. Em função disto, preocupações em torno de uma possível desaceleração no consumo de petróleo, que, historicamente cresce a taxas anuais vigorosas na China, têm se instalado na mente dos investidores. O movimento coloca uma pressão baixista sobre o preço da commodity e ameaça colocar em xeque fontes de receitas de grandes empresas que comercializam o produto ao redor do mundo. Desde que o vírus começou a se espalhar no início desta semana, o preço do petróleo (Brent Crude) desvalorizou-se em 6,41%, ficando cotado aos 60,66 US$/barril.

Economia europeia… O IHS Markit, agência de coleta de dados, publicou a leitura preliminar para o Índice de Gerentes de Compra para o mês de janeiro. Sem sofrer mudanças, o índice catalogou um valor de 50,9, indicando ligeiro processo de expansão. Enquanto a atividade alemã aumentou além das expectativas, a atividade no bloco como um todo foi prejudciada pela França, que tem sofrido com protestos devido à rejeição, por parte da sociedade civil, a uma reforma previdenciária. Se por um lado a oficialização da fase 1 do acordo sino-americano criou perspectivas para o setor manufatureiro (que é fortemente dependente do comércio), por outro, uma possível imposição de tarifas por Trump devido aos impostos digitais sobre grandes empresas americanas cria incertezas na direção contrária.

Economia americana… A agência também publicou o mesmo índice para os EUA. O índice registrou um valor de 53,1, ante 52,7 em dezembro do ano passado, registrando a maior alta em 10 meses. A continuidade em direção à expansão (>50) continuou repercutindo a força do setor de serviços, enquanto o setor manufatureiro manteve-se estável. As firmas que participaram da pesquisa comunicaram um aumento em suas respectivas forças de trabalho, porém mencionaram que os pedidos de exportações despencaram neste início de ano, todavia refletindo os efeitos do choque negativo de demanda que as tarifas de Trump causaram. Expectativas para 2020 mostraram-se otimistas e na esfera monetária, a dinâmica de preços segue moderada.


BRASIL:

Mercados… Acompanhando a dinâmica verificada no exterior, o Ibovespa reverteu a alta de 2,58% de ontem e operou em queda ao longo do pregão. Como nas bolsas internacionais, as preocupações em torno do novo coronavírus também teve influência marginal sobre a bolsa local. Além disto, sem um driver específico no noticiário local, o movimento também representa um ajuste de cunho técnico. No mercado cambial, o real segue passando por uma pressão vendedora na medida em que investidores precificam mais um corte de 25 p.p. na taxa Selic nas próximas reuniões do Copom no dia quatro e cinco de fevereiro. Estas expectativas se fizeram sentir sobre o mercado de juros, onde as taxas operaram em queda ao longo de todos os vértices. O CDS de cinco anos (medida de risco país) voltou a operar em alta, fechando o dia cotado próximo dos 100 pontos base.

CVC… Os papéis da empresa voltaram a cair no pregão de hoje. O forte noticiário relacionado aos diversos casos do novo coronavírus na China e Estados Unidos impactaram negativamente o papel. A alta do dólar também prejudicou a empresa nessa 6ªF.

WEG… A empresa se destoou do movimento negativo do Ibovespa e registrou forte valorização. O noticiário envolvendo as recentes aquisições da empresa tem demonstrado seu apetite em desenvolvimento e diversificação das suas operações. Além disso, o papel não tende a ser impactado diretamente com o noticiário relacionado ao vírus chinês.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável  por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Luis Gustavo Pereira Luis Gustavo Pereira

Estrategista

Graduado em Administração de Empresas pela ESPM, com pós-graduação em Economia e Setor Financeiro pela USP e MBA em Finanças pelo INSPER. Tem mais de 8 anos de experiência no mercado financeiro. Atualmente, é o estrategista da Guide Investimentos.

219 visualizações

Relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami