Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Internacional
• Bolsas internacionais encerram semana sem direção única
• Investidores voltam atenções aos diversos pontos de pressão geopolítica ao redor do globo após semana marcada por decisões de bancos centrais.

Brasil
• Mercado local segue a dinâmica do exterior e opera sem rumo claro
• Eletrobras tem destaque notadamente negativo
• Suzano e Klabin tem desempenho negativo
• JBS passa por considerável valorização


FECHAMENTO:

Ibovespa: +0,46%; 104.817 pts
Real/Dólar: -0,41%; R$ 4,15
DI Jan/21: -5 bps; 4,98%
S&P 500: -0,49%; 2.992 pts

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

PRINCIPAIS ALTAS:

BRKM5: R$ 32,39 (+5,30%)
MRFG3:R$ 11,00 (+4,46%)
JBSS3: R$ 30,90 (+4,25%)

PRINCIPAIS BAIXAS:

ELET3:R$ 40,09 (-5,78%)
ELET6: R$ 42,31 (-5,39%)
SBSP3: R$ 49,01 (-3,49%)


CENÁRIO EXTERNO:

Mercados… Após uma semana agitada com a divulgação da decisão de diversos bancos centrais, investidores voltaram suas atenções aos diversos pontos de pressão geopolítica ao redor do globo. Em NY, S&P500 fechou a semana com leve queda, repercutindo relato (Reuters) de que uma delegação chinesa cancelou visita a fazendas em Montana, nos EUA. O dólar (DXY) avançou ao longo de toda a sessão, devolvendo parte dos ganhos após anúncio do Fed de que estenderá as operações compromissadas até 10 de outubro. Na Zona do Euro, negociações encerraram mais cedo, e o índice pan-europeu, STOXX 600, registrou leve valorização no dia. A grande exceção no velho continente foi o FTSE londrino, que recuou acompanhado da libra esterlina após o governo Irlandês reduzir chances de um avanço nas negociações do Brexit. Na frente das commodities, o petróleo encerrou a semana com o principal destaque, voltando a operar acima dos US$ 64 barril em função da nova escalada de tensões no Oriente Médio.


BRASIL:

Mercados… O mercado acionário local oscilou ao longo do dia, sujeito à dinâmica das bolsas no exterior. A taxas de DI continuam em movimento de queda, repercutindo, todavia, a decisão do Copom de reduzir a taxa básica de juros. Dado que as projeções para a inflação de 2019 ainda estão consideravelmente abaixo da meta, o mercado continua precificando a curva de juros com a Selic a 5% até o final do ano. O real segue a mesma dinâmica depreciativa de ontem, refletindo, também, a decisão de política monetária do Copom. O dólar chegou a operar próximo dos R$ 4,19, mas a decisão do Fed de seguir em frente com seu programa de operações compromissadas até o dia dez de outubro fez com que a divisa americana revertesse parte da alta, encerrando o dia próximo dos R$4,15. Contribuindo para a tendência de desvalorização, a trajetória do CDS de cinco anos (medida de percepção de risco) registrou alta substancial no dia de hoje, refletindo também a maior incerteza do ambiente externo.

Um dos principais destaques no mercado nacional foi a desvalorização dos papeis da Eletrobrás, que perderam 5% de seu valor. Está queda expressiva no valor da estatal se deve majoritariamente aos entraves relacionados a sua privatização. O presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que não existe apoio suficiente no Senado para aprovar a venda da distribuidora.

As empresas Suzano e Klabin também sofreram quedas. Estas se dão em função de dois distintos, porém relacionados, fatores. Em primeiro lugar, o Goldman Sachs mudou sua recomendação de “compra” para “neutro” de ambas as empresas. Conjugado a isto, está a ideia de que o setor de papel e celulose tem demonstrado uma certa estagnação em função de uma menor demanda global.

A JBS, após ter recebido uma recomendação positiva pelo Banco Itaú, valorizou fortemente ao longo do pregão. A empresa que tem passado dificuldades recentes passou por uma valorização expressiva de 4%.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

Julia Carrera Bludeni
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Luis Gustavo Pereira Luis Gustavo Pereira

Estrategista

Graduado em Administração de Empresas pela ESPM, com pós-graduação em Economia e Setor Financeiro pela USP e MBA em Finanças pelo INSPER. Tem mais de 8 anos de experiência no mercado financeiro. Atualmente, é o estrategista da Guide Investimentos.

125 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami