Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Internacional 
• Bolsas globais operam de forma mista à espera da oficialização do acordo parcial sino-americano;
• Índice de Preços ao Consumidor nos EUA frustra expectativas;
• Fed publica Livro Bege amanhã; produção industrial na UE também é destaque.

Brasil 
• Após passar por valorização expressiva ontem, Ibovespa opera em queda
• Volume no setor de serviços cai 0,1% em novembro


FECHAMENTO:

Ibovespa: 117,514 (+0,16%)
BR$/US$: 4,13 (-0,27%)
DI Jan/21: 4,44% (-5,0 bps)
S&P 500: 3.283 (-0,30%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

PRINCIPAIS ALTAS:

VVAR3: 13,29 (+4,65%)
ECOR3: 17,32 (+4,04%)
CCRO3: 18,96 (+3,61%)

PRINCIPAIS BAIXAS:

GOAU4: 10,15 (-2,40%)
GGBR4: 21,35 (-2,24%)
ELET3: 39,50 (-1,54%)


CENÁRIO EXTERNO:

Mercados… Mercados acionários ao redor do globo voltaram a operar de forma mista no pregão desta 3ªF. Devido à ausência de um fluxo de notícias relevantes, conjugado ao fato de que a oficialização do acordo parcial entre China e EUA já está precificado, os movimentos de hoje explicam-se em função de fatores técnicos, sem driver específico.

Economia americana…. Ao inflacionar 0,2% em dezembro, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) frustrou as estimativas de mercado, que previam um aumento de 0,3%. O dado continua ilustrando o forte componente inercial da inflação, que, ao longo dos últimos meses, tem demonstrado forte resistência ao aumento, principalmente em função de um crescimento modesto da massa salarial. O resultado corrobora a visão de que o Fed, BC americano, deve manter a taxa de juros estacionada em seu atual intervalo de 1,50% – 1,75% após cortar juros três vezes em 2019 como uma espécie de “ajuste de meio-ciclo”.

No radar…. Além da materialização do acordo parcial entre as duas maiores economias do mundo, investidores também se atentarão para a divulgação, amanhã, do Livro Bege – documento que explicita a visão dos diretores do Fed sobre o atual estado da economia americana. O documento deve continuar reforçando o vigor da economia americana, principalmente no que diz respeito ao seu aquecido mercado de trabalho. Ainda, deve dissertar sobre como a trégua comercial imprimiu um efeito positivo sobre as expectativas dos produtores americanos. Por último, porém não menos importante, está a produção industrial na zona do euro. O dado deve continuar demonstrando o estado anêmico do setor, penalizado principalmente em função de uma enfraquecida demanda externa.


BRASIL:

Mercados… Após registrar uma expressiva valorização na ordem de 1,50% no pregão de ontem, o Ibovespa operou próximo do zero a zero ao longo da sessão de hoje. A dinâmica externa mais amena e o resultado neutro do setor de serviços promoveram um movimento de acomodação do mercado local. No mercado de câmbio, o dado de inflação aquém do esperado nos EUA (vide Cenário Externo), porém, configurou uma dinâmica positiva para o real. Ao todo, o real se valorizou e exerceu pressão baixista, em conjunto ao dado de volume no setor de serviços abaixo do esperado, sobre as taxas no mercado de juros. Não obstante, a divisa segue sendo negociada acima dos R$ 4,10/US$. O CDS de cinco anos (medida de risco-país), voltou a operar em alta e pela primeira vez no ano passou a ser cotado acima dos 100 pontos base.

Atividade econômica…. O volume de serviços prestados em novembro registrou uma ligeira queda em relação ao verificado no mês de outubro, resultado que veio abaixo do apontado pelas projeções de mercado para o período. A pesquisa mostrou que a atividade do setor contraiu 0,1% no mês, volume que ainda representa um avanço de 2,0% na comparação com o mesmo período do ano passado. Quando analisando a decomposição dos principais componentes, a leitura também não é nada animadora: serviços prestados às famílias e serviços de armazenagem e auxiliares aos transportes (este em linha com o desempenho fraco da indústria) acumularam quedas de mais de 1,0% no mês. Em suma, apesar de ainda estar positivo no acumulado de 2019, o dado do mês de novembro mostrou que o setor responsável por cerca de 70% da economia brasileira ainda patina para apresentar números mais robustos, atrapalhado principalmente pelas dificuldades encontradas pela indústria no mesmo período.

Via Varejo… A empresa foi o destaque do pregão novamente. A varejista teve seu papel valorizado em mais de 3%, as vésperas dos dados do índice de vendas no varejo e IBC-BR referentes a novembro.

CCR… A empresa também registrou forte alta. O movimento do papel decorreu de duas notícias: (i) a pretensão do governo de relicitar a BR-040, após sucessivos descumprimentos de contrato pelo grupo Invepar; (ii) o foco da empresa em artigos de concessões públicas, tal como as concessões das linhas 8 e 9 da CPTM em São Paulo.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável  por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Luis Gustavo Pereira Luis Gustavo Pereira

Estrategista

Graduado em Administração de Empresas pela ESPM, com pós-graduação em Economia e Setor Financeiro pela USP e MBA em Finanças pelo INSPER. Tem mais de 8 anos de experiência no mercado financeiro. Atualmente, é o estrategista da Guide Investimentos.

113 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami