Fique por dentro do mundo da economia!


CADASTRE-SE AQUI

Internacional 
• Bolsas globais operam de forma mista
• Setor de serviços nos EUA segue robusta e afasta medo de recessão
• Índice de preços ao consumidor preliminar europeu inflaciona em dezembro
• Vendas no varejo europeu registram alta

Brasil 
• Ibovespa acompanha S&P500 e opera em queda
• Crise argentina contem crescimento do setor automobilístico


FECHAMENTO:

Ibovespa:116.662 (-0,26%)
Real/Dólar: 4,06 (+0,01%)
DI Jan/21: 4,48% (-4 bps)
S&P 500: 3.237 (-0,28%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

PRINCIPAIS ALTAS:

CMIG4: 14,44 (+3,81%)
MRFG3: 10,39 (+2,97%)
AZUL4: 56,62 (+2,95%)

PRINCIPAIS BAIXAS:

HGTX3: 32,68 (-3,88%)
GNDI3: 67,66 (-3,33%)
HAPV3: 65,21 (-2,61%)


CENÁRIO EXTERNO:

Mercados… Bolsas globais fecharam as negociações desta 3ªF sem direção única. Enquanto o índice pan-europeu, STOXX 600, apreciou uma valorização, o S&P500, índice americano, andou na contramão. Mesmo com índices de atividades positivos nos EUA, investidores adotaram posições mais cautelosas em função das tensões geopolíticas, após os o Irã prometer um “pesadelo histórico” para o país norte-americano.

Economia americana…. A economia voltou a demonstrar a resiliência de seu setor de serviços após registrar um avanço no Índice de Gerentes de Compra para o valor de 55,0 em dezembro, ante 53,9 em novembro. A melhora considerável no índice acabou refletindo a formação de expectativas positivas em torno da resolução tarifaria costurada pelas duas maiores economias do mundo em dezembro. Esta deve reduzir as tarifas sobre cerca de US$ 120 bilhões em bens de consumos importados da China pelos EUA de 15% para 7,5% a partir da assinatura da 1ª fase do acordo, prevista para acontecer no dia 15/01. Na esteira de um desenvolvimento negativo no setor manufatureiro, esta melhora no setor de serviços, que é responsável por dois terços da atividade econômica do país, afasta a ideia de que a economia americana está próxima de uma recessão.

Inflação europeia…. A EuroStat, agência de estatísticas da União Europeia, publicou hoje o Índice de Preços ao Consumidor Harmonizado (HCPI, na sigla em inglês), medida de inflação preferida pelo Banco Central Europeu para a implementação da política monetária. Perfeitamente em linha com as expectativas, a leitura preliminar do índice para o mês de dezembro registrou uma inflação 1,3%, abaixo da meta inflacionária de 2%. O avanço no índice espelhou a alta nos preços de energia, algo que ocorreu em função de tensões geopolíticas no Oriente Médio. Os núcleos de inflação, isto é, a parte do índice que exclui componentes voláteis como energia e alimentos, mantiveram-se brandos; movimento que deve continuar justificando uma continuidade no programa de títulos públicos e privados por parte da instituição financeira.

Atividade europeia…. Além do índice de inflação, a agência também publicou as vendas no varejo para o mês de novembro. O dado também animou investidores e deu um impulso adicional à bolsa local ao catalogar um avanço de 2,2%, ante estimativas de 1,5%. O baixíssimo nível de preços, conjugado às taxas de juros negativas – que desestimulam a formação de poupança em prol do dispêndio – explicam o bom desempenho do setor varejista europeu.


BRASIL:

Mercados… O investidor local reduziu seu apetite por ativos de risco brasileiros em meio a um cenário externo menos benigno, ocasionando uma desvalorização do Ibovespa ao longo do pregão. Após registrar baixas por três dias consecutivos, o Ibovespa perdeu seu limiar de 117 mil pontos. Depois de sofrer por um ligeiro processo de acomodação ao longo dos últimos dias, o real se manteve praticamente estável contra o dólar. O CDS de cinco anos, por sua vez, sofreu valorizações ao longo do pregão, porém segue sendo negociado abaixo dos 100 pontos base. As taxas no mercado de juros operaram em baixa ao longo do pregão, principalmente ao longo dos vértices médios, refletindo tanto a estabilidade do dólar como uma possível queda nas expectativas inflacionárias em meio ao anúncio de que o governo pretende anular a alta nos preços do petróleo via política fiscal.

Atividade econômica…. Mesmo após crescer 2,3% em dezembro, a produção de veículos no brasil ficou aquém do esperado no mês de dezembro. Uma alta mais vigorosa do setor automobilístico foi contida pela retração da demanda argentina, algo que acabou gerando uma queda acentuada nas exportações para o país. Desta forma, a demanda doméstica foi a principal responsável pelo avanço das vendas no setor.

Cemig… A empresa mineira de energia foi o destaque do pregão de hoje. A alta se deu em decorrência da notícia de que a Cemig contratou o Bank of America para auxiliar na venda de sua fatia na Transmissora Aliança de Energia Elétrica (TAESA). O mercado reagiu positivamente ao ver mais um passo sendo dado em direção ao plano de desalavancagem da empresa, que vem sendo implementado através da venda de ativos não estratégicos.

Marfrig… O frigorífico figurou entre os destaques positivos do pregão, subindo aproximadamente 3%. O movimento foi causado em decorrência do upgrade dado por uma renomada casa de análise, atribuindo o rating de compra ao papel. O forte excesso de demanda global por proteína animal e o cenário favorável ao setor nos EUA foram os principais drivers para a mudança de rating efetuada pelo banco.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável  por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Luis Gustavo Pereira Luis Gustavo Pereira

Estrategista

Graduado em Administração de Empresas pela ESPM, com pós-graduação em Economia e Setor Financeiro pela USP e MBA em Finanças pelo INSPER. Tem mais de 8 anos de experiência no mercado financeiro. Atualmente, é o estrategista da Guide Investimentos.

127 visualizações

relacionados

Utilizamos cookies para melhorar a sua navegação

Entendi
Bitnami